Naturalmente linda!
28 de julho de 2016
Pão doce light
28 de julho de 2016
Mostrar Todos

Beleza sem Fronteiras

Traços mais suaves e harmônicos é o principal objetivo das pessoas que buscam as cirurgias plásticas étnicas.

Por:  Malu Bonetto

Nem sempre ouvir que você é bem parecida com seus pais é um elogio. Isto porque algumas pessoas acham que os olhos poderiam ser mais redondinhos, os lábios mais carnudos e o nariz mais fininho, por exemplo. E é para esses casos que a cirurgia plástica étnica pode reverter a herança genética sem descaracterizar a origem de cada um.

beleza_1Rinoplastia

O nariz negróide caracteriza-se pelo dorso baixo, asas narinárias bastante abertas e ponta larga. Para estes caso, o mais indicado é a rinoplastia para deixar o rosto com os traços mais delicados e melhorar a função respiratória. “A principal causa das características do nariz negróide é a fragilidade das cartilagens, que são muito pouco desenvolvidas. Sabemos que as cartilagens que estruturam o nariz também são importantes na função respiratória”, explica o cirurgião plástico Rodrigo Mangaravite (RJ).

Como é feita: após uma criteriosa avaliação, o cirurgião decidirá se é mais indicado a rinoplastia aberta ou fechada. Ambas são realizadas sob anestesia geral e se diferem no local onde são feitas as incisões. Na aberta, são feitas na columela, haste que fica entre as narinas, na ponta do nariz, e no interior das narinas, em forma da letra “V”. Já na rinoplastia fechada, as incisões são dentro das narinas, que se tiverem ex-cesso de tamanho, serão diminuídas, ou se o formato for o problema, serão moldadas. Nos dois casos, se for preciso diminuir a largura do nariz, são feitas incisões nas laterais externas para dar o novo formato. Por fim, os tecidos são reposicionados e o corte é fechado com alguns pontos. “Como a pele é muito grossa, o resultado final pode demorar até um ano, mas, mesmo apesar do inchaço, o paciente consegue visualizar uma grande melhora já nos primeiros dias sem o curativo”, complementa.

Cuidado pós-operatório: o nariz é mantido imobilizado com um splint metálico e esparadrapo por cerca de 10 dias. As atividades normais podem ser retomadas cerca de 15 dias após a cirurgia, já as que podem causar traumas (pancadas, batidas etc.) devem ser evitadas por aproximadamente dois meses.

Qual a diferença entre a rinoplastia étnica e a convencional?

O procedimento em si é semelhante ao da rinoplastia convencional, mas nos africanos, normalmente, a pele da ponta nasal é mais grossa, pouco definida e projetada. Portanto, algumas vezes se faz necessário aumentar o dorso do nariz e esculpir a ponta nasal.



Ocidentalização

A ocidentalização das pálpebras é uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelos jovens orientais, pois parte deles apresenta a pálpebra superior lisa e sem a dobra. Mas engana-se que pensa que ela é realizada somente por questões estéticas, já que com o passar dos anos o excesso de pele pode ser prejudicial à visão.

Como é: “sob anestesia local associada à sedação leve, o cirurgião plástico faz uma incisão logo acima dos cílios e no epicanto (região onde pálpebra superior e inferior se encontram, próximo ao nariz) onde cria-se o sulco supratarsal (a dobrinha logo acima dos cílios) e corrigi-se a dobra no epicanto”, explica o cirurgião plástico Fernando Bianco (RJ). Imediatamente após a cirurgia, nota-se a pálpebra superior com características ocidentais com naturalidade, mas se torna mais evidente à medida que o edema some. “Só é preciso deixar bem claro que, uma vez ocidentalizada a pálpebra, não é possível retornar às características orientais, caso o paciente se arrependa.”

Cuidado pós-operatório: os pontos são retirados em torno do quinto dia após a cirurgia, e em uma semana a paciente já pode retornar às atividades normais, usando óculos escuros e evitando exposição ao sol. Geralmente, o pós-operatório é indolor, dispensando na maioria das vezes o uso de analgésicos. O paciente não precisa ser internado, fica com os olhos um pouco inchados na primeira semana, mas após três dias do procedimento já pode voltar ao trabalho. Apesar do resultado final da pálpebra só aparecer por volta do terceiro mês e o do nariz no sexto, durante o pós-operatório já nota-se que os traços orientais estão amenizados, mas não apagados.

Qual a diferença entre ocidentalização e blefaroplastia?

A única semelhança entre essas duas cirurgias é que elas são feitas na região orbitária. A blefaroplastia tem como objetivo rejuvenescer a região periocular, já que tira o excesso de pele e gordura que normalmente estão presentes por causa do processo de envelhecimento normal. Na cirurgia de ocidentalização, é refeito o sulco palpebral ausente nos orientais e arredondada a fenda palpebral.


beleza_2Dê o truque!

Se você não quiser recorrer ao bisturi, faça da maquiagem sua aliada e siga as dicas da beauty artist Luciana Pacheco, do Salão Menta Pimenta (SP):

Para afinar o nariz: aplique um pouco de sombra marrom ao redor das narinas em um traço reto para deixar o meio em evidência. Depois é só aplicar sua base e sombra prediletas e tentar destacar os olhos para não focar muito na área que pretende amenizar.

Para arrebitar o nariz: opte por cores mais escuras nas laterais da narina, e mais claras na ponta. Faça a aplicação de uma sombra marrom, mesmo sobre o vinco que faz o contorno da narina, como se estivesse arrastando para o lado exterior. Quem possui a pele mais escura, em vez de aplicar uma cor mais escura no contorno, deve simplesmente iluminar os arredores, para dar a impressão de profundidade.

Para ocidentalizar os olhos: evite usar lápis preto na linha interna dos cílios porque tende a diminuir mais ainda o olho, opte pelo branco ou bege. Nas pálpebras móveis, aposte no degradê de sombras: uma mais clara na parte interna do olho e uma mais escura na parte externa. Aplique uma sombra iluminadora na parte superior da pálpebra e um pouco na inferior e abuse do curvex e da máscara para cílios com efeito volume.