Pare de esperar o príncipe encantado!
1 de junho de 2010
Nicole Bahls – O corpo do futuro
27 de junho de 2010
Mostrar Todos

Quanto antes, melhor!

Quanto antes, melhor!
A partir dos primeiros anos, e com a orientação do odontopediatra, os pais já podem (e devem!) levar seus filhos para uma consulta com o ortodontista. Nessa primeira visita, que deve ser aos seis anos, são avaliados fala, postura da língua e outras questões da arcada dentária. A partir dos cinco anos, já é possível a utilização do aparelho ortodôntico para o tratamento de correções para a má formação dentofacial. “Os tratamentos mais indicados nessa faixa etária são os ortopédicos que tratam os ossos e os músculos da face com a fi nalidade de corrigi-los, necessitando continuidade em um segundo momento com aparelhos ortodônticos. A duração é em torno de 18 meses para a primeira fase”, esclarece ortodontista Cássio Selaimen (RS). O cuidado precoce beneficia o crescimento e o desenvolvimentoda criança, “o tratamento de problemas esqueléticos ainda na dentadura de leite ou durante o início da troca dos dentes é mais estável, mais fácil, evita extrações de dentes e até cirurgias”, complementa.

Não esconda seu sorriso
Hoje, quem precisa se submeter a algum tratamento ortodôntico pode sim sorrir sem vergonha. Uma das técnicas mais modernas é o chamado bráquete autoligado, que não prende o fio com uso de borrachas e sim, por uma “portinha” de metal. Associado a eles, utilizam-se os fi os de memória. “Eles liberam forças lentamente durante todo o tratamento, fazendo com que o tratamento seja praticamente indolor, e as consultas podem ser mais espaçadas, pois como o fio tem memória, não há necessidade de ativação mensal”, explica a ortodontista Silvana Bonin, da recéminaugurada Clínica Uniorto Pompéia (SP).

Ai , meu dente!
Quem nunca sofreu de dor de dente que atire a primeira escova! Essa é uma das piores sensações que qualquer pessoa pode sentir. Mas por que isso acontece? Simples! Os dentes são estruturas vivas como qualquer parte do nosso corpo. Eles são constantemente agredidos pela nossa alimentação, por conta do alto nível de açúcar que ingerimos. As bactérias presentes em nossa boca agem sobre o açúcar, que por sua vez produz ácidos que atacam a camada dura que protege os dentes, se isso ocorre, a degeneração se espalha, causando inflamação no canal e dor.

Chiclete clareador funciona?
Na verdade, quase nada. “Eles liberam agentes clareadores, como o peróxido de hidrogênio, na superfície dos dentes da mesma forma que os outros clareadores, isto é, oxidando pigmentos presentes na superfície do esmalte, só que com eficiência bem menor”, alerta o cirurgião-dentista Lauro Delgado (SP). Mas é preciso deixar claro que a eficiência e duração do clareamento promovido por esses chicletes e por clareadores de aplicação tópica (comprados em farmácias) são muito menores do que o clareamento realizado no consultório e supervisionado por um profissional. “E caso a pessoa tenha cárie, lesões gengivais ou infecções, poderá ter o quadro agravado pela irritação causada pela ação do clareador presente no chiclete, se consumido em excesso.”

Qual a melhor escova para mim?
Não é fácil decidir qual o tipo de escova usar, já que o mercado oferece inúmeros tipos, formatos e tamanhos. Mas o ideal é dar preferência às escovas macias porque são mais eficientes na remoção da placa bacteriana e os resíduos de alimentos, e de cabeça pequena para poder alcançar mais facilmente todas áreas da boca, como, por exemplo, os dentes posteriores. “Também é importantíssimo que ela seja trocada a cada três meses ou quando começa a ficar desgastada. Além disso, é muito importante saber que não se deve compartilhar escova de dente com outras pessoas, ainda que de convívio muito próximo, pois pode haver transmissão de doenças”, alerta o cirurgiãodentista Flávio Luposeli (SP).

Insatisfeita com o tamanho dos dentes?
Se esse for um problema que atrapalha a beleza do sorriso, o ideal é recorrer à odontologia estética para resolvê-lo.
Dentes pequenos: o recurso com melhor resultado é a lâmina de porcelana ou de resina. “Com essa técnica, é possível modificar a altura e a largura. Faz-se um pequeno desgaste dos dentes, aprofundando-os um pouco nas laterais e nas pontas. Depois é feito o molde, que é levado ao laboratório de prótese”, explica o cirurgião-dentista Flávio Luposeli (SP). Após alguns dias, o dentista faz a colagem das lâminas de porcelana definitivas com sistemas adesivos sobre o dente em questão.
Dentes grandes: para acabar com essa insatisfação, especialmente quando o mal afeta os dentes da frente, os dentistas costumam fazer desgastes mínimos seguidos de polimentos especiais. Quando o caso é muito severo, o desgaste dos dentes e confecção de facetas de porcelana em tamanho adequado é fundamental para se ter um resultado excelente.


