Como se destacar no trabalho
1 de julho de 2010
Beleza & Cia
1 de julho de 2010
Mostrar Todos

Sorriso +Q perfeito

Cuidados redobrados durante a gestação
Durante a gravidez, há um aumento significativo dos hormônios progesterona e estrógeno, o que acarreta mudanças fisiológicas e imunológicas no organismo da gestante – daí a vulnerabilidade pelo aparecimento de algumas doenças periodontais. A gengivite, por exemplo, afeta entre 30% e 100% das gestantes. “As alterações gengivais têm início por volta do segundo mês de gestação e se intensificam progressivamente, em paralelo ao aumento hormonal que ocorre do quarto ao nono mês. Pacientes gestantes devem ser informadas que o tratamento periodontal pode prevenir resultados indesejáveis na gravidez”, explica o cirurgião- dentista Bruno Novaes (SP). De um modo geral, as gestantes que têm doença periodontal devem ser tratadas durante o segundo trimestre da gravidez, evitando os efeitos inconvenientes hormonais acentuados em seu início, como enjoos e tonturas. “A prevenção e a educação sobre saúde bucal, o uso de fio dental diariamente, as orientações sobre a técnica de escovação e sua realização após as refeições são importantes em qualquer época, mas durante a gravidez têm de ser observados com mais cuidado ainda”, ressalta.

Cuide do seu pequenino
Antes mesmo de começar a nascer os primeiros dentinhos do seu fi lhote, é muito importante manter a higienização correta da boca do pequeno com escova própria para a idade dele e pasta totalmente livre de fl úor. Especialistas alertam que o excesso de flúor pode causar problemas na formação do esmalte dental – uma doença conhecida como fl uorose dentária. Além disso, muitas crianças engolem a pasta durante a escovação, o que pode causar também problemas no estômago. Melhor não correr o risco!

Ponteira sem som
Se você é daquelas que só de pensar em ir ao dentista já lembra daquele barulhinho irritante das brocas, vai adorar as pontas ultrassônicas CVDentus, da CVDVale, empresa nacional de alta tecnologia. Elas possuem uma pedra única de diamante e foram desenvolvidas visando a preservação das estruturas dentárias e tratamentos minimamente invasivos, sem o tradicional barulho das brocas tradicionais e com menos dor. “As pontas de diamantes oferecem também mais precisão e eficiência e não corta tecidos moles”, afirma a cirurgiã dentista Lilian Alarça (SP). Apesar das vantagens, as novas pontas ultrassônicas não substituirão as brocas rotatórias em todos os procedimentos.

Dentes extrafortes desde cedo
A ingestão de flúor, presente na água de abastecimento das cidades em quantidades perfeitamente seguras, é muito importante para compor uma estrutura dental mais resistente. Após o nascimento dos dentes, a questão nutricional também é muito importante. “Alimentos pastosos tendem a aderir ao esmalte do dente, já os fibrosos (como maçã, alguns legumes) auxiliam na remoção da placa bacteriana por causa da própria consistência da fibra do alimento que promove uma ‘varredura’ nos dentes, deixando-os mais limpos”, explica a dentista Claudia Sanchez, da Sorridents (SP). Mas, além disso, devem ser introduzidos cuidados locais, como escovação, uso diário de fio dental e enxaguatório. Mesmo com todos esses cuidados, a visita periódica ao dentista é imprescindível para a perfeita manutenção da saúde bucal.

Lançamentos
As escovas de dente são as grandes responsáveis por um sorriso branquinho e bem limpinho. Mas para que cumpram bem sua função, elas devem ser trocadas assim que as cerdas começam a ficar esgarçadas, o que que ocorre após cerca de três meses de uso.
Confira a seguir algumas opções bacanas:
1. Escova ATA com 4060 cerdas, CURA PRO X Swiss, R$ 15. Possui cabeça pequena e bordas arredondadas que alcançam os lugares mais difíceis.
2. Escova d ntal, Se nsodyne, R$ 10. Para pessoas com dentes sensíveis, a escova tem as cerdas macias com terminações extrafinas.
3. Kess Neo, Linha Oral Kess, R$ 3,40. Possui cerdas emborrachadas no centro, em formato de arcos polidores, que retêm o creme dental e intensificam a ação da pasta nos dentes.

Mamãe esperta e com sorriso bonito
Muitas mulheres acreditam que por estarem grávidas não podem ir ao dentista. Mas é justamente o contrário que deve acontecer: nesse período, a mulher pode (e deve!) frequentar o consultório para averiguar como anda sua saúde bucal. O única restrição é a de não se submeter aos procedimentos que necessitam de anestesia ou que causem estresse e dor pelo menos nos três primeiros meses. Depois deste período, sinal verdade para tudo! O único cuidado que se deve ter é o de checar se está realmente confortável na cadeira do seu dentista.

