31 verdades e mentiras sobre plásticas
1 de janeiro de 2010
Botox X preenchimento. Qual o melhor?
1 de janeiro de 2010
Mostrar Todos

Cinturinha de Barbie

Item indispensável na estrutura do corpo violão, tão apreciado pelas brasileiras, a cinturinha fina nunca sai de moda. Prova disso é que as técnicas que ajudam a conquistá-la estão entre as mais procuradas nas clínicas de tratamentos estéticos. Selecionamos as melhores opções para você alcançar esse objetivo de maneira rápida, com ou sem a ajuda do bisturi

Por Patrícia Affonso

Exibir uma cintura sequinha está entre os ideais das mulheres mais vaidosas desde os tempos das nossas tataravós. Quem não se lembra, por exemplo, dos torturantes espartilhos com estrutura de metal, muito usados no século 18, para acinturar os vestidos com base volumosa? A justificativa para essa admiração, capaz de atravessar gerações, é muito simples. “A cintura bem marcada é um dos principais indicativos da feminilidade. É ela quem torna o tronco da mulher mais delicado e, assim, diferente do corpo masculino”, comenta o dermatologista Amilton Macedo (SP ), especialista em prática ortomolecular e um dos médicos que cuida do corpão da apresentadora Sabrina Sato. As principais medidas para conseguir as desejadas curvas na região da cintura já são velhas conhecidas: a adoção de uma dieta balanceada e a prática regular de atividade física são a dupla ideal para conquistarmos uma cinturinha de fazer inveja a Barbie. No entanto, nem sempre esses cuidados são suficientes para modelar o corpo do jeitinho que desejamos – tem gordurinhas que insitem em ficar lá, intactas, bem na região abdominal! Se esse é o seu caso, não precisa desanimar: graças aos avanços da tecnologia, já existem várias técnicas com ótimos resultados para essa área. Confira a seguir as melhores opções e comece agora a planejar uma transformação na silhueta.

Lipoescultura
O que é: é uma técnica que une a lipoaspiração com a enxertia de gordura. As células adiposas que são retiradas da paciente são enxertadas em outras regiões do corpo, como bumbum. “É uma opção interessante, pois um quadril mais harmônico, conseguido com a realocação da gordura, dá a impressão de uma cintura ainda mais fina. Mas dá para preencher também outros locais, como a face e as depressões na parte externa das coxas”, conta o cirurgião plástico Naif Thadeu (SP).
Como funciona: a cirurgia é feita sob anestesia local ou peridural combinadas com sedação. O primeiro passo do procedimento é inserir uma cânula de pequeno ou médio porte nas incisões que levam até a camada de gordura localizada abaixo da pele. O médico faz movimentos de vai-e-vem para descolar a gordura e fazer a sua sucção com o auxílio de aspirador que fica ligado a cânula. As células adiposas são tratadas e enxertadas no local desejado, também com o auxílio de cânulas.
Vantagens: deixa cicatrizes pequenas, com aproximadamente meio centímetro de extensão.
Desvantagens: de acordo com o cirurgião plástico Fabrício Ribeiro, da Clínica Perfetta (SP), o lado negativo é o pós-operatório. “É um processo dolorido, que requer repouso, além de acarretar inchaços e manchas temporárias”, diz o especialista.
Restrições: pacientes com condições adversas de saúde, que são detectadas nos exames préoperatórios. Esse procedimento também não é indicado para pessoas que estão muito acima do peso e com a pele muito flácida.

