Nem tudo é psicologico
29 de outubro de 2010
As boas novas do rejuvenescimento
29 de outubro de 2010
Mostrar Todos

Dossiê – lipoaspiração

A lipo pode ser mini, vibro, ultrassônica e até mesmo de Beverly Hills. Conheça as mil e uma facetas desta cirurgia e descubra por que ela é tão queridinha e desejada por boa parte da população feminina. Se você ainda não é fã desta plástica, vai virar uma agora. e se já for, vai se apaixonar mais ainda pela técnica

Por Lara Martins


Seios fartos, bumbum à brasileira ou cintura fininha. Vamos combinar que a moda varia bastante. Mas, mesmo assim, a lipoaspiração não sai nunca do top 5 das mais pedidas nos consultórios de cirurgia plástica. E não é à toa. Com o passar dos anos, a lipoaspiração tradicional foi ganhando filhotes, versões mais específicas para cada parte do corpo e para diferentes resultados, menos invasivas, com recuperação mais rápida… Enfim, um cardápio de opções para satisfazer qualquer perfil de paciente.
A base de todas as variações é a mesma: utiliza-se uma cânula bem fininha, que pode variar de acordo com a técnica escolhida, e esta é introduzida na região onde há o excesso de gordura. O instrumento, então, aspira as células adiposas depositadas na região. A cirurgia não requer cortes e, portanto, a cicatriz resultante é bem pequena, similar a uma picada de agulha. Ou seja, elimina justamente aquela gordurinha mais odiada pelas mulheres (e pelos homens também, um público cada vez mais crescente) difícil de ser eliminada simplesmente com exercício físico e dieta. E isso explica as regiões do corpo mais solicitadas para a lipo, que, segundo o cirurgião plástico Alberto Birman (RJ), são abdômen, flancos e culotes.

Pegadinhas da lipo
Manter uma rotina saudável ajuda a conquistar melhores resultados e, depois, a manter o efeito conquistado com a plástica. Essa dupla atividade física + dieta tem outro papel importante. Eles devem ser seguidos antes da cirurgia para ajudar na perda de peso. Lembre-se que a lipoaspiração não é um procedimento de emagrecimento, já que pode extrair apenas 5% a 7% da gordura corporal – e, em algumas das técnicas, menos ainda. Por isso, se tiver acima do peso, nem pensar em fazer uma lipo. Trate de fazer as pazes com a balança antes de qualquer coisa. E vale sempre lembrar: o fato de não ter nenhuma incisão grande e, assim, não deixar nenhuma cicatriz aparente, faz com que muitas pacientes considerem a lipo um procedimento simples e corriqueiro. Mas trata-se de uma cirurgia como outra qualquer, com anestesia, internação, cuidados pós-operatório e outras etapas comuns a uma intervenção cirúrgica. Apesar de não terem sinais externos, a cânula, instrumento que aspira a gordura, percorre por toda a parte interna da região, ou seja, há uma intervenção que deve ser levada em consideração e respeitada.

Lipo para todos os gostos
Conheça cada uma técnicas de lipoaspiração. A escolha é baseada na área e tipo de gordura a ser aspirada

Lipoaspiração tradicional
Essa é a primeira de todas, é a que deu origem às demais variações. Para esse procedimento, é utilizada uma cânula bem fininha (de três a quatro milímetros) que aspira o excesso de gordura. A técnica surgiu como uma opção de contorno corporal (e não emagrecimento) e, por isso, a gordura excedente retirada não ultrapassa 5% a 7%, no máximo, do peso corporal. O material retirado pode ser enxertado em outra parte do corpo, normalmente o bumbum, o que leva o nome de lipoescultura. Os locais mais comuns para a realização desta lipo são o abdômen, flancos, região lombar, cintura, culote, interno da coxa e joelhos.
Pós-operatório: são indicadas sessões de drenagem linfática, usar cinta modeladora por 30 dias e esperar esse mesmo período para retomar as atividades físicas. Dores, edemas (inchaço) e equimoses (hematomas) são normais e variam de acordo com a paciente.
Vantagem: pode ser realizado em diversas áreas do corpo em um único tempo cirúrgico.
Desvantagem: o período de recuperação costuma ser maior, se compararmos aos outros métodos de lipoaspiração. Hidrolipoaspiração (HLPA) A fim de facilitar a retirada das células de gordura, o profissional começa a intervenção infiltrando uma solução que reúne anestésico local diluído em soro fisiológico e vasoconstritor. Em seguida, é passado um aparelho de ultrassom na área, este será o responsável por fazer com que o líquido vibre e destrua as células adiposas. Desta forma, a gordura é retirada mais facilmente com cânulas similares àquelas utilizadas na lipoaspiração tradicional. Geralmente, é indicada para áreas pequenas, como abdômen inferior, culote, flancos, braços e face interna dos joelhos.
Pós-operatório: por um mês é preciso usar cinta modeladora e evitar as atividades físicas. Drenagem linfática também é bem vinda para acelerar a recuperação e amenizar os edemas.
Vantagem: quase não há hematomas e, por ser feita sob anestesia local, a paciente é liberada poucos minutos depois do procedimento.
Desvantagem: não trata áreas maiores em uma única sessão.

