Daniela Albuquerque
23 de setembro de 2016
Nocaute na Celulite e Gordurinhas
23 de setembro de 2016
Mostrar Todos

Bisturi sem mistérios

Quando o assunto é cirurgia plástica, nada mais natural do que milhares de dúvidas rondarem nossa cabeça. Mas pode ficar tranquila porque nós conversamos com especialistas na área e eles nos responderam (tim-tim por tim-tim) às principais questões feitas pelas candidatas à cirurgia plástica.

Por: Lela Malzone

1. O bom resultado da cirurgia plástica depende dos cuidados da paciente no pós-operatório? 

“Este é um dos pontos importantes para uma boa recuperação e, consequentemente, para se obter bons resultados. Seguindo as orientações médicas à risca, evitam-se diversos problemas que podem comprometer a cirurgia.  A falta de cuidados no pós-operatório possibilita uma maior chance de complicações como hematoma, seroma, fibroses, manchas, rompimento dos pontos, dores, irregularidades na pele, entre outros, além de permitir um resultado insatisfatório. A desobediência ou indisciplina da paciente em relação às orientações médicas pode causar ainda complicações à saúde, já que podem evoluir a eventos mais graves”, explica o cirurgião plástico André Eyler (RJ).


2. O sol é o maior inimigo dos pós-operatórios?

Realmente deve-se evitar ao máximo a exposição solar durante o pós-operatório para que as equimoses não se prolonguem e, até mesmo, acabem resultando em manchas irreversíveis. “Além disso, é preciso lembrar que o calor excessivo ajuda a piorar o quadro de edema, deixando o corpo mais inchado ainda”, comenta o cirurgião plástico Rodrigo Otávio Carbone (SP).

3. Quem coloca próteses de silicone muito grandes corre risco de ficar com estrias?

“Sim, existe o risco das próteses de silicone muito grandes provocarem o aparecimento de estrias devido ao excesso de estiramento da pele, que acaba por romper as fibras elásticas. Esse rompimento causa cicatrizes na pele, que são as estrias. No entanto, elas ocorrem frequentemente nas mamas que não são flácidas. Isso porque as mamas flácidas, em geral, possuem mais sobra de pele e, deste modo, a prótese preenche essa ‘sobra’, o que não causa um estiramento muito amplo do tecido cutâneo”,  fala o Dr. André Eyler.

bisturi14. O lifting facial irá me deixar sem expressão?

Claro que não! As expressões faciais são decorrentes da atividade da musculatura local e uma cirurgia não promove alteração na função desses músculos mas, sim, retira o excesso de pele.

5. A gordura enxertada na lipoescultura é absorvida?

Em parte, é, sim, absorvida. “O organismo pode absorver até 50% da gordura que foi enxertada, mas tudo depende da área em que a cirurgia foi realizada e da técnica utilizada. Por isso, é muito importante que a paciente converse com o cirurgião plástico para deixar claro quais suas expectativas quanto ao resultado da cirurgia e se é possível atingi-la com a ajuda do enxerto de gordura”, fala o Dr. Rodrigo Otávio Carbone.

6. A lipoaspiração deixa a pele flácida?

Vai depender muito do tipo de pele da paciente. Caso ela tenha pouca elasticidade cutânea, pode ser que a região fique um pouco flácida. Mas a maioria das mulheres tem uma retração de tecido. “Também é preciso que a paciente siga as orientações médicas no pós-operatório para evitar a flacidez e a ondulação da região aspirada”, ensina o Dr. André Eyler. Entre as recomendações estão o uso de cinta pós-cirúrgica por no mínimo 45 dias e submeter-se a sessões de drenagem linfática.

7. Os seios podem crescer depois da redução mamária?

Podem, já que a cirurgia de redução mamária preserva os tecidos glandular e adiposo (gordura). Portanto se houver aumento destes tecidos por estímulo hormonal (gravidez e lactação, por exemplo) ou por aumento de peso, os seios aumentarão de volume.

8. Quem tem silicone no bumbum não pode tomar injeção nessa região?

Isso é verdade. Não é recomendável tomar injeção nos glúteos para evitar que a prótese seja perfurada, mas há outros lugares que ela pode ser aplicada, como o braço.

9. A blefaroplastia pode causar problemas na visão?

“Se for bem conduzida, a plástica das pálpebras – que tem como objetivo retirar o excesso de pele e de gordura das pálpebras – não interfere em nada na visão e na função palpebral”, explica o Dr. Rodrigo Otávio Carbone.

10. O cigarro compromete a cirurgia plástica?

Muito! Como a nicotina prejudica a cicatrização, oxigenação dos tecidos e circulação sanguínea nas áreas operadas, é recomendável parar de fumar duas semanas antes e depois da cirurgia. Além disso, a tosse do fumante pode provocar rompimento dos pontos, dor, necrose e sofrimento dos tecidos por trombose.

11. A rinite melhora com a rinoplastia?

A rinite é processo alérgico que pode ser desencadeado por alergia a substâncias diversas, como pólen ou ácaros, e deve ser avaliada e tratada por médico especialista na área. Portanto, a rinoplastia não interfere em nada na melhora ou piora desse quadro alérgico.