Apollo Tripollar
O que é: tratamento realizado com um aparelho que utiliza radiofrequência de terceira geração. Diferente das anteriores, que eram menos seletivas, essa tecnologia emite ondas de calor que se concentram na derme, aumentando o metabolismo das gorduras. Além disso, estimula a produção e a síntese do colágeno, nutriente que dá sustentação às células, mantendo as unidas e firmes. “Uma vez que não superaquece a camada superficial da pele, esse tratamento não causa desconforto. É bem tranquilo”, diz o dermatologista Amilton Macedo.
Como funciona: é aplicado um óleo mineral ou glicerina sobre a região da cintura, para facilitar o deslizamento do aparelho na pele. Na sequência, o especialista posiciona o cabeçote do Tripollar na região a ser tratada e faz uma sequência de movimentos circulares e lentos, que mantêm a área aquecida.
Número de sessões: são indicadas de 4 a 6 sessões, sendo realizada apenas uma por semana.
Vantagem: melhora bastante o aspecto da pele, deixando-a mais firme e lisinha. “Por isso, é muito procurado no período pós-parto por aquelas mamães que já perderam os quilinhos extras e agora querem combater a flacidez da cintura”, conta o Dr. Amilton.
Desvantagem: não é tão eficaz quando o objetivo da paciente é a redução de medidas. Nesse caso, atua melhor se combinado com outros tratamentos estéticos.
Restrições: não pode ser realizado em mulheres grávidas, lactantes e que tenham marca-passo ou tumores.

Manthus
O que é: equipamento que une três tecnologias de uma só vez – ultrassom, correntes elétricas e eletroporação – para amenizar a gordura localizada de qualquer região do corpo, inclusive da cintura. Sua eficácia se dá porque o aparelho promove ondas de calor que aumentam o metabolismo local e ajudam a queimar gordura, ativa o sistema linfático e também abre os poros, facilitando a penetração de princípios ativos de produtos como os cremes redutores, por exemplo.
Como funciona: o aparelho possui um cabeçote grande, que é colocado diretamente sobre a pele, após aplicação de gel (o mesmo que é usado no exame de ultrassonografia). “Também são feitos movimentos circulares e lentos, que não se concentram por mais de 5 minutos em cada local, para não ocorrer um superaquecimento na região que está recebendo o tratamento”, explica o dermatologista Amilton Macedo.
Número de sessões: para resultados satisfatórios, o ideal é fechar um pacote que contemple entre 6 e 10 sessões. Mas vale ressaltar que já a partir da terceira sessão é possível notar uma boa melhora na circunferência da cintura.
Vantagem: dá aquela acelerada na queima de gorduras. Em algumas sessões você já vai sentir suas roupas caindo melhor.
Desvantagem: ao contrário do Tripollar, esse tratamento não atua na firmeza do tecido cutâneo.
Restrições: grávidas, pacientes com diabetes (sujeito a avaliação), além de portadoras de marca-passo, pinos ou placas metálicas na região a ser tratada.

Power Shape
O que é: tratamento que combina três tecnologias na mesma aplicação. Com a radiofreqüência, ele ajuda a combater a flacidez, o sistema lipolaser quebra as células de gordura facilitando sua eliminação pela urina ou fezes e a sucção a vácuo melhora a circulação sanguínea e linfática.
Como funciona: a pele recebe um gel mineral que facilita as manobras do aparelho, sempre feitas de forma suave e lenta, em movimentos de vai e vem. A paciente tem a sensação de aquecimento local, porém sem exagero. Nas mais sensíveis, a pele pode ficar um pouco avermelhada,voltando ao aspecto normal logo após a sessão.
Número de sessões: de 6 a 8, conforme o caso.
Vantagem: uma vez que combina três técnicas, o aparelho atua sobre várias frentes. Vai ajudar a perder medidas e, ao mesmo tempo, a firmar a pele da cintura. “A redução de medidas varia entre 1 e 3 centímetros por sessão”, conta o dermatologista Amilton Macedo.
Desvantagem: é um dos tratamentos não-invasivos com custo mais alto.
Restrições: gestantes, pacientes com marca-passo, câncer sistêmico e implantes metálicos. Também não pode ser feito em áreas do corpo onde foi feito preenchimento cutâneo definitivo.

