Sinal verde para sorrir
27 de setembro de 2010
Enzimas contra gordurinhas e flacidez
27 de setembro de 2010
Mostrar Todos

Lipoescultura

Ter um corpo com curvas bem definidas, barriga sequinha e bumbum redondinho é o sonho de todas nós mulheres! São horas de malhação, dieta balanceada e tratamentos estéticos para conquistar um shape bacana. Mas se estas medidas não são suficientes para adquirir o corpão tão almejado, optar pela cirurgia plástica pode ser a sua saída
Por Malu Bonetto

Que mulher não gostaria de se livrar da barriga e garantir um bumbum perfeito ao mesmo tempo, sem precisar passar por mais de uma cirurgia? Com a ajuda da lipoescultura, isso é possível. E muitas mulheres já descobriram isto, tanto que nos consultórios 50% das pacientes que procuram a lipoaspiração optam pela lipoescultura. Olhar no espelho e gostar do que está vendo é fundamental para ser feliz consigo mesma, ter autoestima elevada, sentir-se mais confi ante no trabalho e na vida pessoal. Isto sem mencionar que hoje em dia existe uma forte pressão social que diz que as pessoas precisam ser magras, estar com tudo em cima. Quem busca a lipoescultura quer mais do que eliminar as gordurinhas em excesso, quer o corpo mais perfeito possível dentro de sua estética corporal, curvas mais precisas e contornos mais agradáveis. E a possibilidade de usar essa gordura para modelar outras partes do corpo que estejam faltando, como glúteos, sulcos da face e lábios, ou para corrigir depressões e imperfeições no corpo é um atrativo e tanto. A seguir esclareceremos as dúvidas mais comuns sobre esta técnica que esta conquistando cada vez mais adeptas.

O que é lipoescultura?
Lipoescultura é uma lipoaspiração em que as células de gordura retiradas são devidamente tratadas para serem reimplantadas (enxertadas) em outros locais. “Nesta técnica o cirurgião aspira a gordura excedente (que deve ser no máximo 5% do peso do paciente) com aparelhos de sucção ou seringas e usa essa gordura como enxerto em áreas que precisam de mais preenchimento”, explica o cirurgião plástico Aristóteles Scipioni (SC).

Qual a diferença da convencional?
A lipoaspiração, através da combinação de sucção com movimentos manuais, cânulas conectadas a um lipoaspirador ou a seringas, remove os depósitos de gordura acumulados na região dos quadris, culotes, coxas, abdômen, costas, joelhos e pescoço. Já na lipoescultura, a gordura retirada de uma região é injetada em outra, preenchendo algumas áreas e remodelando o contorno corporal.

Como a lipoescultura é realizada?
Após todos os exames pré-operatórios realizados, bem como a avaliação pré-anestésica, a paciente vai até uma unidade hospitalar, onde será realizada a cirurgia. Sob anestesia local com sedação ou peridural, realiza-se todo um processo de assepsia para evitar contaminação durante o ato cirúrgico. O procedimento começa com a injeção, na gordura abaixo da pele, de uma solução que contém soro fisiológico, adrenalina e um anestésico local para minimizar a perda de sangue, o inchaço e as dores durante o pós-operatório. Além disso, o tecido gorduroso fica mais frouxo, facilitando o processo de aspiração. “O cirurgião insere a cânula na camada de gordura abaixo da pele, fazendo um movimento de vai e vem que solta e separa a gordura na região. A sucção é feita com um aspirador cirúrgico conectado no lado oposto da cânula com o objetivo de remover a gordura. Algumas vezes a gordura pode ser removida de forma manual com a seringa conectada a cânula”, esclarece dr. Scipioni (SC). Depois do procedimento algumas incisões são fechadas com pontos internos e cola. Para modelar e enxertar gorduras em outras partes do corpo, o médico prepara a gordura retirada na lipoaspiração e preenche partes como glúteos, seios, etc. “É fundamental que a lipoaspiração seja feita com cânulas extremamente finas nas camadas mais superficiais da pele, dando mais efeito de modelagem do que aspirar profundamente onde há diminuição do tecido gorduroso”, explica o cirurgião plástico Daniel Vasconcellos (RJ).

