Beleza de Argila
7 de dezembro de 2012
Bárbara Borges: ela é bárbara!
3 de janeiro de 2013
Mostrar Todos

Plástica da intimidade

Essa técnica nunca esteve tão em alta. Um estudo divulgou que no Brasil houve um crescimento de 50% de cirurgias íntimas nos últimos anos. Por que será que ela está fazendo tanto sucesso?

Geralmente é em uma consulta com o ginecologista que ele recomenda que a mulher procure um cirurgião plástico para fazer uma cirurgia estética na genitália. A maioria dos casos se deve há alterações congênitas, alterações adquiridas depois do parto ou até mesmo com o envelhecimento. Mas atualmente muitas mulheres acabam recorrendo à cirurgia em busca de uma melhora estética da região. Mesmo porque não estar com a genitália do jeito que você gostaria pode causar transtornos de ordem emocional como: depressão, ansiedade, perda da autoestima, e até interferir na vida sexual da paciente.

Excesso de volume

Os casos de hipertrofia dos lábios vaginais ocorre quando há má formação congênita e consequentemente lábios vaginais muito grandes, impedindo a mulher do uso de calças de lycra, bermudas apertadas, biquínis justos e certo desconforto na hora da relação sexual podendo provocar até pequenas lesões na mucosa vaginal. Nestes casos, o cirurgião plástico Altamiro da Rocha Oliveira, da Clínica Santana Laranjeiras (RJ), recomenda a ninfoplastia, onde – sob anestesia local – retira-se a pele excedente da vulva. Já se o caso for o excesso de gordura localizada na região pubiana é indicada a lipoaspiração de púbis. O pós-operatório das duas cirurgias é tranquilo sendo recomendado evitar esforço físico por 15 dias, seguir as recomendações médicas e esperar três meses para o resultado definitivo.

De volta ao passado

Quando a mulher teve vários filhos de parto normal ela pode ter um relaxamento da musculatura do canal vaginal e ele acabar alargando, neste caso o ginecologista opta pela perineoplastia para reduzir o diâmetro do canal vaginal. Já nas mulheres idosas pode ocorrer o murchamento vaginal que é facilmente resolvido com a hipoplasia vaginal através do enxerto de biomateriais ou gordura da própria paciente, restaurando o volume dos lábios e recuperando a anatomia da região. A cirurgia é feita com anestesia local e o retorno as atividades pode ser imediato.

Para agradar o parceiro…

Conhecida como a técnica que “recupera a virgindade”, a himenoplastia tem como intuito reconstituir a membrana que recobre a entrada do canal vaginal, ou seja, o famoso hímen. Nem todos os profissionais aceitam realizá-la. “Na verdade, há a simulação de um novo hímen. Os parceiros vão sentir, no contato sexual, uma nova barreira a ser transposta, como na primeira relação”, explica a ginecologista Flávia Fairbanks (SP).

Agradando a si mesma

Pode parecer estranho já que nós mulheres sofremos com a depilação, mas muitas acabam recorrendo ao transplante de pelo para amenizar a falta deles ou falhas. Para isso, retira-se um pequeno pedaço do couro cabeludo e separa-se fio por fio para implantá-los na área genital. O procedimento requer anestesia local e dura cerca de três horas. Após dois ou três meses, os pelos começam a nascer, mas é preciso apará-los sempre, já que costumam crescer mais que os pubianos. Já quando há o escurecimento da mucosa vaginal, a técnica é usada para combater o escurecimento da virilha, seja pela depilação crônica com cera, seja pela queda hormonal após os 50 anos é indicado o peeling diluído, mais suave, e a aplicação local é feita no consultório médico. O produto é retirado após alguns minutos, e a paciente pode voltar às atividades normais em seguida. A descamação ocorre por volta do terceiro dia, o que possibilita o surgimento de uma pele renovada e mais clara.

Eles também fazem!

Cirurgia íntima não é algo exclusivo da ala feminina, alguns homens recorrem ao cirurgião plástico para se sentir melhor com sua genitália. Entre as mais pedidas estão a lipoaspiração do púbis, a cirurgia para a retirada do excesso de pele da glande do pênis e também para a retirada do excesso de pele da bolsa escrotal, todas realizadas sob anestesia local.