Apneia + bruxismo = dupla perigosa

De acordo com estudo apresentado pela American College of Chest Physicians, uma em cada quatro pessoas que sofrem de apneia do sono também tem bruxismo. “Provavelmente a relação aconteça por causa dos microdespertares que ocorrem logo após uma apneia, para restaurar o fluxo de ar e que vem acompanhado de uma série de eventos orais como ronco, engasgamentos, resmungos e ranger de dentes” diz o dentista Eduardo Rollo Duarte (SP). Durante a pesquisa, o bruxismo foi mais comum em homens do que em mulheres: 43% contra 31%. Os altos níveis de ansiedade podem levar ao bruxismo e a apneia do sono que é reconhecida como responsável por alterações no humor.

Atenção com as frutas
Segundo pesquisa da Universidade de Washington (EUA), as frutas naturais e secas entram para o grupo dos inimigos da saúde bucal. Isto porque elas provocam uma fermentação que favorece a proliferação de bactérias relacionadas à formação de cáries e à inflamação da gengiva. Segundo o dentista Arthur Martins Sequeira (RJ), quando o açúcar entra em contato com a placa bacteriana se formam ácidos, que serão responsáveis pela saída de minerais do dente. Assim, quanto mais açúcar em um alimento, maiores as chances de que ele provoque o surgimento de cáries. Por isso, escove os dentes após comer uma fruta!


ODONTOGERIATRIA

Com o aumento da expectativa de vida dos brasileiros, segundo o IBGE já ultrapassa os 72,8 anos, a procura por profissionais especializados em odontologia para a terceira idade também aumentou afinal, ter um sorriso bonito e uma mastigação perfeita é essencial para qualquer idade. Pedimos à especialista em implantodontia Ana Maria Amadio Rodrigues, do Spa Odonto de Americana (SP), explicar um pouco mais sobre esta especialidade odontológica.
O que é odontogeriatria?
Especialidade da odontologia que trabalhacom pacientes com mais de 60 anos. Trata-se de uma nova especialidade odontológica que tem como objetivo prevenir doenças bucais que podem aumentar os riscos de doenças sistêmicas em idosos.
Qual a importância desse profissional?
Ele aconselha os pacientes em relação à prevenção de doenças, exacerbação de doenças já existentes e perda de dentes que acontecem durante o envelhecimento. Entre as
principais doenças estão diabetes, osteoporose, artrite, artrose, problemas cardiovasculares e endócrinos.
Qual a vantagem de se tratar com um odontogeriatra?
O profissional com esta especialização tem seus estudos voltados para o melhor atendimento desses pacientes, ou seja, conhece as necessidades específicas deles e as mudanças que ocorrem na dentição com o passar dos anos, quando as mucosas ficam mais sensíveis e flácidas, ocorre a diminuição ou alteração do fluxo salivar devido ao uso de medicamentos, ocasionando a boca seca, diminuição na percepção dos sabores, perda de dentes por causa da cárie e a doença periodontal.
Quais os problemas mais comuns que acomentem os pacientes dessa faixa etária?
Gengivites (inflamações da gengiva e sangramentos), perda de dentes, má função mastigatória, ocasionando dores de cabeça e periodontites (inflamação da gengiva com amolecimento dos dentes).
Quais os tratamentos mais realizados na odontogeriatria?
Destacam-se a prevenção que inclui limpeza geral dos dentes e raspagem de tártaro, tratamento gengival e implantes, que são procurados por quem perdeu um ou mais dentes. Esta técnica nada mais é que um microcilindro de titânio que é colocado para substituir a raiz dos dentes perdidos, os diversos tipos se diferenciam na etapa da colocação da prótese que pode ser imediata ou ser três meses após a cirurgia. E as próteses dentárias que, de uma maneira geral, substituem os dentes naturais perdidos.
Quais cuidados típicos para pacientes dessa idade?
Consultas periódicas com seu dentista para exames completos e limpeza dos dentes a cada 4 meses, escovar pelo menos três vezes ao dia com creme dental com flúor e usar fio dental pelo menos uma vez ao dia.