Descubra se o jejum intermitente é realmente uma boa ideia para perder peso
14 de agosto de 2017
Calorias das Pizzas
14 de agosto de 2017
Mostrar Todos

O tratamento perfeito para recuperar pequenas imperfeições nos dentes

Ter dentes bonitos e saudáveis interfere (e muito!) na autoestima da pessoa. E algumas deixam de sorrir quando eles apresentam imperfeições. Mas com a ajuda de modernos tratamentos odontológicos é possível deixar os dentes mais harmônicos e recuperar a vontade de sorrir. Veja a solução indicada para cada caso.

Por: Malu Bonetto

DENTES APINHADOS

Dentes tortos, seja por apinhamento, projetados para fora ou inclinados para dentro, podem afetar, e muito, a autoestima das pessoas que acabam deixando de sorrir por vergonha e evitando programas sociais. Esses problemas, segundo o cirurgião-dentista Raphael Wanderley D´Amaro, da D´Amaro Odontologia (SP), pode levar a problemas articulares, limitação
na função mastigatória, desequilíbrio na oclusão dentária, acúmulo excessivo de placa bacteriana e maior suscetibilidade
à cárie. Para corrigir dentes tortos, mordidas cruzadas ou outros problemas que envolvam o encaixe dos dentes, o tratamento mais indicado é a ortodontia, e foi-se o tempo que aparelho ortodôntico era sinônimo de sorriso metálico e tratamento demorado.

Solução: com o avanço na área da odontologia estética, é possível corrigir os dentes através da ortodontia e dos aparelhos fixo ou alinhadores (aparelhos invisíveis). “Nos aparelhos ortodônticos fixos, os bráquetes são colados nos dentes para realizar a movimentação dentária, já os autoligados são mais confortáveis, têm bráquetes menores e têm um menor tempo de consulta por não terem as ‘borrachinhas’ ”, explica a cirurgiã-dentista Karla T. Marinho, da Personal Dent (SP). Enquanto isso, os alinhadores são placas em acetato, extremamente estéticos, praticamente invisíveis, muito confortáveis, não interferem na fala do paciente, e por serem removíveis, o paciente pode retirá-los antes das refeições, além de poder fazer sua higiêne oral normalmente”. A segunda opção são as lentes de contato que corrigem, além do apinhamento,
a forma e a tonalidade dos dentes de maneira mais rápida. Mas são indicadas para pequenos desalinhamentos através de um mínimo desgaste dentário, e a instalação de porcelanas extremamente finas, corrigindo o pequeno apinhamento, a tonalidade e até mesmo o formato dos dentes e dando uma melhor simetria entre eles.

SORRISO AMARELADO

Como estamos constantemente em contato com alimentos corantes como vinho tinto, chocolate, café e refrigerante à base de cola, os dentes tendem a sofrer a ação da pigmentação e ficarem amarelados com aspecto envelhecido. Mas com as diversas opções de clareamento disponíveis no mercado fica mais fácil exibir um belo sorriso branquinho.

Solução: no clareamento realizado a laser no consultório, o dentista remover a placa bacteriana dos dentes, isola as gengivas e, aplica o gel de branqueamento seguido, algumas vezes, por uma aplicação especial de laser de luz. Segundo a cirurgiã-dentista Daniela Mattar Migliorança, da Clínica Miglioranza Odontologia (SP), essa técnica é a melhor opção para aqueles que não querem esperar por muito tempo para ver os resultados de seus tratamentos de clareamento dos dentes, não tem efeitos colaterais e, já na primeira sessão o resultado é visível. Já no caseiro com moldeira, o paciente usa moldeiras de silicone com o gel clareador algumas horas por alguns dias até alcançar o tom ideal. O tratamento pode durar de uma a três semanas, dependendo do grau de escurecimento dos dentes, e a cada semana o paciente deve ir ao consultório para uma avaliação.

DENTES DESPROPORCIONAIS

Dentes pequenos deixam a pessoa com a aparência infantil Existem dois tipos de dentes “pequenos”, aqueles que realmente tem um tamanho menor do que a média ou aquela situação em que o dente está coberto por gengiva dando a falsa aparência de dente pequeno.

Solução: se os dentes forem de tamanho menor mesmo, tratamentos estéticos como as facetas, lentes de contato e até restaurações de resina podem ser a solução. Agora, se os dentes forem pequenos pelo recobrimento de gengiva, é necessário uma plástica gengival, uma cirurgia estética das gengivas, que trabalha o design do tecido na busca de um sorriso
mais estético. “As facetas e lentes são confeccionadas em laboratório e coladas na parte anterior do dente, corrigindo o tamanho dos dentes. Já a plástica gengival é feita através de um recorte da parte excedente de gengiva, expondo a parte do dente que estava coberta e, imediatamente após o procedimento já se percebe uma prévia do resultado, dentro de uma semana existe um inchaço normal e um recobrimento de novo tecido que termina sua cicatrização em aproximadamente 15 dias”, fala a cirurgiã-dentista Verena Scotti, da O2 Odontologia (SP).

