O poder da criolipólise para combater as gordurinhas
12 de janeiro de 2017
Penteados práticos e fáceis para um visual fresquinho no verão
12 de janeiro de 2017
Mostrar Todos

Esclareça todas as suas dúvidas sobre prótese de silicone e prepare-se para abusar do decote

Seios fartos já se tornaram sinônimo de feminilidade, tanto que a mamoplastia de aumento está entre as cirurgias mais realizadas no Brasil. Se você faz parte da ala que acaba adiando o procedimento por receio de se submeter à cirurgia, confira algumas informações sobre as próteses de silicone que vão esclarecer todas suas dúvidas.

Por Malu Bonetto

É preciso trocar a prótese de silicone a cada dez anos

Antigamente as próteses duravam esse período, hoje, com os avanços tecnológicos, elas devem ser trocadas quando há o desgaste natural. Entretanto, o cirurgião plástico Ricardo Cavalcanti (RJ), parceiro da Polytech Brasil, ressalta que o aumento ou redução de peso irá modificar a forma das mamas, podendo ser recomendado substituí-las.

O implante deve ser colocado na frente do músculo

O local em que coloca-se a prótese depende da espessura do tecido. Normalmente, em pacientes mais magras, com pouca glândula mamária e pele muito fina, é indicada a colocação atrás do músculo.  Mas se não for possível, ela ficará presa nos dois terços superiores da mama sob o músculo, formando uma espécie de sutiã de sustentação, diminuindo a pressão sobre a parte inferior da mama e não dificultando o exame mamográfico.

Não é aconselhável fazer a cirurgia antes dos 18 anos

É após essa idade que normalmente a mama para de crescer, ou seja, é recomendado esperar o desenvolvimento completo delas. Mas, segundo o cirurgião plástico André Barbosa, da All Clinik (RJ), existem exceções, como, por exemplo, em caso de assimetria mamária que pode prejudicar psicologicamente a pessoa, mas nesse caso é preciso avaliação médica e autorização dos pais.

A chance de ter contratura capsular é grande

Ainda sem causa definida, alguns estudos apontam que ela acontece quando há pequenos coágulos ao redor da prótese e uso exagerado de bisturi elétrico na coagulação de vasos, ou seja, qualquer processo que possa causar uma reação inflamatória local. Mas, atualmente com as próteses modernas, a incidência de contratura capsular é muito baixa, menos de 3% a 4%, ou seja, não é preciso se preocupar com isso.

Elas podem atrapalhar a amamentação

A prótese não interfere em nada a amamentação, já que fica abaixo da glândula ou abaixo do músculo que está abaixo da glândula. Logo, a glândula fica livra para produzir leite normalmente.

Ela prejudica a detecção do câncer de mama

Não, definitivamente as próteses de silicone não interferem na detecção do câncer de mama. Existe um mito em relação ao assunto. Segundo o cirurgião plástico Rodrigo Achilles (SP), parceiro da Lifesil, a maioria dos radiologista está a costumada a examinar pacientes com implantes mamários, facilitando o diagnóstico de doenças nas mamas.

Vou perder a sensibilidade nos seios

Toda cirurgia em que há descolamento altera a sensibilidade (por exemplo, a cesárea), por haver cortes de nervos. Porém, geralmente a sensibilidade retorna totalmente com o tempo. Quanto mais reduzir a mama ou maior for a prótese, maior a chance de ter mais alteração de sensibilidade transitória ou permanente, pois mais nervos são cortados. Mas, segundo o cirurgião plástico André Barbosa, da All Clinik (RJ), o que acontece normalmente é o contrário, já que com a autoestima elevada a mulher pode ficar até mais sensível.

Após o implante de silicone nos seios, terei que dormir sempre de barriga pra cima

Durante os primeiros 20 dias, é recomendado, sim. Uma dica é colocar dois travesseiros nas costas para elevar o tronco ou usar almofadas no formato de triângulo que podem ser colocadas nas costas para trazer mais conforto.

A prótese pode estourar 

Como qualquer objeto, as próteses sofrem um desgaste natural com o passar do tempo, já que é um produto que tem sua vida útil, mas estourar é praticamente impossível, já que atualmente os implantes possuem em torno de sete camadas, cuidado que dificulta muito seu rompimento.

Vou ficar com estrias se colocar uma prótese de silicone muito grande nos seios

Tudo depende da elasticidade da sua pele. Se houver pouca pele, a distensão muito grande pode causar estrias no pós-operatório. Por isso, é muito importante avaliar bem a paciente para indicar a melhor opção de tamanho. Sempre lembrando que o ideal é um volume harmônico em relação à altura e ao tórax da paciente.

Posso colocar o tamanho que eu quiser

Junto com seu médico, analise as características da pele, consistência dos seios e suas expectativas. “Também leve em consideração que o implante ideal é aquele que melhor se adéqua às suas características pessoais e ao seu biótipo (peso, altura e largura e circunferência do tórax)”, recomenda o cirurgião plástico Marcelo Moreira (RJ).

Se eu não gostar do resultado, posso retirar a prótese

Se a paciente não gostar do resultado, pode retirar a prótese, mas poderá haver uma flacidez, principalmente se a prótese for grande e se a mama ficou distendida por bastante tempo.

As próteses de silicone eliminam a flacidez dos seios

A função da prótese é preencher um tecido vazio, e se existe flacidez, é necessário que a mulher faça primeiro uma mastopexia – cirurgia que retira o excesso de pele e consequentemente levanta as mamas. Por isso, o cirurgião plástico André Barbosa, da All Clinik, alerta que é muito importante a avaliação criteriosa feita por um profissional durante a consulta médica, para que a cirurgia seja bem planejada e o resultado seja o mais próximo da expectativa da paciente.

Um seio pode ficar maior que o outro

Geralmente uma mama é maior que a outra, raramente as pacientes têm mamas iguais. “Se colocadas próteses iguais, as mamas vão manter a mesma assimetria, por isso muitas vezes as próteses possuem volumes diferentes”, diz o cirurgião plástico Rodrigo Achilles, parceiro da Lifesil.

Em caso de vazamento, o silicone se espalha para o resto do corpo

Como o gel interno das próteses de silicone atuais são de alta coesividade, ele não corre o risco de se espalhar. Pelo contrário, o cirurgião plástico Ricardo Cavalcanti diz que, caso a prótese se rompa, o corpo gera a formação de uma cápsula que isola o implante e, mesmo em caso de vazamentos, este não irá migrar.