Quais as vantagens e desvantagens?
A principal vantagem é a modelagem do corpo já que com essa técnica o cirurgião retira a gordura em excesso e usa a mesma para fazer preenchimentos em outras partes do corpo. E, como a gordura utilizada como enxerto é do próprio paciente, não existe a rejeição. Quando realizada por um bom cirurgião plástico e esclarecidas as duvidas e expectativas da paciente não há desvantagem.

Como é o processo de recuperação?
As incisões ficam microporadas por um período de 30 a 60 dias. Deve-se manter repouso absoluto durante os três primeiros dias para evitar que os pontos se rompam, ingerir grande quantidade de líquidos isotônicos para repor os fluidos perdidos na cirurgia. Também é essencial o uso de malhas compressivas por duas a quatro semanas, bem como drenagens linfáticas e fisioterapias para acelerar a reabsorção do inchaço e auxiliar na cicatrização dos tecidos. Cerca um mês depois de se submeter a lipoescultura, o paciente já pode observar os resultados, mas o final aparece do terceiro ao sexto mês.

Quem pode se submeter a essa técnica?
Pacientes que tenham pele firme e elástica, com boa saúde, dentro dos limites normais de peso e tenham gordura localizada. É indicada principalmente quando além de retirar o excesso de gordura paciente queira preencher determinadas regiões do corpo. As principais contraindicações referem-se a casos de pacientes que tenham excesso exagerado de peso ou muita flacidez de pele. É também contraindicada para o paciente que não apresenta condições clínicas adequadas que serão detectadas nos exames pré-operatórios.

Cadê o volume que estava aqui?
Imagine o drama: você passa por uma cirurgia para se livrar de gordurinhas em algumas partes do corpo e enxertá-la no bumbum. Toma anestesia, encara uma cirurgia e enfrenta o pós-operatório dolorido. O resultado imediato ficou exatamente como você imaginava, mas passado dois anos a situação não é bem assim… A barriga continua chapada, mas o bumbum não tem mais o mesmo tamanho – parece que ele diminuiu! Será que a gordura enxertada foi reabsorvida pelo organismo? A resposta é, em parte sim!
A gordura enxertada na lipoescultura é lavada e centrifugada, o que diminui o percentual absorvido pelo organismo. Essa gordura pode ser enxertada em qualquer lugar, principalmente em glúteos, face interna da coxa, face, mama, depressões de cicatrizes, aumento de queixo, aumento de grandes lábios genitais, irregularidades cirúrgicas, etc. A reabsorção da gordura (em média 30%) ocorre nos primeiros seis meses após a enxertia, especialmente no primeiro mês. Após esse período, tudo o que “pegou” é permanente. “As células, inclusive, guardam a capacidade de engordar, por isso ao engordar ou emagrecer as células enxertadas acompanham esse efeito. Porém, é importante ressaltar que se a técnica não for realizada de maneira adequada, a absorção da gordura pode ser completa”, alerta o cirurgião plástico Daniel Vasconcellos.

“Eu Fiz e aprovei!”
Em outubro do ano passado, a consultora de vendas Fabiana Milene Batista, 25 anos, optou pela lipoescultura para fazer as pazes com o espelho e com o guarda-roupa. Foi na Clinica de Cirurgia plástica Dream Plastic (SP ) que ela sentiu a segurança suficientes para realizar a tão sonhada cirurgia plástica. “Os profissionais esclareceram todas as minha dúvidas e optamos pela lipoescultura, mesmo porque adorei a possibilidade de injetar a gordura retirada das diversas regiões do corpo no glúteo e ficar com o corpo remodelado, com lindas curvas.”