Clareamento caseiro? Cuidado!
Que todos sonham em ter um sorriso branquinho é fato. Muitos optam pelos tratamentos caseiros que são vendidos em farmácia ou pela internet, mas é preciso ter muito cuidado. A aplicação incorreta pode causar sensibilidade nos dentes, irritação nas gengivas e até problemas gastrointestinais quando ocorre a ingestão inadequada do gel clareador. Isso sem mencionar que “o uso do gel não deve ser feito em dentes com cárie, tártaro ou doenças periodontais, com sangramentos ou feridas na mucosa oral”, alerta a cirurgiã-dentista Patrícia Touma (RJ). Portanto, antes de começar o tratamento, é importante procurar um profi ssional para lhe indicar a concentração ideal de gel e o tempo do tratamento para o seu caso.

Temperatura baixa = mais cuidados
Com a proximidade do inverno, quem sofre de sensibilidade nos dentes deve ter cuidado redobrado. Naturalmente, a água da torneira ou do bebedouro fi cam com temperaturas mais baixas e escovar os dentes pela manhã é muito doloroso para quem sofrem de sensibilidade dentária (e até mesmo para quem nunca teve esse problema!). O ortodontista Leandro Lukacsak, da Clínica OralFix (SP), sugere que as pessoas aqueçam a água para escovar os dentes, a fim de que diminua essa sensibilidade e, ainda, que deem preferência a bebidas e alimentos com temperatura morna.

CÂNCER DE BOCA
Segundo o instituto Nacional do Câncer, essa doença já ocupa o 7º lugar no País em número de casos diagnosticados. Em 2008, ela foi responsável por seis mil mortes no Brasil e estima-se que este ano, deverão ser diagnosticados mais 14 mil novos casos. A dentista Maria Carméli sampaio, consultora da Associação Brasileira de odontologia (sP), esclarece tudo sobre o assunto.

O que é o câncer de boca?
A boca é sede de inúmeras doenças e, entre elas, está o câncer. Na cavidade bucal, o tipo histológico (células e tecidos) mais frequentemente diagnosticado é denominado de Carcinoma Epidermoide. No entanto, outros tipos cânceres, da família dos sarcomas, linfomas, leucemias, tumores de glândulas salivares e melanoma são também diagnosticados.

Quais as principais causas?
Não há causas ainda defi nidas, mas há diversas hipóteses, como o acometimento viral, fatores externos (radiação solar), baixa imunidade, anemias, predisposição hereditária, fumo, traumas locais, má higiene, entre outras teorias. A hipótese mais aceita hoje é a de que o câncer tem etiologia multifatorial.

Quem é mais suscetível?
Ele é mais comum em pessoas com idade superior a 40 anos, que tenham o vício de fumar, consumir álcool, má higiene bucal e uso de próteses dentárias mal-ajustadas.

Como identificá-lo?
O câncer presente na cavidade bucal muitas vezes não apresenta sintomas dolorosos no seu início. Pode aparecer clinicamente como uma mancha avermelhada ou branca, indolor, uma úlcera que não cicatriza, um dente com mobilidade, uma alteração de volume, gengiva com sangramento. São pequenos sinais que devem ser observados ou descobertos com um autoexame ou no consultório odontológico, mas sem deixar de recorrer ao especialista se alguma alteração for detectada. Para realizar o autoexame, localize- se em frente ao espelho e observe se há alteração na cor da pele da mucosas, caroços, feridas e outros sinais antes não notados. Puxe o lábio inferior para baixo e apalpe-o, em seguida repita com o lábio superior. Afaste a bochecha para examinar a parte interna, examine o céu da boca e puxando a língua para esquerda, observe a lateral dela e depois repita o procedimento para o lado direito.

Quais os tratamentos?
Ele vai depender do estágio em que o câncer se encontra ao ser diagnosticado e do seu tipo histológico. Radioterapia e quimioterapia são as modalidades terapêuticas utilizadas, associadas ou isoladamente. Em casos em que o câncer está em estágio mais avançado, indicase a cirurgia oncológica, que consiste retirada dos gânglios linfáticos comprometidos. Em tumores grandes e que atinjam áreas inoperáveis, é indicada a radioterapia.

Como posso preveni-lo?
Evite bebidas alcoólicas, fumo, prótese dentárias mal adaptadas e dentes fraturados. Mantenha hábitos saudáveis, evite situações estressantes e, claro, faça uma higiene bucal perfeita.