O fim da linha
23 de maio de 2018
Delícias saudáveis: três receitas de hambúrgueres com poucas calorias
28 de maio de 2018
Mostrar Todos

Bumbum, paixão nacional

Poder desfilar tranquilamente de biquíni ou com aquela roupa bem justinha e exibir um bumbum perfeito é o sonho de todas nós mulheres. Não é à toa que, para fortalecer os glúteos, passamos horas na academia praticando exercícios de agachamento e quatro apoios com caneleiras pesadíssimas. Mas com a correria do dia a dia está cada vez mais difícil conseguir um tempinho na agenda para malhar, e é aí que as cirurgias plásticas se tornam aliadas.

Ideal para quem quer volume, projeção, melhora dos contornos e até corrigir alguns defeitos genéticos do derrière, a gluteoplastia de aumento é realizada sob anestesia geral ou peridural, o cirurgião faz a incisão (de aproximadamente cinco centímetros) na linha superior entre os glúteos para inserir as próteses de silicone, que ficarão localizadas dentro do maior músculo da região, chamado glúteo máximo, e assim a prótese ganhar um resultado mais natural. Durante o pós-operatório, a paciente deve evitar esforços físicos ou apoiar muito peso sobre a zona operada por 30 dias, manter dieta saudável com abundante ingestão de líquidos para ajudar a eliminar o inchaço e retomar as atividades físicas após três meses mediante liberação médica. Apesar de já no primeiro dia depois do procedimento se perceber um volume a mais nos glúteos, o resultado definitivo nota-se no terceiro mês quando o bumbum terá um contorno muito mais harmonioso.

ESCOLHA DA PRÓTESE

Antes de tudo, deixe de lado o pensamento de que aquela prótese que ficou maravilhosa na sua amiga ficará também em você. Cada mulher tem um determinado biótipo, e entender isso é fundamental para a escolha do tipo e tamanho do implante. “É o seu médico que vai analisar as características da pele, dimensões do quadril e estimar a massa muscular e a necessidade de formato, projeção, dimensões e volume do implante”, explica o cirurgião plástico Celso Boechat, Chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Municipal Barata Ribeiro (RJ). Já quando falamos nos volumes mais desejados pelas brasileiras, segundo dados da Silimed, o primeiro é o de 350 ml, depois o de 300 ml e o terceiro colocado é o de 240 ml.

CADA MODELO, UM RESULTADO

Oval
• Apresenta base oval
• Projeção alta
• Superfície do implante lisa opaca

Redondo
• Apresenta base redonda
• Gel consistente para região
• Superfície do implante lisa brilhante

ESCLARECENDO AS PRINCIPAIS DÚVIDAS

Sabendo que é normal ter algumas dúvidas em relação ao procedimento, pedimos ao cirurgião plástico Tiago Lyrio (RJ) que esclarecesse as principais dúvidas de quem pretende se submeter à intervenção.

Não poderei tomar injeção no bumbum após o implante de glúteos?
Não é recomendável tomar injeção nos glúteos para evitar que a prótese seja perfurada, mas há outros lugares que ela pode ser aplicada, como o braço.

Se eu não gostar do resultado, posso voltar a trás?
O ideal, para evitar essa situação, e que durante as consultas pré-operatórias o cirurgião esclareça todas as dúvidas da paciente e converse sobre as expectativas dela. Mas, caso isso aconteça, é possível a retirada dos implantes de silicone dos glúteos porém é importante entender que a região operada sofrerá modificações após as duas cirurgias (inclusão do implante e retirada do implante).

É verdade que terei que trocar as próteses de silicone depois de dez anos?
Geralmente a troca não é necessária mesmo porque os implantes de glúteos hoje são mais resistentes, e duram em média 20 anos. Assim como nos casos da cirurgia das mamas, é necessário realizar exames periódicos para avaliar a necessidade de troca dos implantes dos glúteos.

As drenagens linfáticas são mesmo fundamentais no pós-operatório?
Não só são importantes como obrigatórias porque permitem uma melhora da dor, uma recuperação mais rápida e impede a formação de fibrose (áreas endurecidas), que dão um aspecto irregular à superfície.

Tenho que usar malha compressiva depois da cirurgia?
Assim como as sessões de drenagem linfática, o uso de malha compressiva é fundamental, já que ajudam na redução do inchaço e retração da pele, acomodam melhor os tecidos submetidos a descolamentos e remoção de gordura. Elas devem ser usadas por 24 horas no primeiro mês e por 12 horas consecutivas no segundo mês. Também recomendo o uso de botas de compressão pneumáticas durante a cirurgia e sete dias após o procedimento para melhorar o fluxo sanguíneo e diminuir o risco de trombose.

Como escolher o cirurgião plástico?
Na hora de procurar um médico, opte por um que lhe inspire confiança e credibilidade. Para começar a busca, leve em consideração indicação de amigos e parentes. Na primeira consulta com o cirurgião plástico, converse com os pacientes na sala de espera, pergunte o que acharam do profissional, como foi a cirurgia, se estão ou não satisfeitos… Peça também para ver fotos de antes e depois de outras cirurgias para ver se os resultados lhe agradam, tire todas as suas dúvidas, mesmo aquelas que você achar mais insignificantes, pois elas nunca são. E, claro, verifique se o profissional é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br), pois isso é um certificado de que ele está apto para atuar, já que o cirurgião passa por uma série de avaliações antes de se tornar membro.

Colocando implante vou eliminar a flacidez dos glúteos e amenizar a celulite?
Cada paciente apresenta um perfil de corpo e graus diferentes de flacidez, por isso é importante avaliar cada caso, mas normalmente há uma melhora considerável na flacidez da região.

A gluteoplastia pode ocasionar estrias?
Isso não acontece com muita frequência, pois os implantes são colocados em um compartimento intramuscular, ou seja, estão protegidos pelo músculo e não estão diretamente em contato com a pele. Caso a paciente já apresente estrias, essas não serão eliminadas, pois não retiramos pele, mas há, sim, uma melhora na aparência delas.