Corpo de manequim

00

Toda mulher quando criança sonha em ser modelo e viajar o mundo. A gente cresce e pedaço desse sonho continua, não na parte de seguir a profissão em si, mas em conquistar um corpo digno das passarelas. Veja aqui o caminho para ficar com pernas esguias, seios empinados e bumbum compacto. Depois, prepara-se para brilhar nas ruas como uma top

Por Lara Martins

Twiggi, Cindy Crawford, Claudia Schiffer já estiveram no imaginário feminino. Hoje, Gisele Bündchen, Isabeli Fontana e Carol Trentini são as tops com as curvas mais copiadas do momento. Com a ajuda da cirurgia plástica, algumas de nós consegue uma silhueta sequinha. Mas a maioria não! Nesses casos, é o próprio corpo quem coloca os limites. Afinal, algumas são mais altas, miúdas, mais largas, mais estreitas… E não adianta, uma mulher G, mesmo que não esteja acima do peso, não conseguirá medidas mignon. “As modelos têm um componente genético que predispõem àquela silhueta e tendência de não engordar. Dessa forma, a genética dos pacientes, seja pela tendência de acúmulo de gordura em locais indesejados, seja pela estrutura óssea e muscular, dificultam ao cirurgião conseguir o desejo quando querem aparentar certas pessoas da mídia”, explica o cirurgião plástico Eduardo Sitnoveter (RJ).
Mesmo com as limitações impostas pelo corpo, é possível você se inspirar nas modelos para conquistar um corpo próximo ao delas, sem deixar de levar em consideração suas características próprias, claro. O cirurgião sempre vai buscar o melhor resultado, porém nunca prometendo um milagre.
Isso dito e esclarecido, conheça as técnicas que permitem atingir um corpo como os das modelos, que são sempre indicadas pelo cirurgião plástico. “Cabe a nós indicar o melhor tratamento cirúrgico a quem nos incube tamanha responsabilidade”, lembra o cirurgião plástico Vagner Carvalho Rocha, da Bonica Clínica de Cirurgia Plástica (MG).

Seios petit e durinhos
Como chegar (quase) lá: Mamoplastia redutora
Nessa cirurgia, resolve-se o problema do tamanho, quando grandes demais (por excesso de glândula mamária ou tecido adiposo) e da flacidez local. Para a realização da técnica, o profissional faz uma incisão em forma de T invertido ou L, através da qual retira parte da glândula mamária, assim como da gordura e da pele excedentes. Em seguida, a glândula mamária é reposicionada no centro, dando uma melhor projeção e ajudando na ptose, e a aréola é reposicionada.
Cuidados necessários: nesse período de recuperação é preciso ter paciência, pois é indicado permanecer com os movimentos dos braços limitados por um mês, evitar esforços físicos por 60 dias e não se expor diretamente ao sol por três meses. Por dois meses, a paciente precisa usar o sutiã modelador a fim de ajudar na recuperação.
Efeito final: seios compactos e mais firmes. Depois de duas semanas, em média, quando o inchaço começa a regredir, o visual novo dos seios já podem ser notados. Porém é preciso esperar seis meses até que o quadro se estabilize completamente.
Preço: de R$ 5 mil a R$ 8 mil.

Barriga Negativa
Como chegar (quase) lá: abdominoplastia

A técnica atua em toda a região abdominal eliminando a flacidez muscular e da pele, além de eliminar o excesso de gordura. Ela é realizada através de uma incisão localizada um pouco abaixo da linha do biquíni (similar à da cesárea). A pele de todo o abdômen é, então, descolada de modo que o cirurgião tenha acesso à toda a musculatura, que é reacomodada. Retira-se o excesso de adiposidade e pele. O tecido é tracionado e reposicionado.
Cuidados necessários: o repouso no período do pós-operatório dessa cirurgia deve durar dez dias e de cinco a sete dias deve-se usar dreno abdominal. O retorno às atividades normais, bem como dirigir e trabalhar, só acontece após dez dias. Mesmo com a liberação, no entanto, é preciso evitar esforças físicos por 20 dias. As sessões de drenagem linfática, que ajudam na recuperação, precisam ser liberadas pelo cirurgião plástico, o que acontece depois de uma semana, em média.
Efeito final: a barriga fica sequinha e livre de flacidez. Esse efeito já pode ser notado após um mês, mas o resultado final só aparece depois de seis meses.
Preço: a partir de R$ 7 mil.

Braços fininhos
Como chegar (quase) lá: braquioplastia

“A lipoaspiração é o procedimento mais eficiente para diminuir a circunferência do braço. Quando além de gordura há excessode pele, é necessário um lifting braquial”, explica a cirurgiã plástica Dra. Kaísa Justo (RS). Para a realização da lipoaspiração, são feitos pequenos orifícios para entrada de cânulas finíssimas que serão responsáveis por aspirar gordura excedente. As incisões, normalmente, são feitas nas dobras das axilas. Após a aspiração, o cirurgião plástico utiliza a incisão na mesma região para retirar o excesso de pele.
Cuidados necessários: por uma a duas semanas, é preciso fazer repouso, sempre lembrando que os movimentos com os braços são restritos – não é possível levantá-los. O sol deve ser evitado por três meses e malhas modeladoras devem ser usadas pelo período determinado pelo médico (geralmente, por dois meses).
Efeito final: de 15 a 20 dias depois da cirurgia, a paciente já nota os braços mais finos, mas somente depois de seis meses é que ela poderá usufruir dos resultados definitivos dessa plástica.
Preço: de R$ 3 mil a R$ 4 mil.

