Você feliz com seu bumbum
Feliz com seu bumbum
31 de março de 2016
Rosto lisinho
Rosto lisinho com preenchimentos
31 de março de 2016
Mostrar Todos

Corpo sequinho com lipo: a técnica certa para cada caso

Corpo sequinho com lipo

a técnica certa para cada caso

Ela é uma das cirurgias mais procuradas pelas mulheres. E não é para menos, já que com a ajuda dessa técnica é possível livrar-se da gordura localizada e garantir um novo contorno corporal.

Por: Cibele Carbone

Seios fartos, bumbum arrebitado e cintura fininha. Esse é o shape dos sonhos de nove entre dez mulheres. Mas para desfilar por aí com a silhueta assim, é essencial que o corpo esteja livre de pneuzinhos. Mas vamos combinar que essa não é uma tarefa das mais fáceis, já que nem sempre a dupla dieta + exercício nos livra da gordura localizada. Justamente por isso é que a lipoaspiração – e suas variações – é umas das cirurgias mais procuradas pela ala feminina.  A base de todas elas é a mesma: “utiliza-se uma cânula bem fininha, que pode variar de acordo com a técnica escolhida, e é introduzida na região onde há o excesso de gordura. O instrumento aspira parte das células adiposas da região. A cirurgia não requer grandes cortes e, portanto, a cicatriz é pequena, similar a uma pinta”, explica o cirurgião plástico Luiz Victor Carneiro Junior (RJ). 

Corpo sequinho com lipoLipo, sim.

Dieta e atividade física também!

É preciso deixar claro que não é só porque a lipo elimina aquilo o que o esporte e o regime não conseguem eliminar, que esta dupla deve ser desconsiderada. Muitíssimo pelo contrário. Manter uma rotina saudável ajuda a conquistar melhores resultados na cirurgia e, depois, a manter o efeito da plástica. Afinal de contas, o resultado não é definitivo e quando menos se espera, a gordura pode se instalar na região novamente.
“A dupla atividade física + dieta tem, ainda, outro papel importante. Eles devem ser seguidos antes da cirurgia para ajudar na perda de peso. Lembre-se de que a lipo não é um procedimento de emagrecimento, já que pode extrair apenas 5% a 7% da gordura corporal – e, em algumas das técnicas, menos ainda”, alerta a cirurgiã plástica Elóida Ávila (SP).
Por isso, se estiver acima do peso, nem pense em fazer uma lipo. Trate de fazer as pazes com a balança antes de qualquer coisa.

Uma lipo pra chamar de sua!

Conheça cada uma das técnicas de lipoaspiração. Quem irá determinar qual a melhor para seu caso é o cirurgião plástico.

• Lipoaspiração tradicional

Essa é a primeira de todas, é a que deu origem às demais variações. Para esse procedimento, é utilizada uma cânula bem fininha (de três a quatro milímetros) que aspira o excesso de gordura. A técnica surgiu como uma opção de contorno corporal (e não emagrecimento) e, por isso, a gordura excedente retirada não ultrapassa 5% a 7%, no máximo, do peso corporal.
O material retirado pode ser enxertado em outra parte do corpo, normalmente o bumbum, o que leva o nome de lipoescultura. Os locais mais comuns para a realização desta lipo são o abdômen, flancos, região lombar, cintura, culote, interno da coxa e joelhos.

Pós-operatório: São indicadas sessões de drenagem linfática, usar cinta modeladora por 30 dias e esperar esse mesmo período para retomar as atividades físicas. Dores, edemas (inchaço) e equimoses (hematomas) são normais e variam de acordo com a paciente.

Vantagens: Pode ser realizado em diversas áreas do corpo em um único tempo cirúrgico.

Desvantagens: O período de recuperação costuma ser maior, se compararmos aos outros métodos de lipoaspiração.

• Hidrolipoaspiração 

A fim de facilitar a retirada das células de gordura, o profissional começa a intervenção infiltrando uma solução que reúne anestésico local diluído em soro fisiológico e vasoconstritor. Em seguida, é passado um aparelho de ultrassom na área, este será o responsável por fazer com que o líquido vibre e destrua as células adiposas. “Desta forma, a gordura é retirada mais facilmente com cânulas similares àquelas utilizadas na lipoaspiração tradicional. Geralmente, é indicada para áreas pequenas, como abdômen inferior, culote, flancos, braços e face interna dos joelhos”, explica o cirurgião plástico Rodrigo Otávio Carbone (SP).

Pós-operatório: Por um mês é preciso usar cinta modeladora e evitar as atividades físicas. Drenagem linfática também é bem-vinda para acelerar a recuperação e amenizar os edemas.

Vantagens: Quase não há hematomas e, por ser feita sob anestesia local, a paciente é liberada poucos minutos depois do procedimento.

Desvantagens: Não trata áreas maiores em uma única sessão.

• Circunferencial

Esta lipo é realizada na circunferência inteira de um membro, pernas ou braços. Com a lipo tradicional, a aspiração era feita apenas na face interna da coxa ou braços e, com essa evolução, é possível aspirar também a face anterior e posterior, diminuindo a grossura como um todo. Utilizando as mesmas cânulas da tradicional, estas são direcionadas em movimentos de vai-e-vem na diagonal. A principal indicação são as coxas.

Pós-operatório: É indicado usar cinta modeladora por 30 dias, tempo necessário também para retomar as atividades físicas. Fazer sessões de drenagem linfática também é importante nesse período.

Vantagens: Como é possível fazer a lipoaspiração em toda a circunferência do membro, o resultado fica mais harmonioso.

Desvantagens: Se não for bem indicada, pode provocar flacidez da pele.

• Laserlipólise

Mais uma lipo que conta com uma artimanha para facilitar a retirada da gordura. Depois de infiltrada uma solução com adrenalina, bicarbonato de sódio e xilocaína 2%, é introduzida uma haste que emite laser em sua extremidade. O laser será responsável por destruir as células de gordura e contrair os vasos sanguíneos, permitindo que a lipoaspiração seja menos traumática e com menos sangramento. A técnica é mais comumente realizada no abdômen, bumbum, coxa e cintura.

Pós-operatório: Recomenda-se o uso da cinta compressora por cerca de um mês e, no mínimo, dez sessões de drenagem linfática, após a liberação médica. Caminhar na esteira é liberado após dez dias e musculação, após 21 dias.

Vantagens: Como há menos vasos sanguíneos destruídos, o sangramento é mínimo, assim como a dor, o inchaço e os hematomas. A retração da pele é maior, já que o colágeno é preservado, e há menos ondulações na pele.

Desvantagens: Não há nenhuma contraindicação desde que a pessoa esteja bem de saúde.

• Lipomioescultura

A principal diferença da lipomioescultura em relação às outras técnicas é que ela segue a linha dos músculos no momento da aspiração da gordura, e não movimentos de ida e vinda aleatórios. Ao ser realizada dessa forma, o colágeno é preservado e há menos chances de depreciações na pele. Para que isso seja possível, o profissional marca os músculos da região para nortear toda a cirurgia. Pode-se usar o vaser – um aparelho de ultrasom – que possui cânulas bem finas ou as cânulas tradicionais. A cirurgia é realizada em qualquer parte do corpo que permita a lipoaspiração tradicional.

Pós-operatório: Após 15 dias a paciente está liberada para retomar as atividades, mas a cinta elástica deve ser usada por um mês.

Vantagens: Por ser menos traumática, a intervenção tem menos chances de formar hematomas e edemas.

Desvantagens: A cirurgia é mais demorada e pode durar de 20 a 30 minutos.