Vibrolipoaspiração
A cânula que aspira a gordura é ligada a um aparelho que provoca movimento vibratório de vai e vém. Essa movimentação causa um impacto sobre as células de gordura, que são rompidas e, por este motivo, mais fáceis de serem removidas. Assim como a lipo tradicional, costuma ser indicada para a região do abdômen, flancos, cintura, culote, interno das coxas e joelhos.
Pós-operatório: fazer sessões de drenagem linfática, usar cinta modeladora e evitar atividades físicas por um mês.
Vantagem: a vibração facilita a penetração da cânula no tecido adiposo, bem como a aspiração da gordura.
Desvantagem: o médico precisa ter muito conhecimento e controle do aparelho por conta da vibração provocada.

Circunferencial
Esta lipo é realizada na circunferência inteira de um membro, pernas ou braços. Com a lipo tradicional, a aspiração era feita apenas na face interna da coxa ou braços e, com essa evolução, é possível aspirar também a face anterior e posterior, diminuindo a grossura como um todo. Utilizando as mesmas cânulas da tradicional, estas são direcionadas em movimentos de vai e vem na diagonal. A principal indicação são as coxas.
Pós-operatório: é indicado usar cinta modeladora por 30 dias, tempo necessário também para retomar as atividades físicas. Fazer sessões de drenagem linfática também é importante nesse período.
Vantagem: como é possível fazer a lipoaspiração em toda a circunferência do membro, o resultado fica mais harmonioso.
Desvantagem: se não for bem indicada, pode provocar uma leve flacidez do tecido cutâneo.

Lipomioescultura

A principal diferença da lipomioescultura em relação às outras técnicas é que ela segue a linha dos músculos no momento da aspiração da gordura, e não movimentos de ida e vinda aleatórios. Ao ser realizado dessa forma, o colágeno é preservado e há menos chances de depreciações na pele. Para que isso seja possível, o profissional marca os músculos da região para nortear toda a cirurgia. Pode-se usar o vaser – um aparelho de ultrassom – que possui cânulas bem finas ou as cânulas tradicionais. A cirurgia é realizada em qualquer parte do corpo que permita a lipoaspiração tradicional.
Pós-operatório: recomenda-se o uso da cinta compressora por cerca de um mês e, no mínimo, dez sessões de drenagem linfática, após a liberação médica. Caminhar na esteira é liberado após dez dias e musculação, após 21 dias.
Vantagens: como há menos vasos sanguíneos destruídos, o sangramento é mínimo, assim como a dor, o inchaço e os hematomas. A retração da pele é maior, já que o colágeno é preservado, e há menos ondulações na pele.
Desvantagens: não há nenhuma contraindicação desde que a pessoa esteja bem de saúde.

Ultrassônica
A diferença nessa técnica é a presença do aparelho que emite ondas de ultrassom ligado à cânula. As ondas emitidas provocam a transformação da gordura para um estado líquido, como se fosse uma mousse, o que facilita a aspiração. A técnica é indicada, normalmente, para as regiões do abdômen e cintura.
Pós-operatório: a paciente precisa usar cinta elástica por 30 dias e só retomar as atividades físicas após esse período.
Vantagem: com esse procedimento, é possível remover a gordura com menos trauma nos tecidos subjacentes.
Desvantagem: uma vez que a célula de gordura é destruída ao ser aspirada, ela não pode ser reaproveitada para enxerto em outras partes do corpo, como bumbum.

Minilipoaspiração
Como o nome diz, essa lipoaspiração é realizada em áreas pequenas, em que se possa fazer a aspiração da gordura em uma ou mais etapas, com anestesia local. Por ser menor, essa técnica pode retirar apenas 2%, no máximo, do peso corporal. Indicado para áreas pequenas, como abdômen inferior, culote, flancos, braços e face interna dos joelhos.
Pós-operatório: a paciente pode retomar as atividades normais em sete dias.
Vantagem: o procedimento não é demorado e pode ser feito em consultório.
Desvantagem: não pode ser realizado em áreas grandes em uma única sessão.

Laserlipólise
Mais uma lipo que conta com uma artimanha para facilitar a retirada da gordura. Depois de infiltrada uma solução com adrenalina, bicarbonato de sódio e xilocaína 2%, é introduzida uma haste que emite laser em sua extremidade. O laser será responsável por destruir as células de gordura e contrair os vasos sanguíneos, permitindo que a lipoaspiração seja menos traumática e com menos sangramento. A técnica é mais comumente realizada no abdômen, bumbum, coxa e cintura.
Pós-operatório: após 15 dias a paciente está liberada para retomar as atividades, mas a cinta elástica deve ser usada por um mês.
Vantagem: por ser menos traumática, a intervenção tem menos chances de formar hematomas e edemas.
Desvantagem: a cirurgia é mais demorada e pode durar de 20 a 30 minutos.

