Rede de sustentação
21 de Abril de 2009
Cadê as manchas?
26 de julho de 2009
Mostrar Todos

+ sexo – estresse

Segundo pesquisas realizadas na Universidade de Stanford (EUA ), sexo é bom para fortalecer o sistema imunológico, ajudar no combate à depressão, aliviar o estresse, combater dores e problemas cardíacos, regular hormônios, melhorar autoestima e ainda é um excelente exercício aeróbico e anaeróbico. Além disso, não tem contraindicações, nem efeitos colaterais

Por Malu Bonetto

Levando em consideração que quem tem uma vida saudável, tem um desempenho sexual satisfatório, o sexo pode ser considerado um termômetro da saúde física e emocional. Sua prática regular equilibra os hormônios e estimula o desenvolvimento do potencial do indivíduo, deixa as pessoas mais felizes consigo mesmas, com maior autoestima e mais ânimo para trabalhar e enfrentar os problemas do dia-a-dia. Durante o ato sexual, diversas substâncias são liberadas – entre elas a endorfina (proteína que afeta os mecanismos cerebrais que controlam o humor, a resistência ao estresse e à dor e, principalmente, as sensações de prazer). Essa também é uma ótima maneira de manter a forma, já que em média são queimadas cerca de 300 calorias por relação, a contração muscular ajuda a enrijecer o corpo, principalmente o abdômen, nádegas e pernas.
Para as mulheres, ainda há uma vantagem adicional: ao ativar a circulação do sangue, há uma melhora considerável na celulite. Se o sexo tem todos estes benefícios não há porque deixar de fazê-lo, certo? Sim, mas com a nossa rotina diária de casa, trabalho, família e amigos, é meio que inevitável que o estresse seja constante e acabe interferindo na nossa vida sexual. Segundo pesquisa realizada com 26 mil pessoas em 26 países e divulgada ano passado pela Durex, empresa européia de preservativos, 42% dos entrevistados se declaram satisfeitos (a porcentagem é a mesma tanto para homens como para mulheres), enquanto a média mundial de satisfação é de 44%. Os problemas apontados para esse mau desempenho são cansaço e falta de romantismo: 57% dos entrevistados disseram que melhorariam a satisfação sexual se estivessem menos estressados; 40% afirmaram que gostariam de ter mais carinho e amor.
Mas porque será? “Quando ficamos estressados, nosso sistema nervoso simpático responde às alterações do meio externo e interno, causando alterações fisiológicas, como aumento da frequência cardíaca, do fluxo sanguíneo, da glicemia, da atividade mental, colocando o organismo numa reação de luta ou fuga, liberando a nossa adrenalina na corrente sanguínea” explica a psicoterapeuta Maura de Albanesi, diretora do Instituto de Psicoterapia Avançada AMO (SP).
Nesta situação de estresse, a mulher tem níveis aumentados de cortisol e adrenalina (hormônios do estresse), o corpo fica rígido e não conseguimos nos soltar. “Diferentemente dos homens, que nesse estado torna-se mais agressivo, a mulher tende à apatia, insegurança e desinteresse pelo que a cerca, incluindo o sexo. Evidentemente, nessa situação, é normal que a mulher não tenha interesse sexual, daí a importância que ela tenha conhecimento dessa condição para entender que está passando por uma fase temporária e evitando, assim, rotular-se ou ser rotulada de alguma disfunção sexual” ressalta o médico José Luiz Alego, chefe da Ginecologia do Hospital Vila Mariana (SP).
Mas não podemos deixar de desfrutar dos benefícios do sexo por causa de alguns probleminhas pessoais ou profissionais, certo? A relação estresse e sexualidade é muito complexa e deve ser tratada com muita atenção, “pois se houver descuido, corre-se o risco de entrar em um circulo vicioso em que o estresse acaba com o desejo sexual; sem o desejo
não há prazer e sem o prazer o estresse aumenta. É preciso quebrar esse círculo”, complementa. “Sabemos que não é só na vida sexual que o estresse interfere, a qualidade de vida como um todo cai, não conseguimos tomar decisões adequadas, não temos disposição para praticar atividade física, brincar com os filhos e especialmente para nos dedicarmos ao relacionamento afetivo, incluindo aí, troca de afeto, carícias e a própria relação sexual”, alerta a ginecologista Ângela Carvalho, especialista em Sexualidade Humana (PR).

