Amigos da saúde
17 de outubro de 2016
O poder dos ácidos
20 de outubro de 2016
Mostrar Todos

Sorriso implantado no rosto

Durante muito tempo, fazer implante dentário era algo temido pelas pessoas, afinal ninguém queria exibir um
sorriso artificial. Mas com os avanços da tecnologia na área odontológica, principalmente nos implantes, é possível recuperar os dentes, voltar a sorrir sem vergonha e, o melhor, com aspecto natural.

Por: Malu Bonetto

Indicado quando a raiz do dente se deteriora, perde a estabilidade, fica comprometido e pode até cair, o implante dentário é um microcilindro de titânio que é colocado dentro dos ossos maxilares com a função de substituir a raiz e, assim, trocar a dentadura ou prótese parcial removível por uma prótese fixa reabilitando assim, a arcada dentária e a função estética e ou mastigatória do paciente. “Atualmente os implantes intraósseos são feitos em titânio devido à propriedade exclusiva deste metal de proporcionar um fenômeno chamado osseointegração que significa a integração perfeita entre a superfície do metal, as estruturas celulares do osso”, explica o implantodontista Luiz Fernando Coli, da Clean Odontologia (SP).

Mas como em qualquer procedimento há, sim, contraindicação, como no caso de pessoas que não possuem osso em quantidade e qualidade sufi cientes para a instalação do implante. Nestes casos, a cirurgiã-dentista Iessa Vieira, da Clínica Iessa Vieira Odontologia Especializada (SP), explica que há a necessidade de procedimentos de enxerto ósseo para que seja indicado o tratamento com implantes. E, diferente do que a maioria das pessoas, a técnica não é exclusiva da terceira idade, já que pode ser utilizada em qualquer pessoa que tenha completado minimamente o desenvolvimento (crescimento) ósseo maxilomandibular (normalmente entre 15 e 21 anos, requerendo avaliação clínica e radiográfica)”, complementa Dr. Fernando Coli.

Os implantes, normalmente são realizados no consultório e, “para que o implante se torne permanente, é preciso manter uma higiene bucal perfeita e comparecer às consultas periódicas de manutenção”, finaliza Dra Iessa. Confira a seguir as principais técnicas disponíveis:

Implantes convencionais

Indicação: pacientes com perda precoce de um ou vários elementos, com agenesia dental (não formação de dentes) que passaram por tratamento ortodôntico.
Contraindicação: pacientes com problema de saúde sistêmico e fumantes.
Como é: sob anestesia local, as incisões são feitas em locais previamente selecionados para a instalação dos implantes, a gengiva é descolada, os implantes são posicionados e finalmente recobertos pela gengiva ficando totalmente recobertos e protegidos. Em seguida, é feita a sutura que é removida após uma ou duas semanas. Vantagens: pode ser realizada em qualquer região que tenha osso alveolar sufi ciente.
Desvantagens: o tempo de espera para osseointegração do im-plante pode variar de 15 dias a quatro meses.
Tempo de colocação da prótese: três meses após a cirurgia

Implantes zigomáticos

Indicação: pessoas que usam dentaduras e que com o passar do tempo apresentam uma grande reabsorção (perda óssea).
Contraindicação: pessoas que não podem ser submetidos a anestesia geral.
Como é: com o paciente sedado e anestesiado, são feitas incisões nas gengivas para ter acesso à estrutura óssea para em seguida realizar-se o descolamento da mucosa para iniciar a perfuração do osso zigomático onde serão fixados os implantes zigomáticos e convencionais. Por fim, área é suturada.
Vantagens: menor tempo para reabilitação, cirurgia menos invasiva e com menor risco pós-operatório.
Desvantagens: por ser uma cirurgia mais invasiva, o tempo de cicatrização é maior.
Tempo de colocação da prótese: até três dias.