Lipo de Beverly Hills
Antes de iniciar a técnica, o profissional faz a cartografia topográfica, que consiste em desenhar na pele um plano preciso de tratamento. É infiltrada, então, uma solução salina de lidocaína a fim de “alagar” os depósitos de gordura. Este processo destrói o tecido adiposo, além de facilitar a sua retirada com a cânula, que são mais finas, menores e estão ligadas a um aparelho de vibração. A cirurgia pode ser realizada em todas as partes onde há gordura localizada, inclusive rosto, tornozelo e costas.
Pós-operatório: nos primeiros dois dias há uma grande saída da solução anestésica e inchaço. As atividades físicas podem ser iniciadas de forma gradual e leve já no dia seguinte. A cinta elástica deve ser usada por, no mínimo, uma semana.
Vantagens: recuperação mais rápida e com menos dor.
Desvantagens: existe uma quantidade máxima de anestesia local permitida por peso, o que limita a quantidade de gordura a ser retirada. Mas o limite é o mesmo de 5% a 7% do peso corporal.

TESTE – A LIPO É PARA VOCÊ?
1) A lipo vai ajudá-la a…
A – Perder gorduras localizadas.
B – Sentir-se melhor com seu corpo.
C – Emagrecer 15 quilos.

2) Antes da cirurgia, você vai procurar um médico que…
A – Tenha habilidade, conhecimento e experiência comprovada.
B – Possua os mais modernos equipamentos tecnológicos.
C – Seja credenciado com o seu plano de saúde ou cobre menos.

3) Com a lipoaspiração, a melhor transformação será…
A – Na sua forma.
B – Na sua autoestima.
C – Na balança.

4) Quando é melhor operar?
A – No inverno, pois é preciso ficar afastada do sol. Sem falar que as cintas compressoras que usará depois esquentam um bocado.
B – A que o médico recomendar.
C – Um pouco antes de começar o verão para estrear o biquíni novo.

5) Está disposta a usar a cinta por, no mínimo, quinze dias?
A – Sim, pois elas servem para diminuir o inchaço depois da lipo. Portanto, se é para um resultado melhor, vou seguir as recomendações direitinho.
B – Será que é preciso mesmo?
C – Se me incomodar muito, simplesmente não uso e pronto.

6) Você acha que a lipo vai acabar com a celulite?
A – Não. Acho que a cirurgia não tem algo a ver com os furinhos. Quero fazer para acabar apenas com a gordura localizada. Se acabar, melhor.
B – Não consigo mais me olhar no espelho. Tomara que sim.
C – Assim, o médico dá um jeito rápido no que mais me incomoda.

7) Um dos motivos por ter escolhido fazer uma lipo é porque ela não é considerada uma cirurgia propriamente dita, das que precisam ser feitas em hospital, certo?
A – Errado. sei que a lipo é, sim, uma cirurgia. e, por isso mesmo, vou ter de fazer exames antes de seguir as recomendações médicas depois.
B – Não me importo com esses detalhes. Só quero me livrar dessa gordura na barriga que me incomoda.
C – Certo. Não gosto nem de pensar em hospitais. Por isso mesmo escolhi a lipoaspiração.

8 ) Quanta gordura você espera que seja retirada de uma vez só?
segundo informações do meu médico, o máximo que pode ser retirada é 7% do meu peso.

A – Mas por medidas de precaução, ele deverá retirar menos do que isso.
B – Não procuro saber desses detalhes para não me impressionar.
C – Espero que retire toda a gordura que me incomoda de uma vez só.

9) A lipo vai resolver todos os seus problemas com a balança?
A – Não. Também vou seguir uma dieta e fazer exercícios para emagrecer.
B – Não sei dizer, mas tomara que eu não precise fazer sacrifícios para ficar em forma total.
C – Espero que seja assim mesmo. Detesto dietas e ginástica. Além do mais, com a cirurgia, os resultados são mais rápidos.

10) Você está com seu peso normal, mas tem uma gordura localizada. O que faz a respeito?
A – Não tenho o que fazer, pois não perco a tal de jeito nenhum. Posso fazer ginástica, dieta, mas sempre sobra alguma que não sai nunca.
B – Não sei o que fazer com ela.
C – Perco depois de um tempo na academia e com uma dieta.

Maioria a… VOCÊ ESTÁ PRONTA
Você está ciente dos reais benefícios que a lipo pode proporcionar para você e sabe, também, das limitações do procedimento. Siga em frente. Mesmo sendo uma pessoa tão bem informada, dúvidas podem restar e, nesse caso, não hesite em perguntar ao seu cirurgião plástico.

Maioria B… QUE TAL ESPERAR MAIS UM POUCO?
Você tem muitos conhecimentos sobre a técnicas, mas talvez eles não sejam suficientes. Se você ainda não tem certeza de que este é mesmo o melhor a fazer, não custa nada esperar mais um pouco, se informar mais, conversar melhor com o cirurgião plástico e só operar quando tiver 100% segura.

Maioria C… A TÉCNICA NÃO É PARA VOCÊ
Pelo jeito, você anda muito mal informada. Talvez essa não seja a melhor maneira de solucionar o seu caso com a balança. A melhor coisa a fazer é conversar com o cirurgião plástico e abrir para ele as suas dúvidas, angústias e desejos e ele irá informar o melhor procedimento para o seu caso.