DENTES SEPARADOS

Os diastemas, aqueles espaços entre os dentes, segundo a cirurgiã-dentista Cristiane Rosa, da Clínica Miracle Smile Odontologia (SP), podem surgir por características hereditárias, anatomias de dentes muito pequenos sobrando espaço na arcada, perdas dentárias não substituídas (prótese ou implante) ou ainda por problemas periodontais de gengivas doentes e perdas ósseas. Eles podem não trazer problemas fisiológicos, mas estéticos, isto porque, o espaço entre dentes aparece muito mais quando a pessoa está falando, e principalmente em fotos ou em filmagens, daí compromete sua imagem social. Muitos pacientes relatam que se retraíram socialmente e até profissionalmente quando perceberam o espaço entre dentes. “Além disso, o diastema pode interferir na pronuncia de alguns fonemas e dificultar a comunicação já que a língua tem posicionamento alterado pelo espaço gerando muitas vezes escape de ar durante a liberação do som”, complementa.

Solução: uma avaliação bem-feita pode encaminhar o paciente para ortodontia ou para solução estética de fechamento do espaço com resinas ou lente de contato de porcelana. No caso da avaliação levar para ortodontia, pode-se resolver com vários tipos de aparelhos, se o problema for apenas o espaço, existe uma técnica que em poucas semanas ou dias (depende da distância entre os dentes) o problema será resolvido. Se a avaliação oferecer condições de solução estética com harmonia em tamanho e forma dos dentes, a Dra. Cristiane diz que pode se optar por fechar o espaço com resina restauradora direta ou lentes de contato de porcelana indireta (feita em laboratório).

GENGIVA GRANDE DEMAIS

Um sorriso atraente e estético depende de uma adequada proporção entre dentes, gengiva e lábio. Segundo a cirurgiã-dentista Ana Carolina, do Instituto Maxilo Facial (SP), “quando a gengiva, ao sorrir, fica mais exposta do que quatro milímetros, identificamos o sorriso gengival, que é uma exposição exagerada da gengiva, ou, comumente chamada, gengiva grande.” A causa pode estar relacionada a fatores musculares, esqueléticos, gengivodentais ou uma combinação entre eles. Isto porque, um sorriso gengival pode ser consequência de um lábio superior curto, coroa dos dentes curta, excesso vertical de maxila, hipertrofia gengival ou hiperatividade dos músculos elevadores do lábio superior. Pessoas com este problema possuem má-oclusão, não conseguem mastigar adequadamente e, consequentemente vão ter prejuízo funcional na digestão, a deglutição será prejudicada em função da posição da língua e do tamanho mandibular, além de distúrbios na fonação. “O excesso vertical da maxila, observado em pacientes que tem sorriso gengival exagerado, dificulta o fechamento adequado dos lábios o que favorece à respiração bucal que está associada a vários problemas de saúde. Além destes problemas, é relativamente comum os distúrbios nas articulações da mandíbula, onde a má-oclusão acarreta estímulos crônicos e nocivos nesta articulação e, com o passar do tempo, pode evoluir com quadros de dor orofacial, barulhos, dor de cabeça, dores musculares no pescoço e ombro, dor de ouvido, zumbido, dificuldade de abrir a boca”, explica o cirurgião bucomaxilofacial Rodrigo Fromer, do Instituto Maxilo Facial (SP).

Solução: entre os tratamentos indicados para correção do sorriso gengival, estão a ortodontia combinada com cirurgia ortognática, aplicação de toxina botulínica tipo A e ainda a gengivoplastia. Quando a gengiva aparece muito ao sorrirmos, a toxina botulínica é aplicada no lábio superior, relaxando os músculos locais e diminuindo a exposição. O efeito dura de quatro a seis meses, após os quais pode ser necessária ou não a reaplicação. E se a gengiva ficar aparente mesmo sem sorrirmos é recomendado a gengivoplastia (plástica gengival) que é realizada com anestesia local, remove-se o tecido gengival em excesso e a cicatrização ocorre entre sete e catorze dias. “Já quando o paciente for tratado com cirurgia ortognática, como a deformidade é dentária e esquelética, é imprescindível o tratamento ortodôntico previamente à cirurgia no qual se realiza fraturas cirúrgicas planejadas para que os ossos, sejam recolocados nas posições corretas e fixados com miniplacas e/ou miniparafusos de titânio. Este material é biocompatível, não havendo necessidade de removê-lo”, diz o Dr. Fromer.

DENTES LASCADOS

Os dentes se lascam devido ao bruxismo (hábito de ranger ou apertar os dentes), quando há perda de dentes, porque isso acarreta em uma sobrecarga das forças mastigatórias nos dentes existentes e alteração da engrenagem mastigatória levando, inclusive, à mudança na posição dos maxilares superiores e inferiores. “Essas lascas podem ocasionar alteração visível do formato dos dentes e alteração na cor deles porque quando ocorre fratura as margens da restauração muda de cor devido à infiltração. Além disso, existe a possibilidade de haver alteração da posição dos dentes restantes e fratura dos dentes remanescentes”, explica a cirurgiã-dentista Adriana Golmia Montesanti (SP).

Solução: para resolver os dentes lascados, é preciso a avaliação de um profissional porque a técnica a ser usada vai depender do tipo e tamanho da fratura, variando desde uma reconstrução em resina até coroas de porcelana. No caso de pequenas lascas, é recomendada uma restauração de resina que é a maneira mais simples de se restaurar um dente. Caso a lasca seja de grande proporção, o dente devera ser “revestido com uma jaqueta de porcelana” sendo que, dependendo da fratura até um tratamento de canal deverá ser executado e, em casos extremos de lascas ocasionadas por fratura dental, pode necessitar de um implante dental. Nas restaurações de resina a reabilitação dental é imediata, as coroas de porcelana ou jaquetas de porcelana demandam mais horas de tratamento mais provisório, igualzinho ao dente pode ser executado logo na primeira consulta.