Implantes de carga imediata

Indicação: para substituir dentes ausentes que se perderam por trauma, cáries e doença gengival. “Ela pode reabilitar perdas unitárias, parciais ou de todos os dentes, evitando ou eliminado o uso de próteses convencionais como pontes móveis ou dentaduras”, diz o cirurgião-dentista Rodrigo Tadashi, da clínica Rodrigo Tadashi Odontologia (SP).
Contraindicação: pessoas com deficiência de volume ósseo na maxila e na mandíbula, com presença de infecções dentárias ou gengivais e desalinhamentos dentários severos.
Como é: técnica que permite otimizar a reabilitação oral pois a prótese definitiva é colocada em até 72 horas após a cirurgia de implantes. Esta facilidade se deve ao desenho e à superfície dos pinos, que propiciam a osteointegraçao e o travamento primário mais rápidos.
Vantagens: após a perda dentária, ocorre um processo de atrofia óssea e gengival, mas pode ser estabilizado com a colocação de implantes, sendo esta uma das vantagens da técnica, ou seja, há a preservação de osso e gengiva que podem minimizar o comprometimento estético final dos tratamentos. Com esta técnica também é possível evitar a utilização de pontes móveis e dentaduras, eliminando o desconforto e a insegurança dessas próteses. Além desses fatores, Dr. Tadashi explica que há uma redução expressiva do tempo de tratamento e consequente-mente dos valores investidos.
Desvantagens: todo implante dentário tem um processo de cicatrização óssea denominada de osseointegração, que varia de três a seis meses. Nos tratamentos com carga imediata, inicialmente os implantes não estão integrados ao organismo do paciente e nesse período é necessário ter cuidados com a mastigação, evitando a ingestão de alimentos muito consistentes.
Tempo de colocação da prótese: através da tecnologia CAD/CAM e impressão 3D é possível confeccionar a prótese com antecedência e o paciente já pode colocá-la imediatamente após a cirurgia. Em situações em que não são empregadas esta tecnologia, são necessários de dois a três dias adicionais para a confecção e instalação da prótese fixa sobre os implantes.

All on four

Indicação: para pacientes totalmente desprovidos de dentes na parte superior ou inferior da boca. Contraindicação: pacientes com perda óssea severa , que não possam fazer enxertos ou que tenham doenças que inviabilizem qualquer cirurgia.
Como é: após a avaliação clínica prévia, são instalados os quatro implantes (dois implantes anteriores e dois mais posteriores de cada lado) para em seguida ser feita a confecção de uma prótese fixa sobre estes implantes. “A prótese terá todos os dentes unidos como uma dentadura fixada diretamente na boca, mas sem o ‘céu da boca’, ou seja, quem observa só verá dentes e gengiva idênticos ao natural”, diz a dentista Adriana Golmia Montesanti, da AGM Odontologia (SP).
Vantagens: menor tempo cirúrgico, satisfação da expectativa do paciente dentro de um período para construção das próteses e em alguns casos menores custos financeiros.
Desvantagens: o paciente precisa ter osso bem firme e compacto que permita a instalação da prótese.
Tempo de colocação da prótese: imediato.

Cirurgia guiada

Indicação: especialmente para pessoas diabéticas, idosos, cardiopatas, portadores de doenças degenerativas e outras condições que ofereçam maior risco cirúrgico.
Contraindicação: as pessoas que não apresentam condições ósseas satisfatórias (espessura e altura) para instalação dos implantes devem passar previamente por uma cirurgia de enxerto ósseo.
Como é: inicialmente o paciente faz um exame radiográfico com guias previamente preparados para que as imagens possibilitem a obtenção de imagens tridimensionais analisadas pelo programa no computador. As imagens adquiridas pelo tomógrafo são enviadas ao cirurgião que com o auxilio de um software específico realiza a cirurgia virtual, utilizando as imagens do paciente. A prototipagem e a computação gráfica possibilitam a instalação virtual dos implantes de forma mais simples, orientando o procedimento que é realizado sem abertura do retalho gengival.
Vantagens: como não há pontos, a cicatrização da mucosa é muito mais rápida, e evita-se a cirurgia de reabertura.
Desvantagens: se corretamente indicada, não apresenta desvantagens, somente o preço que ainda é elevado.
Tempo de colocação da prótese: a prótese é colocada imediatamente.


Tecnologia amiga dos implantes

Uma das grandes dificuldades dos cirurgiões-dentistas é colocar o implante numa posição reta, isto porque, segundo o cirurgião-dentista Rafael Cury Cecato, consultor técnico da FGM (SC), cada indivíduo tem uma necessidade distinta e nem sempre é possível colocar o cilindro de titânio na posição correta. O Implante Cone Morse Friccional Arcsys, fabricado pela FGM, proporciona maior segurança, funcionalidade e resultado estético por conta da sua conexão. Ao mesmo tempo, é mais “amiga do tecido ósseo e da mucosa ao redor do implante, pois dificulta o acúmulo de bactérias ao seu redor. Quando comparada a uma prótese convencional, essa tecnologia para substituir dentes perdidos tem como vantagens, segundo Dr. Cecato, uma segurança na mastigação, a fala fica mais fácil e bonita, não há agressão dos tecidos e dentes ao redor da prótese e, além disso, ao optar por uma prótese sobre implantes Cone Morse, por causa da sua união entre o implante e o suporte da prótese, o paciente não corre o risco de haver o afrouxamento de parafusos de sua prótese e há melhor estética.