Rosto Jovem no Verão
Rosto jovem no verão
21 de Março de 2016
Bronzeado na dose certa
Bronzeado na dose certa
22 de Março de 2016
Mostrar Todos

Visual renovado

Visual renovado

Cada vez mais aumenta a procura dos homens pela cirurgia plástica. Confira a seguir quais os procedimentos mais procurados pela ala masculina para manter o visual jovem e o shape  em dia.

Blefaroplastia

É queridinha porque… proporciona ao paciente um olhar descansado, já que faz a correção da fl acidez muscular e cutânea e das bolsas palpebrais. O segredo para um resultado natural está em não querer eliminar todos os defeitos. “O cirurgião tem de ser comedido. Ao operar homens, temos que ter o bom senso de não querer fazer demais. O homem pode ter sempre uma ruga aqui ou ali, faz parte ter marcas da idade”, explica o cirurgião plástico Noel Lima (RJ).

A técnica: realizada sob anestesia local e sedação. São feitas duas incisões – dentro da mucosa conjuntiva inferior (região abaixo dos olhos), por onde retira-se o excesso de tecido gorduroso, responsável pelas famosas bolsas; e na curva do côncavo (pálpebras superiores), por onde remove-se o excesso de pele. As cicatrizes não fi cam aparentes, já se camufl am nas linhas naturais das pálpebras. Quando o paciente apresenta o canto dos olhos caídos, indica-se associar a técnica de cantopexia ou cantoplastia, procedimento que reposiciona o canto lateral através de um ponto de fi xação nos ossos ao redor do olho.

Pós-operatório: é comum a sensação de as pálpebras estarem um pouco apertadas e doloridas, além de algumas mudanças da visão, como visão dupla ou escurecimento, sinais que somem após a primeira semana. Para ajudar a amenizar o edema, o paciente deve fazer compressas de água gelada nos primeiros dias. O uso de óculos escuros poderá ser útil nessa fase.

Lipoaspiração

É queridinha porque… elimina a gordura localizada de diferentes áreas, tais como abdômen, culotes, pernas, costas, flancos ou braços. “As áreas mais lipoaspiradas nos homens são abdômen e flancos”, comenta o cirurgião plástico Rodrigo Otávio Carbone (SP).

A técnica: sob anestesia local, geral ou peridural, o médico realiza pequenas incisões estrategicamente localizadas na área desejada para garantir cicatrizes mais discretas. O profi ssional insere uma cânula com cerca de três a quatro milímetros de diâmetro e aspira a gordura. A técnica possui algumas variações: minilipoaspiração (quando realizada em pequenas áreas), vibrolipoaspiração (um aparelho promove vibração que quebra as células de gordura e facilita sua retirada), lipo circunferencial (indicada para os membros, ela aspira gordura de toda a circunferência das coxas ou braços), ultrassônica (utiliza um ultrassom que liquefaz a gordura e facilita a sua retirada), lipoescultura (a gordura aspirada é utilizada para preencher outras áreas).

Pós-operatório: aparecerão equimoses e edemas, que permanecerão por mais algumas semanas. Para diminuir esses sinais e acelerar a recuperação, indica-se o uso da cinta cirúrgica por um período mínimo de 30 dias. Após a liberação médica, é essencial submeter-se a sessões de drenagem linfática, que também contribuem para a redução dos edemas.

Abdominoplastia

É queridinha porque… faz com que os homens que passaram por um grande processo de emagrecimento, seja com dieta ou cirurgia bariátrica, recuperem um abdômen lisinho, livre de excesso de pele.

A técnica: a incisão é feita próximo ao púbis, permitindo que o cirurgião faça o descolamento da pele, que vai de um extremo ao outro dos ossos dos quadris. Para acabar com a frouxidão, os músculos são aproximados e fixados com pontos por toda a sua extensão. A pele é, então, esticada e posicionada – nessa hora, o tecido excedente é retirado. Com esse mexe-mexe, o umbigo é reposicionado no lugar certo, abaixo da linha horizontal dos ossos da bacia. Nas situações em que há a necessidade de realizar uma lipoaspiração associada à abdominoplastia, ela é o primeiro passo da cirurgia.

Pós-operatório: o paciente sentirá dores nos primeiros dias e deverá fazer repouso total nos primeiros cinco dias. É obrigatório o uso de cinta cirúrgica, que deve ser usada por dois meses. As atividades normais podem ser retomadas após 15 dias e, após esse mesmo período, é possível submeter-se a sessões de drenagem linfática.

Rinoplastia

É queridinha porque… promove o equilíbrio estético entre o nariz e a face, preservando a naturalidade do rosto.

A técnica: a cirurgia pode ser realizada de duas formas: aberta ou fechada. Na técnica fechada, realizada com anestesia geral, é feita uma incisão de 3 mm dentro de cada narina, através da qual o médico atinge a cartilagem. Esta é, então, remodelada de acordo com a necessidade. Também por esse acesso o médico consegue lixar o dorso nasal, quando necessário. Quando há a necessidade de diminuir a largura das narinas, são feitas, ainda, incisões nas laterais externas. A técnica aberta é indicada para quem precisa de alguma correção de deformidade. Também realizada com anestesia geral, é feita uma incisão de 3 mm na columela (haste entre as narinas), na ponta e na parte interior das narinas, em forma de Y. Os tecidos são descolados e o profi ssional faz as modificações necessárias, que pode ser a redução da giba ou cartilagem com a ajuda de uma lixa de aço. “É indicado fraturar o osso apenas quando a intenção for afi nar o nariz”, comenta o Dr. Rodrigo Otávio Carbone.

Pós-operatório: o ideal é fazer repouso nos primeiros dias e manter a cabeça deitada. É normal ter aumento do inchaço e hematomas entre o segundo e o terceiro dia e, depois disso, começam a regredir. Para amenizar esse desconforto, recomenda-se fazer compressas frias. Durante a cicatrização, é preciso evitar assoar fortemente nariz. Sangramento, sensação de entupimento e dificuldade respiratória no pós-operatório imediato são comuns e tendem a sumir com o passar do tempo. Evite a exposição solar e batidas na região.