Massagem contra TPM
23 de novembro de 2012
25 dicas para se manter longe das rugas
26 de novembro de 2012

Nada como uma cintura fininha para poder aproveitar o verão do jeito que a gente gosta – com biquínis sensuais e roupas bem coladas ao corpo. Para isso é preciso que ela esteja sem aquelas gordurinhas saltando, certo? Confira a seguir quais as melhores técnicas para reduzir os pneuzinhos da região

POR MALU BONETTO

Solução no bisturi

Nos casos em que a gordura localizada é em maior quantidade, o mais indicado é a plástica. Afinal, o resultado aparece logo após o final do período pós-operatório, ou seja, em cerca de dois meses.

Lipoaspiração

Como é: realizada sob anestesia geral ou bloqueio. Através de incisões de 0,5 cm feitas na região suprapúbica e crista ilíaca (todas escondidas na marca do biquíni), o médico introduz a cânula que vai lipoaspirar a gordura da região.

Pós-operatório: usar cinta compressiva por 30 dias, não fazer exercícios por 21 dias. Deve-se fazer drenagem linfática e ultrassom a partir do quinto dia após a cirurgia, para reduzir o inchaço e melhorar a recuperação.

Resultado: o resultado final aparece em três meses.

Lipoabdominoplastia

Como é: sob anestesia geral, realiza-se a lipoaspiração de dorso, flancos e abdômen. Depois se faz uma incisão na região púbica por onde se descola todo o abdômen. “Em seguida, é realizada a plicatura dos músculos abdominais para marcar mais a cintura da paciente”, explica o cirurgião plástico Marcelo Moreira (RJ).

Pós-operatório: usar cinta compressiva por cerca de 30 dias. Deve-se fazer drenagem linfática e ultrassom a partir do quinto dia após a cirurgia, para reduzir o inchaço e melhorar a recuperação.

Resultado: já no primeiro mês nota-se uma diminuição da cintura e melhora na harmonia corporal, em seis meses.

Vibrolipoaspiração

Como é: sob anestesia deve ser geral ou peridural, infiltra-se soro fisiológico, adrenalina e anestésico local no tecido adiposo. As células de gordura são aspiradas por uma cânula fina e que vibra, facilitando a retirada da gordura, causando menos trauma na região.

Pós-operatório: requer uma semana de repouso, deve-se usar cinta compressiva por 45 dias, fazer drenagem linfática três vezes por semana e evitar exercícios físicos durante um mês. Geralmente os pacientes voltam às suas atividades entre três e dez dias.

Resultado: um mês após a cirurgia já é possível notar a cintura mais fininha, mas o resultado final aparece só em três meses.

Tratamentos menos Invasivos

Manter uma alimentação balanceada e realizar exercícios físicos são atitudes essenciais para ter um corpo bacana e a saúde em dia. Mas em alguns casos isso não é suficiente para exibir uma barriguinha sequinha. Nessas situações, os tratamentos estéticos podem se tornar ótimos aliados.

Celutrat

Como é: fabricado pela EquilíbrioMED, esse aparelho age através da endermologia, que promove uma sucção formando uma prega cutânea entre dois rolos motorizados que por sua vez realizam um massageamento. “Assim que ele massageia o tecido adiposo da sucção, causa uma prega cutânea e isso combinado ao massageamento feito através dos roletes causa a quebra da célula gordurosa indesejável, ou seja, diminuindo seu tamanho e com isso o excesso da mesma, sendo assim é liberado através do sistema linfático e consequentemente junto ao processo causa a liberação de toxinas não desejáveis ao organismo, desencadeando um processo natural do organismo na eliminação de sobrecarga no tecido adiposo, não só isto como também age trazendo uma reorganização do tecido adiposo desta forma uma nova modelagem corporal”, explica a fisioterapeuta dermato-funcional Valéria de Oliveira Fontes (PR).

Número de sessões: são indicadas no mínimo dez sessões, sendo duas a três sessões semanais com duração mínima de 30 minutos cada, com intervalo de 36 horas entre elas.

Resultado: a partir da terceira sessão já se vê os resultados no aspecto da pele e na redução de medidas e em média é perdido de 6 a 10 centímetros nas dez sessões realizadas. Após as 10 sessões realizadas, recomenda-se uma sessão de manutenção a cada 30 dias.

Preço: de R$ 50 a R$ 80, cada sessão.

Manthus

Como é: fabricado pela KLD Biosistemas, o manthus associa o ultrassom, a corrente estereodinâmica, e a polarizada que auxilia na introdução de princípios ativos, por exemplo, produtos redutores. “O ultrassom promove uma efetiva redução do volume da célula de gordura, através do esvaziamento do seu conteúdo lipídico por alteração de permeabilidade. Ao mesmo tempo, a corrente estereodinâmica ativa o sistema linfático que aumenta consideravelmente a velocidade de captação desse conteúdo retirado da célula, conseguindo eliminá-lo através das vias de metabolização”, explica a fisioterapeuta dermatofuncional Maira Moro (SP). O resultado desse aumento do metabolismo local e drenagem é a redução da gordura localizada, inclusive nos locais mais difíceis de eliminá-la como a cintura.