Pernas Esguias
Como chegar (quase) lá: lipoaspiração circunferencial

A técnica utiliza a mesma cânula usada na lipo tradicional, o que muda é a maneira como é utilizada. O profissional trabalha a cânula, com movimentos de vai-e-vem, por toda a circunferência da coxa e não apenas uma das faces. Assim, garante-se um aspecto harmonioso. A lipo irá aspirar a gordura que está em excesso na região.
Cuidados necessários: assim como em outras técnicas de lipoaspiração, a paciente irá apresentar edemas, equimoses e um pouco de dor no pós-operatório – mas a quantidade desses sinais varia de acordo com o organismo
regride com o tempo. Para ajudar na recuperação, é indicado usar cinta modeladora por cerca de 30 dias, tempo necessário também para retomar as atividades físicas. Fazer sessões de drenagem linfática também é importante nesse período.
Efeito final: o aspecto esguio, delineado e afinado do membro aparece já nos primeiros meses, mas o resultado definitivo vem após seis meses.
Preço: de R$ 6 mil a R4 10 mil.

Não entre na neura!
Sim, as modelos têm corpos lindos. Mas não ter um corpo esbelto como o delas não é e nem deve ser o fim do mundo. O problema é que ao tentar incansavelmente
conquistar um corpo como o delas, você pode se tornar uma eterna insatisfeita e o resultado será desastroso. “As mulheres partem em busca de um ideal de beleza irreal e acabam por desenvolverem um quadro depressivo, prejudicando ainda mais a forma de se enxergar e lidar com seu corpo real”, analisa a psicóloga Luciana Kotaka (PR). E a partir do momento que se perde o referencial do que é possível dentro de sua própria estrutura corporal, surgem os distúrbios de imagem. Os mais comuns são a anorexia nervosa (perturbação na percepção e na sua forma corporal) e bulimia nervosa (ocorrem episódios recorrentes de descontrole alimentar com tentativas de não ganhar peso através do uso de laxantes, diuréticos e vômitos autoinduzidos).
Preste atenção no seu comportamento, pois a partir do momento em que o desejo de chegar a um modelo ideal sacrifica o corpo, já se tornou um distúrbio. O segredo é ver própria imagem como única e bela do jeito que é, aprendendo a valorizar o que você tem de melhor. “Cada ser humano é único e que não pode, não deve e nem precisa ser igual a ninguém. A cirurgia plástica é capaz de verdadeiros milagres, mas deve respeitar o corpo humano e a sua beleza natural”, complementa a cirurgiã plástica Kaísa Justo (RS). Mas nós, mulheres mortais, não estamos sozinhas nessa vontade de dar um “CTRL C + CTRL V” no corpo das modelos. Muitas atrizes e cantoras (todas lindas, a propósito) entram nessa e o final pode não ser dos mais felizes: distúrbios de imagem. Veja alguns exemplos (algumas são assumidas, outras não, mas as imagens dizem por si só).

Dieta de top model
Sabemos decor e salteado que para controlar o peso, a alimentação deve ser bem equilibrada, saudável e livre de calorias vazias. A nutricionista Fernanda Basso (SP) dá dicas para enxugar os quilinhos extras

> Dê preferência aos alimentos assados, cozidos ou grelhados
Cada vez que você frita uma carne, ela absorve muita gordura e ganha cerca de 35 calorias”, alerta a nutricionista.
> Beba no mínimo dois litros de água por dia
O líquido hidrata o corpo, ajuda a eliminar toxinas e gorduras pelos rins, melhorando a pele e auxilia no tratamento da celulite e flacidez. Além disso, “engana” o estômago, dando a sensação de saciedade.
> Mastigue bem os alimentos
Esse processo permite que a chegada do alimento ao estômago seja lenta, o que implica em maior tempo para o órgão enviar uma mensagem de saciedade para o cérebro, diminuindo, assim, a vontade de comer em excesso”, complementa a nutricionista Fernanda Basso.
> Coma frutas, verduras e legumes
Elas devem estar presentes na maioria das refeições, pois são de baixa caloria, fornecem fibras e ajudam a matar a fome.
> Acelere o metabolismo
Alguns alimentos aumentam a queima de calorias. São eles: gengibre, chás verde, branco e mate, café, pimenta.
> Fuja dos alimentos formadores de gases
Refrigerantes e bebidas gaseificadas, feijão, frituras, enlatados, carne vermelha e embutidos, como salame, salsicha e mortadela, deixam a “barriga estufada”.
> Evite alimentos gordurosos
A gordura possui uma digestão mais lenta e permanece por mais tempo no trato gastrointestinal, favorecendo o aumento de seu volume.
> Não beba muito líquido durante as refeições
Eles dilatam as paredes do estômago estufando a região abdominal e dando a impressão de que a barriga é maior.
> Coma alimentos diuréticos
Durante o processo de perda de peso, como erva doce, salsão, coentro, berinjela e endivias, alho, limão, cebola, salsa, hortelã, abacaxi, melancia e maracujá.