Dê um descanso para seus olhos!
27 de agosto de 2012
Peles sensíveis: saiba como escolher o cosmético ideal
28 de agosto de 2012
Mostrar Todos

Plástica para “emagrecer os dedos dos pés”

Para combater a “toe-besity”, mulheres se submetem a um procedimento altamente invasivo

pé

Se você se surpreendeu com a lipoaspiração de tornozelos, com a cirurgia para fazer covinhas no rosto ou com a cirurgia para transformar a barriga num “tanquinho”, certamente ainda não ouviu falar na “nova febre entre as americanas”: a cirurgia para emagrecer os dedos dos pés.

Sim, a neurose americana já se tornou tão específica que, agora, a ordem do dia é dar fim ao “embaraço grave” da largura dos dedos, uma condição conhecida como “toe-besity“. Algumas mulheres chegam até a pensar na remoção de seus dedos mindinhos para caber em sapatos menores…

Segundo informações do programa Good Morning America, da ABC News, em Nova York, quando as pessoas procuram o Dr. Oliver Zong para “fazer uma cirurgia plástica”, elas não estão pensando em remover a gordura da barriga ou das coxas. Zong é um podólogo e uma de suas especialidades é “emagrecer os dedos das pessoas gordas”, prática a qual ele se dedica há mais de dez anos.

Segundo Zong, as primeiras intervenções eram destinadas à retirada de gordura dos pés. Hoje, as pessoas já solicitam também a diminuição da largura de seus dedos. Assim, ele realiza muitas cirurgias para raspar gordura e osso para devolver a autoestima a muitos americanos obesos. Suas cirurgias giram em torno de 2.500 dólares.

Zong “não vê mal algum” na realização de procedimentos cosméticos nos pés. Ele compara “suas cirurgias” a qualquer tipo de cirurgia estética. “Atendo pessoas muito envergonhadas com a sua condição física. Depois da intervenção, elas ganham autoestima e se sentem mais confiantes”, disse ao Good Morning America.

Modismos em cirurgia plástica

Nos Estados Unidos, Zong é criticado por entidades médicas e por muitos podólogos que não concordam com a cirurgia cosmética do pé. A Associação Americana de Pediatria diz que o procedimento, às vezes, realizado em crianças, só é justificado se o paciente tem muita dor no pé.

“E inconcebível se submeter a riscos cirúrgicos ­- anestesia, infecção, deformidade do dedo do pé, se a cirurgia não for feita corretamente, risco de reincidência do problema e os riscos de uma cirurgia em geral – por pura vaidade. Você pode terminar com um grave trauma no pé”, defende o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.

O médico explica que “procedimentos cirúrgicos no pé e no tornozelo, geralmente, são feitos para alívio da dor, restauração da função e reconstrução de deformidades. Eles podem ter o benefício adicional de uma melhor aparência, mas não devem ser realizados para este fim especificamente”, esclarece Ruben Penteado, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.