A atriz Giovanna Cordeiro, de Rock Story, conta como mantém a forma mesmo com a correria das gravações
11 de maio de 2017
Alimentos para incluir no dia a dia e manter sua saúde
12 de maio de 2017
Mostrar Todos

Entenda como funciona a plástica que melhora o formato

Ao contrário do que muita gente imagina, a otoplastia pode ser feita na vida adulta para resgatar a estética das orelhas.

Por: Cibele Carbone

Muitas crianças e adolescentes sofrem bullying por causa da má-formação de suas orelhas, problema popularmente conhecido como orelha de abano. “Entre as causas da orelha de abano, estão a hereditariedade e a posição em que o feto ficou dentro do útero durante a gestação”, diz o cirurgião plástico Bruno Herkenhoff (RJ). Após os 7 anos, é a época ideal para o tratamento das deformidades da orelha, pois, nesse período, a orelha já está com sua formação completa. “É uma das cirurgias mais realizadas em crianças”, comenta o cirurgião plástico José Neder Netto (SP).

Mas não são apenas as crianças que recorrem a esse procedimento, muitos adultos também se submetem a uma otoplastia para fazer as pazes com o espelho, já que com a cirurgia é possível corrigir a forma, a posição ou as proporções das orelhas em relação ao rosto. “Essa correção da deformidade traz uma melhora psicológica do paciente melhorando assim sua vida social e seus complexos”, fala o Dr. José Neder Netto.

Be-a-bá da otoplastia 

Considerada uma cirurgia de porte médio, a operação costuma ser realizada em ambiente cirúrgico, e o paciente pode ter alta no mesmo dia. Segundo o cirurgião plástico Bruno Herkenhoff (RJ), atualmente utiliza-se uma associação de diferentes técnicas para deixar a orelha mais natural possível. Os pontos saem após cerca de dez dias. Na primeira semana, o paciente deve usar uma faixa compressora sobre as orelhas durante todo o dia, e nas próximas três semanas, apenas na hora de dormir.

O peso dos brincos

O uso constante de brincos grandes e pesados pode provocar o alargamento ou, até mesmo rasgo do lóbulo da orelha, já que o acessório tende a tracionar o buraco do brinco para baixo. Chega um momento em que o furo está tão grande que fica impossível usar os penduricalhos – isso sem falar que o aspecto da orelha fica feio. Mas o bisturi também pode ajudar nessas horas, pois é possível reconstruir essa parte da orelha ou dar alguns pontos para fechar os furos.