Aprenda a cuidar corretamente da sua pele antes de dormir
14 de fevereiro de 2017
Alimentos que vão te ajudar a começar o dia cheia de disposição
16 de fevereiro de 2017
Mostrar Todos

Artrose no joelho: entenda o que é e como tratar esse problema tão incômodo

Se você sofre com inchaço, fortes dores após esforços físicos, tem limitação ao realizar determinados movimentos e ainda, dificuldade em apoiar a perna no chão saiba que você pode estar com artrose

Essa doença, que consiste no desgaste da cartilagem que reveste as extremidades ósseas, está cada vez mais afetando a saúde da população isto porque ela tem relação direta com o excesso de peso (que aumenta a pressão nas articulações), envelhecimento, exercícios que exigem impactos repetitivos (comum em jogadores de futebol, tênis e vôlei), hereditariedade, traumas (lesões no joelho) e outras doenças, como o tabagismo.

A artrose acomete, geralmente, pessoas com mais de 65 anos e mulheres, que apresentam estrutura óssea mais fraca em comparação ao sexo masculino. “A dor é o primeiro sinal e, se acentua com simples atividades físicas como subir ou descer escadas e praticar esportes com impacto. O inchaço é o segundo sintoma conhecido pelo processo inflamatório da membrana que recobre a articulação do joelho. E a perda progressiva do movimento, impedindo o paciente de andar, pode ser mais um sinal de que há uma deformidade do membro inferior, caracterizando assim o terceiro sintoma” ressalta o ortopedista Pedro Baches Jorge, diretor clínico da SO.U Ortopedia.

O diagnóstico da artrose é feito através da avaliação clínica individualizada de cada paciente e exames como a radiografia, ressonância magnética, tomografia computadorizada e ultrassom. A união da avaliação clínica especializada e alguns exames de imagem são indispensáveis para o diagnóstico preciso da doença. O tratamento tem como objetivo aliviar a dor, o inchaço e a dificuldade em andar, sendo que, em alguns casos é necessária a intervenção cirúrgica. Assim, como toda doença o melhor é sempre prevenir, e nesse caso o ideal é manter uma alimentação balanceada, controlando o peso que evita a sobrecarga nos joelhos e praticando exercícios que contribuem para a prevenção da doença, como caminhada, natação, ginástica e andar de bicicleta, por exemplo. Acompanhamento profissional especializado é indispensável