Benefícios da vitamina C
1 de junho de 2010
Quanto antes, melhor!
1 de junho de 2010
Mostrar Todos

Pare de esperar o príncipe encantado!

Pare de esperar o príncipe encantado!
Você vive reclamando que está faltando homem no mercado para namorar? Pois pare e dê uma olhada ao seu redor. O seu príncipe encantado pode estar mais perto do que você imagina. Confira abaixo algumas dicas para arranjar um amor rapidinho e não passar o próximo dia dos namorados sozinha:
Aceite o outro. Nada de ficar idealizando o homem perfeito. Tenha em mente que todo mundo tem defeito, inclusive aquele bonitão que joga charme para você. São esses detalhes (bons e ruins) que tornam as pessoas únicas.
Descubra o que quer para si mesma. Quer um cara romântico ou um totalmente desencanado? Focando no seu objetivo, ficará muito mais fácil escolher os lugares certos para encontrar sua cara metade.
Esteja aberta ao novo. Não é porque seu namoro anterior não deu certo que todos seus os relacionamentos também não darão. Aprenda com os erros do passado e dê espaço para que novos homens se aproximem de você.
Olhe seus amigos com outros olhos. Sabe aquele colega de infância que está sempre ao seu lado? Então, já pensou que ele pode gostar de você de um outro jeito e não só como amiga? Aprenda a enxergar as reais inteções dos rapazes que a cercam e aumente suas opções de pretendentes.

Só para apaixonadas
O Dia dos Namorados está aí, quase chegando! Se você anda sem ideia do que dar para o amado, confi ra abaixo duas sugestões para serem usadas à dois. Escolha a que tem mais o seu estilo e deixe o gato sem fôlego:
ROMÂNTICA: aposte no kit da Bel Macarons (R$ 167), que vem com uma lata em formato de coração recheada com macarons, acompanhada com buquê de rosas colombianas
vermelhas e de uma garrafa de espumante Chandon Reserve Brut.
FOGOSA: o kit Ma Bôite à Secrets (R$ 232), da ilustradora Suppa, vem em uma caixa com posições do Kama Sutra. Dentro, uma série de surpresas: uma regata inspirada no livro O Amor e o Sexo no Zodíaco, calcinha de tule com desenhos do Kama Sutra e o livro desse mesmo tema.

Você é ESCRAVA do tempo?
O nosso dia é dia é pura correria. Temos hora e prazo para tudo: para entregar um trabalho, levar os fi lhos à escola, ir à academia, fazer as compras da casa, sair com o marido… Ufa! Só de escrever já dá para fi car cansada. Mas você já parou para pensar se precisa, de fato, sair correndo para realizar todas as essas tarefas? “A urgência tende a ser um dos principais causadores de infartos, do fi m de relacionamentos e dos bons momentos. Tem gente que tem tanta urgência que só vive de rapidinhas, e a vida vai correndo e fi cando sem graça”, explica o especialista em administração de tempo e produtividade Christian Barbosa, autor do livro Você, Dona do Seu Tempo. O expert alerta ainda que se fi zermos esse simples exercício de parar e analisar nossas urgências, iremos descobrir que a maioria delas são fruto de esquecimentos e afazeres importantes negligenciados. “Boa parte do urgente poderia ser evitada, mas nossa mente é focada em resolver urgências, não em previni-las.” O bom é que dá para fugir desse círculo vicioso! Pense em como antecipar sua vida em dois dias – olhe para frente e traga para o presente as atividades que seriam realizadas depois para o agora. “Essa é a forma mais simples e básica de começar a diminuir as urgências. Elas nunca deixarão de existir, mas precisam ser controladas.”

POSTURA É TUDO!
Vamos combinar: toda mulher quer ser considerada elegante. E para isso, é essencial manter a postura correta. Veja as dicas do livro Moda é Fácil, da Editora Codex, e dê adeus aos dias de desmazelada: imagine que seu corpo está sendo puxado por um fi o invisível que mantém cabeça, pescoço e coluna alinhados. ao caminhar, mantenha bumbum e abdômen contraídos. Isso ajuda a manter a coluna bem retinha. em casa, treine andar com um livro sobre a cabeça e aprenda a caminhar como uma diva.


Raiva no trabalho pode ser bom

Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Harvard Medical School (EUA), a raiva pode sim ajudar a carreira do funcionário. “As pessoas pensam em raiva como uma emoção perigosa e são encorajadas a praticar o pensamento positivo, mas descobrimos que esse comportamento é contraproducente e, no fi nal das contas, uma negação danosa de uma realidade terrível”, disse George Vaillant, autor da pesquisa. Mas vale rassaltar que ele está falando da fúria controlada e não da desenfreada – esta, não tem efeito benéfi co algum.