Intradermologia
O que é: consiste na aplicação de enzimas na pele por meio de injeções.
Como funciona: depois de analisar as necessidades da paciente, é indicada uma combinação de até seis substâncias. “É muito comum o uso de componentes como cafeína e lipossomas de girassol , que auxiliam na ruptura das células de gordura, da colina e L-carnitina, que aceleram o metabolismo e da lidocaína, que além de anestésico age como vasodilatador facilitando a eliminação da gordura”, explica a dermatologista Juliana Delia de Aguiar, da Clínica Beauty House (SP).
Número de sessões: pelo menos 10, sendo uma por semana.
Vantagens: o grande trunfo da intradermoterapia são os resultados visíveis e a ausência de efeitos colaterais, uma vez que as substâncias chegam à corrente sanguínea em concentrações muito baixas e que não causam alterações. “Na segunda sessão já dá para perceber a redução de medidas. Algumas pacientes perdem até 6 centímetros na quinta aplicação e o resultado é ainda melhor com a associação de outros tratamentos”, garante.
Desvantagens: é um tratamento invasivo, feito com o uso de agulhas (ainda que bem fininhas), instrumento temido por muita gente.
Restrições: pacientes com distúrbios sérios de coagulação, disfunção na tireóide e com alergia a determinados fármacos utilizados.

Celutec
O que é: endermologia vibratória que age na remodelação da gordura.
Como funciona: a pele é preparada com a aplicação de um gel-creme que contenha ativos para o auxílio no combate à gordura localizada. Depois, o cabeçote é colocado sobre a região, onde promove uma espécie de massagem com movimentos circulares (360º) e vibratórios.
Número de sessões: em média, são necessárias, 10 sessões.
Vantagem: modela as curvas porque mobiliza as áreas com concentração excessiva de gordura e não provoca flacidez.
Desvantagem: para quem está um pouquinho acima do peso, não dá bons resultados sem associação. Isso porque o aparelho não ajuda a eliminar a gordura, apenas a distribui de maneira mais uniforme.
Restrições: pessoas com infecções no local da aplicação e gestantes.

Convoque seus aliados!
Dedicando alguns minutinhos do seu dia à aplicação de produtos específicos para a redução de medidas, você pode acelerar e até mesmo melhorar os resultados do tratamento. Existem vários componentes que ajudam na batalha contra os pneuzinhos: cafeína, chá verde, mentol, retinol, castanha da índia, dentre outros. Um dos segredos do sucesso está na aplicação correta. “É importante massagear a área por, pelo menos, cinco minutos com movimentos ascendentes e firmes, de baixo para cima”, ensina a dermatologista Valéria Marcondes (SP). Os melhores horários para esse ritual de beleza são: logo após o banho, quando os poros se abrem e absorvem melhor os ativos, e antes de dormir para que a permanência do produto na pele seja duradoura. Escolha já o seu!

Agora é com você!
Fracione suas refeições. O ideal são seis, ao longo dia, sempre com porções moderadas. “Quando a alimentação é fracionada, o organismo entende que será abastecido periodicamente e não precisa fazer reservas em forma de gordura abdominal”, esclarece a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional (SP).
Beba muita água! Esse hábito mais do que saudável ajuda a combater a retenção hídrica e a eliminar as toxinas acumuladas no organismo.
Evite as bebidas gasosas. Líquidos como refrigerante e cerveja, que deixam o abdômen estufado e não beneficiam o organismo.
Esqueça os carboidratos. Troque eles e os alimentos ricos em açúcar refinado pelas versões integrais. “Elas são digeridas de forma mais lenta, prolongando a sensação de saciedade e auxiliando no controle de peso”, afirma Roseli Rossi.
Nada de sentar ou caminhar curvada. “Além de prejudicar a saúde, a má postura leva o corpo a acomodar a gordura abdominal para frente”, conta a professora de Pilates Letícia Vasconcellos,da Fórmula Academia (SP ). E com a barriguinha saliente, não há cintura fina que segure o visual dentro daquele vestido tubinho.
Não tem tempo para academia? Que tal dar um passeio na hora do almoço ou trocar o elevador pelas escadas da empresa? “Para as pacientes que não se exercitam indico o uso de um aparelho chamado pedômetro, que mede a quantidade de passos dados durante o dia”, diz o cirurgião plástico Naif Thadeu. Ele explica que com 10 a 12 mil passos diários a pessoa não se enquadra mais no grupo dos sedentários.
Aposte nas cintas compressoras. Com elas, dá para se sentir mais segura naquelas ocasiões que pedem uma roupa mais justinha.

Importante: escolha o tamanho certo. Cintas muito apertadas podem prejudicar a circulação.