A fórmula dos seios perfeitos

00

Quem pensa que os cirurgiões plásticos reduzem ou aumenta m os seios das pacientes baseando-se apenas no bom senso ou no pedido da MULHER , está enganada. Existe um cálculo que eles fazem para descobrir qual a posição certa para mamas harmoniosas . Confira a seguir como é feita

Ter os seios iguais aos daquela atriz ou aos da amiga pode ser o parâmetro usado por algumas mulheres que desejam fazer cirurgia plástica para mudar o visual dessa região. Mas a escolha por um “modelo” de seio não é tão simples assim! Antes de tudo, é preciso lembrar que cirurgia é coisa séria e o seu resultado não pode ser baseado em apenas uma fotografia. Durante a sua consulta com o cirurgião plástico, ele fará uma série de perguntas e irá tirar várias medidas dessa parte do seu corpo. Depois, baseando-se nessas informações, o médico levará em consideração fatores como peso, altura e largura do tórax para chegar a conclusão sobre qual o tamanho dos seios que mais se adapta à sua estrutura.

Naturalidade acima de tudo
Este é o objetivo da mamoplastia, seja de aumento ou redutora. Afinal, ninguém precisa ficar sabendo que você se rendeu a cirurgia plástica! Antes da intervenção é preciso analisar o biótipo e as referências anatômicas da paciente (o sulco mamário, mamilos, osso esterno e clavícula), além da escolha do tamanho e perfil da prótese a ser utilizada. “O cálculo não é matemático, mas subjetivo, sendo que os parâmetros para escolha do tamanho das próteses são diretamente proporcionais a altura da paciente e largura do tórax e inversamente proporcionais ao volume inicial das mamas”, explica o cirurgião plástico Rogério Gomes (SC). Para chegar ao resultado personalizado, esse estudo analisa as referências anatômicas, características físicas dos implantes e sensibilidade do cirurgião. “Com esta análise é possível evitar o deslizamento lateral – aquela aparência de que a mama está nas axilas, especialmente quando a paciente esta deitada – e o posicionamento muito baixo, que confere aspecto de mamas caídas”, complementa o Dr. Rogério.

Atenção na escolha das próteses!
Os preenchimentos mais utilizados no Brasil são de silicone sólido, solução salina (neste caso as prótese são colocadas vazias e depois, com uma seringa, é preenchida com soro até chegar ao tamanho desejado) e gel de silicone (o mais utilizado e menos propício a ruptura). Quanto à textura, as próteses podem ser lisas (as primeiras que surgiram), texturizadas ou de poliuretano. As duas últimas têm a superfície irregular e rugosa, o que ajuda a evitar a contratura capsular. Em relação aos modelos, há os perfis alto, baixo e anatômico. O baixo é indicado para as mulheres que têm tórax largo, pouco volume nos seios e excesso de pele; o alto proporciona maior projeção e são muito utilizados em quem tem pouca glândula mamária e tórax mais estreito; e o perfil anatômico, em forma de gota, é mais utilizado nos casos de reconstrução mamária. Já os tamanhos das próteses variam de 60 ml a 500 ml e os mais utilizados estão entre 200 ml e 300 ml.“Lembre-se que o novo tamanho dos seios será a soma da mama pré-existente e do volume do implante. Dessa maneira, a definição do volume envolve o desejo da paciente, mas também a capacidade de acomodação do implante, segundo a aparência física da paciente”, alerta o cirurgião plástico Vitório Maddarena (SP).

SEIOS NOVOS E PERFEITOS

AUMENTE COM. . . PRÓTESES DE SILICONE
O que é: sob anestesia local, é feita a incisão inframamária (embaixo das mamas), axilar (nas dobras da axila) ou areolar (ao redor da aréola) por onde as próteses serão colocadas embaixo da glândula mamária ou sob o músculo peitoral. Após o posicionamento do implante, o local é suturado com fi os absorvíveis e cola cirúrgica.
Pós-operatório: há inchaço e possíveis manchas roxas na região, mas são reações normais que regridem com o tempo. Para auxiliar o processo de cicatrização e amenizar os hematomas, a paciente precisa permanecer com os curativos e usar o sutiã modelador por 30 dias. Não é aconselhável fazer movimentos bruscos com os braços e dormir sobre as mamas nos primeiros 45 dias. Exercícios físicos peitorais só podem ser feitos após três meses.

DIMINUA COM. . . MAMOPLASTIA REDUTORA
O que é: através de uma incisão na parte debaixo da mama e outra saindo da base até a aréola, em formato de T invertido, o tecido mamário é reposicionado e o excesso de pele retirado. A cirurgia dura cerca de três horas e é realizada com anestesia local ou geral.
Pós-operatório: nos primeiros 15 dias, a pessoa deve contar com o auxílio de outra pessoa na hora de tomar banho e lavar os cabelos para não forçar os movimentos. Deve ainda usar um sutiã compressor e os exercícios só estão liberados depois de um mês.

OS PERIGOS DA SOBRECARGA
Chegar ao volume certo da prótese de silicone também é algo que deve ser bem pensado. Além do cálculo que os médicos estão acostumados a fazer, eles pesam os prós e os contras de cada volume.


PRÓTESES DE 125 A 250 ML

Indicação: para as pacientes magras e baixas com pouco seio, ou pacientes de média estatura com volume intermediário.
Riscos: pode causar hematomas e infecções.


DE 250 A 400 ML

Indicação: pacientes que desejam tamanho maior de mamas.
Riscos: dependendo da estrutura da paciente, o peso pode interferir na postura e até causar dores lombares. É preciso analisar a quantidade de pele para evitar a formação de estrias.


DE 400 ML A 700 ML

Indicação: pacientes altas, com biotipo grande e pouca mama.
Riscos: a região lombar fica sobrecarregada e as articulações podem ser desgastadas precocemente. Também há maior probabilidade de desvio de coluna e estrias.


ACIMA DE 700 ML

Indicação: como o resultado ficará artificial, é indicado somente para quem de fato quer aparecer por causa dos seios.
Riscos: o tamanho da prótese pode causar atrofia das glândulas mamárias e perda de sensibilidade dos seios.