Os segredos de uma deusa
30 de abril de 2012
Óleos que emagrecem
30 de abril de 2012
Mostrar Todos

5 ideias para um abdômen duro e sequinho

Lipoaspiração, abdominoplastia, tratamento estético, cosméticos poderosos e até receita caseira… A partir de agora você irá conhecer quais são as armas que estão ao seu alcance para mandar gordurinhas e flacidez embora e desfilar com a barriga que sempre sonhou

Por Fabiana Torquato

Miniabdominoplastia – Livre da flacidez e gordura de uma só vez

É indicada para quem já emagreceu tudo o que podia, eliminou a gordura do
corpo por completo, mas não há jeito de a barriga ficar lisinha, chapada, porque embora não haja gordura ali, é a flacidez de pele o grande incômodo que encobre o abdômen. Agora, para o médico avaliar se a indicação é de uma miniabdominoplastia vai depender do grau de flacidez e excesso de pele a serem removidos. “Não há milagre: para retirar a pele é preciso cortar e a cicatriz será tanto maior quanto maior for a flacidez e o excesso de pele. Logo, a miniabdominoplastia é para casos de flacidez mínima e excesso de pele mínimo, o que é a minoria dos casos”, alerta o cirurgião plástico André de Freitas Colaneri.

Mas o cirurgião plástico Miguel Sorrentino (RJ) levanta outra consideração a ser feita a respeito dessas técnicas que vão além da quantidade de flacidez local: “Quando a paciente ainda deseja ter filhos, a opção se fará preferencialmente pela técnica de miniabdominoplastia, pois na abdominoplastia, além do grande descolamento e da grande remoção de tecido, geralmente se faz uma plicatura e reaproximação dos músculos retos abdominais, o que além de ser perdido se houver gravidez posterior, ainda pode prejudicar a expansão abdominal para que o feto se desenvolva”, alerta o especialista. Em casos onde a concentração de flacidez é pequena, o cirurgião plástico Alberto Birman (RJ) recomenda a abdominoplastia com incisão de miniabdominoplastia. “Para isso, recomendo a técnica de arquear a incisão, na região pélvica, praticamente o corte de uma cesareana, aumentando, aproximadamente uns três dedos em cada lateral.” A pele é solta do músculo e tracionada para baixo. “Na abdominoplastia total, solta-se a pele até quase na altura das mamas, amarra-se toda extensão do músculo do abdômen e a pele é retirada até o umbigo. Por isso, o umbigo é remodelado. Na miniabdominoplastia, a pele é solta apenas até o umbigo e se retira um fuso de pele bem menor, sendo a musculatura também amarrada apenas até o umbigo”, compara o Dr. André de Freitas Colaneri.

A cirurgia dura em torno de duas horas para a miniabdominoplastia e três para a abdminoplastia total. Sendo que no primeiro caso a paciente recebe alta no mesmo dia, e no segundo, 24 horas depois. O uso da cinta compressiva é obrigatório por 30 a 45 dias e o exercício físico deve ser evitado por todo este período. A drenagem linfática e o ultrassom são indicados por, pelo menos, dez sessões cada um. O retorno ao trabalho se dá em no mínimo sete dias, no caso da miniabdominoplastia e 14 dias, no caso da abdominoplastia total, mas o ideal é esperar 21 dias. Agora, o desenho do abdômen chapado acontece a partir de três meses.

Ultra-contour – Tecnologia antigordura

É um aparelho que combina ultrassom e drenagem linfática, atuando em duas fases: “Na primeira ocorre a quebra das células de gordura através da aplicação do ultrassom focalizado de alta intensidade. Na segunda, os resíduos gerados pela destruição das células de gordura são rapidamente drenados para o sistema linfático, permitindo assim a sua eliminação e processamento pelo sistema metabólico natural do corpo”, explica a dermatologista Juliana Neiva, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Por isso, o tratamento é indicado para quem deseja perder gordura localizada na região da barriga. Embora a redução de medidas seja variável, de um modo geral, a perda de gordura na cintura já na primeira sessão é de cerca de 2 cm. O desenho do abdômen aparece na sexta semana de tratamento (são indicadas seis sessões, uma sessão por semana).

Máscara de argila – Opção econômica

A esteticista Marília Gonçalves, do Zahra Spa & Estética (SP), ensina a seguir como fazer uma receita caseira de uma máscara a ser feita três vezes por semana com um tipo de argila (vermelha, amarela e verde) a cada vez, e aplicada na região do abdômen para combater a gordura localizada. “Esses ingredientes são os mesmos que usamos no spa porque eles têm o poder de contribuir para a queima de gordura corporal, melhorar a circulação sanguínea e por essa razão ajuda a eliminar a celulite, reduzir medidas e ainda nutrir os tecidos com sais minerais.” O resultado começa a aparecer a partir da sétima sessão, mas o sonho do abdômen chapado tende a se concretizar depois de quatro semanas, pois são três sessões semanais, o que dá ao todo 20 sessões.

Receita Caseira:

Ingredientes: ½ xícara de chá de açúcar; ½ xícara de chá de hidratante corporal; 1 xícara de argilas (vermelha, amarela ou verde – cada dia da semana faça com uma argila diferente); atadura de crepe (faixa) e chá verde (o sufi ciente para amolecer a argila).
Modo de fazer: misture o açúcar ao hidratante corporal que costuma usar. Reserve. Dilua a argila no chá verde até ficar uma mistura homogênea, com a consistência de um mingau.
Modo de aplicação: use a primeira mistura no abdômen, fazendo movimentos circulares com pouca pressão, com o objetivo de esfoliar a região. Enxágue. aplique a segunda mistura com a ajuda de um pincel em toda região do abdômen (barriga e flancos), enrole a atadura bem firme e deixe agir por 20 minutos. Enxágue.

Leia a matéria completa na Plástica & Beleza n°125