Número de sessões: são indicadas, em média, de seis a dez sessões, realizadas de duas a três vezes por semana.

Resultado: a partir da terceira sessão nota-se uma boa melhora na circunferência da cintura e ao final do tratamento é possível eliminar até 10 centímetros.

Preço: de R$ 80 a R$ 150, cada sessão.

Ares + Hooke

Como é: a combinação da tecnologia desses dois aparelhos fabricados pela Ibramed (SP) permite tratar ao mesmo tempo a flacidez de pele (através da radiofrequência Hooke) e a gordura localizada (através da carboxiterapia ARES). Primeiro aplica-se o Hooke por cerca de 10 minutos na área a ser tratada para que ele aqueça a pele entre 40° e 42°C, o que resulta em uma pele mais firme já na primeira sessão. “Em seguida, aplica-se a carboxiterapia Ares na qual o CO2 medicinal age diretamente no tecido adiposo e estimula fortemente a lipólise liberando gordura para o consumo metabólico”, explica a fisioterapeuta dermatofuncional Estela Sant’Ana, pesquisadora da Ibramed (SP).

Número de sessões: são indicadas de oito a dez sessões de Hooke a cada 10 dias e de oito a doze sessões de Ares uma a duas vezes por semana. O tratamento pode ser intercalado ou combinado na mesma sessão.

Resultado: a partir da sexta sessão nota-se a cintura mais delineada e pode-se perder cerca de cinco a seis cm em aproximadamente dois meses de tratamento.

Preço: R$ 150 a R$ 300, cada sessão.

VelaShape II

Como é: distribuído pela Skintec (SP), este aparelho une quatro tecnologias: a suave pressão negativa, massagem mecânica, radiofrequência e infravermelho. “A sinergia entre a luz infravermelha e a radiofrequência aquece os tecidos profundos da hipoderme, acelerando o metabolismo das células de gordura, que por sua vez perdem volume”, explica a fisioterapeuta Cristine Harada, consultora técnica da Skintec. O aumento de temperatura também gera uma contração das fibras elásticas e o estímulo da produção de colágeno, reduzindo a flacidez e melhorando a textura da pele. “A sucção é empregada para aumentar a vascularização da região tratada e a massagem mecânica, feita por roletes, manipula os tecidos produzindo uma drenagem linfática”, complementa.

Número de sessões: são indicadas, em média, seis sessões que devem ser realizadas uma vez por semana.

Resultado: já na primeira sessão nota-se uma acentuada redução da celulite e remodelação corporal. Mas ao término do tratamento a silhueta estará muito mais harmoniosa.

Preço: R$ 250, em média, cada sessão.

LipoFocus

Como é: fabricado pela Bioset / Top Laser, este equipamento é indicado para quem quer um corpo modelado. “Este ultrassom cavitacional focalizado de alta intensidade destrói as células de gordura. Depois se passa a ponteira de drenagem estéreo dinâmica para potencializar a modelagem da cintura através do esvaziamento das células adiposas”, explica o dermatologista Jauru Nunes de Freitas (SP).

Número de sessões: cinco, com intervalo de dez dias.

Resultado: é possível eliminar até 12 centímetros na região.

Preço: R$ 300, em média, cada sessão.

Criolipólise

Como é: o aparelho puxa, por sucção, e segura a gordura entre seus dois painéis, resfriando por uma hora. “Quando se congela a área escolhida, as membranas das células de gordura do local são danificadas, levando-as naturalmente à autodestruição ou apoptose, num período de seis a oito semanas. Gradualmente, as células do sistema linfático acabam eliminando a gordura degradada entre seis e oito semanas seguintes”, explica a dermatologista Kátia Lutfi , do Spa Kauai (SP). Essa gordura é liberada lentamente pelo sistema linfático e é metabolizada no fígado, mas sem comprometer o seu funcionamento.

Número de sessões: são indicadas de uma a três sessões que devem ser realizadas no intervalo de seis a oito semanas.

Resultado: a cada sessão elimina-se de 20% a 25% de gordura.

Preço: sob consulta

Camufle suas dobrinhas

As cintas compressoras podem ser uma boa pedida para camuflar os pneuzinhos enquanto a cinturinha de pilão não aparece. Ingrid Brum, da Esbelt Lingerie (SP), aconselha que na hora de comprá-las se atentar e optar pelo tamanho correto, pois ela deve proporcionar uma leve compressão de forma bem agradável, evitando qualquer aperto excessivo. “Uma dica importante é exigir que a cinta modeladora tenha registro na ANVISA, pois é uma garantia que o modelador esta dentro das especifi cações técnicas exigidas pelo órgão competente”, alerta Fernanda Tibúrcio, da Doron Malhas Compressivas (SP). Já Rosana Garcia, da Yoga (SP), diz que as cintas modeladoras devem ser usadas diariamente, pois assim possibilitam reduzir medidas, acentuar a cintura, prevenir e combater celulite e gorduras localizadas já que a compressão das malhas proporciona uma massagem, ativando a circulação sanguínea periférica. Mas os benefícios não param por aí: elas induzem a formação do colágeno, a instalação dele sobre os tecidos musculares de forma alongada e modelada, além de corrigir a postura.