Entre no CLIMA
Nada melhor do que um chamego com o amado após um dia estressante. Quando o clima não estiver lá essas coisas, faça a sua parte e deixe as sensações a flor da pele. Veja as dicas abaixo e coloque-as em prática:
– Um banho juntos será muito relaxante e excitante. Para deixar o momento mais gostoso, que tal acender algumas velas e ouvir uma música gostosa?
– Combine com seu parceiro de não conversarem sobre problemas do trabalho depois do jantar.
– A sedução começa logo cedo, já no café-da-manhã. Fazer um elogio e dar um beijo molhado, instiga o outro para pensar na surpresa que virá mais tarde.
– Que tal deixar as crianças com os avós ou com a babá eventualmente e dar uma fugidinha?
– Não espere ocasiões especiais para preparar um jantarzinho gostoso (se você não tem tempo para cozinhar, compre pronto). O importante é surpreender o parceiro e criar um clima apaixonante no dia-a-dia!

NÃO DEIXE A LIBIDO CAIR!
Atitudes para não deixar que os problemas do dia-a-dia afetem o seu desempenho sexual
ADMINISTRE SEU TEMPO > divida as tarefas de casa com todos da família para sobrar um tempinho para você e o seu amado. Faça uma lista de prioridade para não desperdiçar o horário que você pode desfrutar com o parceiro em atividades menos importantes.
CONVERSE COM SEU PARCEIRO > sabendo que os homens e as mulheres reagem diferentemente ao estresse, o casal poderá estabelecer algumas formas de proporcionar um relaxamento gradativo à mulher, através de várias atitudes
como: caprichar nas carícias preliminares, iniciando com uma massagem nos pés e nas costas. “Vocês devem deixar a casa com um ambiente calmo, acolhedor e livre dos problemas enfrentados ao longo do di”, aconselha Ângela Carvalho (PR).
CRIE BRINCADEIRINHAS > flertar com o seu parceiro durante o dia, através de mensagens no celular, do e-mail ou com bilhetinhos apimentados espalhados pela carteira e bolsos da camisa, nutre o desejo de ambos. “Dessa forma, mesmo estando cansada à noite, a atividade sexual é quase inevitável, o que traz um relaxamento físico e muita paz de espírito para os dois”, ressalta Maura de Albanesi.
INVISTA NO CARINHO > o relacionamento afetuoso, como troca de gestos de carinho, beijos e abraços, também proporciona bem-estar, tranquilidade e segurança ao casal, especialmente para a mulher. “Essa maneira de condução do relacionamento diminui o nível de estresse do homem e colabora para que a mulher se sinta mais segura com relação a sua vida a dois”, aconselha José Luiz Alego.
APOSTE MAIS EM VOCÊ > alimentação equilibrada, atividade física regularmente, dormir no mínimo sete horas, evitar maus hábitos como consumir álcool e fumar, também interferem na vida sexual. Sinta alegria, emocione-se, vá assistir àquele filme que você queria, abrace e beije muito as pessoas que você gosta, faça uma bela viagem, faça o bem para alguém. Tire algumas horas para dedicar-se a si mesmas. Cuide da sua beleza, vá ao cabeleireiro, faça massagem se lhe faz bem. Ouça aquelas músicas que você gosta, dance. Faça meditação e concentre-se em sensações boas. Pense que nesse momento você é a pessoa mais importante no mundo. Assim você vai elevar a sua autoestima, vai melhorar a sua imunidade e sentir-se muito mais feliz. Aí não há estresse que resista.