É massa! Menos 3kg em 15 dias
14 de outubro de 2010
Pílulas da beleza
20 de outubro de 2010
Mostrar Todos

Como fica seu treino depois da plástica

Algumas atitudes são indispensáveis para garantir um pós-operatório tranquilo e o resultado estético que atenda às suas expectativas. Descubra quais são os cuidados indicados para cada tipo de cirurgia, o período de repouso adequado e como retomar à atividade física sem comprometer seu corpo

Por Patrícia Affonso

Verdade seja dita: ao mirar-se no espelho, toda mulher, por mais ela que seja, consegue identificar alguma coisinha que a incomoda e que gostaria de corrigir. E graças às cirurgias plásticas, esses retoques são desejos cada vez mais possíveis: dá para turbinar os seios, conseguir um rosto com aparência mais jovial, remodelar as curvas, entre muitas outras possibilidades para lá de atraentes. Falando dessa forma, parece que basta escolher o tipo de mudança que se quer fazer no corpo e entregá-lo aos cuidados de um especialista. Mas não é bem assim. Além de todo o preparatório que antecede a cirurgia, o acompanhamento e os cuidados no período pós-operatório são itens indispensáveis para um resultado satisfatório. “Costumamos dizer que 50% do sucesso da cirurgia está nas mãos do médico e que a outra metade depende do paciente. Nessa segunda parcela, os cuidados no pós-operatório têm participação importantíssima e, por isso, não devem ser negligenciados”, destaca o cosmetólogo e esteticista orlando sanches, diretor da pós op (sp), clínica especializada nos tratamentos do pós-operatório.
Mais do que garantir o resultado estético esperado, os procedimentos realizados após a cirurgia ajudam o organismo a se recuperar de forma mais rápida e eficaz e diminuem significativamente a incidência de problemas, como o deslocamento das próteses de silicone, má cicatrização, hiperpigmentação e ondulações na pele.
Diante de tantos argumentos, a gente aposta que você já está convencida a seguir direitinho as orientações que acompanham sua transformação no visual, certo? então, é hora de conhecer as necessidades que cada tipo de plástica pede. e como a atividade física é uma aliada importante para manter a beleza do corpitcho em dia, vamos mostrar para você como retomá-la de forma gradual, para não interferir na sua recuperação. Confira!

Rinoplastia
Geralmente, no período de 7 a 10 dias que sucedem a realização da cirurgia corretiva no nariz, é utilizado um curativo de gesso ou acrílico que recobre todo o local, mantendo-o protegido. Nessa fase é preciso evitar qualquer tipo de trauma na face e também os movimentos bruscos com a cabeça, pois existe o risco de sangramento. A indicação de drenagem linfática não é comum a todos os especialistas e, quando necessária, conta com variação no número de sessões, de acordo com o quadro da paciente. Isso pode ser interessante para aliviar o inchaço e trazer mais conforto ao paciente. Na maioria dos casos a queda dos pontos é espontânea e ocorre na primeira semana.
Outros cuidados: nas primeiras duas semanas o ideal é dormir com dois travesseiros. “Isso ajuda a reduzir o inchaço local. Compressas de água fria também são indicadas para esse fi m”, conta o cirurgião-plástico da Clínica Perfetta. Outro procedimento importante nos primeiros dois meses é intensificar a proteção solar. Isso porque as manchas roxas causadas pelo procedimento cirúrgico podem resultar em olheiras, se combinadas aos banhos de sol.

Abdominoplastia
Na primeira semana, uma das regrinhas mais importantes a serem seguidas pela paciente que fez a remodelação do abdômen é manter a postura um pouco curvada. “Assim, a cicatriz não fica tensionada e evitam-se problemas como a ruptura dos pontos”, esclarece o cirurgião plástico Fabrício Ribeiro, da Clínica Perfetta (SP). O dreno, colocado pelo médico para evitar o acúmulo de líquido sob a pele, é retirado entre o terceiro e o sétimo dia do pós-operatório, seguido pela retirada dos pontos não absorvidos naturalmente, na segunda semana. Para auxiliar a redução do edema, são indicadas de 10 a 20 sessões de drenagem linfática, sendo até três por semana, em dias alternados. O uso de cinta compressora deve ser mantido por, no mínimo, um mês, pois oferece segurança e sustentação ao local suturado.
Outros cuidados: de acordo com o cirurgião, para proteger a área operada, é indicado dormir com dois travesseiros nas costas e um atrás dos joelhos. “Peço ainda que minhas pacientes deixem de dirigir por duas semanas”, diz o Dr. Fabrício.

Mamoplastia (de aumento ou redução)
Quem vai mexer no tamanho dos seios, seja para deixá-los menores ou mais volumosos, terá de acostumar-se com uma nova e constante companhia, por pelo menos 30 dias. Trata-se do sutiã pós-cirurgico, que tem como função sustentar a nova mama e auxiliar na redução do inchaço causado pela cirurgia. Não existe unanimidade acerca da indicação da drenagem linfática para essas cirurgias: alguns médicos solicitam, para favorecer a eliminação do edema, outros dispensam a técnica. Alguns especialistas preferem ensinar uma automassagem no consultório e que também traz ótimos resultados. Os pontos são retirados entre o sétimo e o décimo dia. No entanto, no caso da cirurgia de redução é possível usar uma cola biológica que dispensa a utilização de pontos na sutura.
Outros cuidados: evite levantar muito os braços, suspender pesos e colocar as mãos nas costas por aproximadamente dois meses. No caso da cirurgia de aumento, a paciente também precisa ter o cuidado de não deitar sobre o implante pelo período de 30 a 60 dias, de acordo com as orientações do médico responsável.

Lifting Facial
Indicada para rejuvenescer o rosto, combatendo a presença de rugas, flacidez e excesso de pele, essa técnica exige a colocação de dreno e curativo compressivo, que são retirados, em média, entre 24 e 48 horas após o procedimento cirúrgico. Para acelerar a redução do edema, já que a área é muito visível e isso incomoda o paciente, são indicadas de 6 a 8 sessões de drenagem linfática.
Outros cuidados: é recomendada a aplicação de compressa de algodão embebido em água fria sobre os olhos, para amenizar o inchaço. A prática deve ser repetida nos dois primeiros dias, durante 20 minutos, a cada duas horas. É importante caprichar na proteção solar nos primeiros dois meses, para evitar manchas.

Gluteoplastia de aumento
Utilizado para evitar o acúmulo de secreções ao redor da prótese, o dreno representa um incômodo muito breve para quem opta por aumentar o bumbum: é retirado por volta do terceiro dia. Já os pontos não precisam ser retirados, pois são feitos, na maioria das vezes, com material absorvível. Para acelerar a redução do inchaço e dar sustentação ao implante, a paciente deve usar cinta compressora, no formato de macaquinho ou short, até completar um mês de pós-operatório. A indicação de drenagem linfática não é adotada por todos os médicos.
Outros cuidados: muitos médicos solicitam que a paciente durma de bruços durante o primeiro mês “Contudo, a técnica para aumento de glúteos evoluiu bastante e já é possível sentar e deitar sobre a prótese logo nos primeiros dias”, garante o especialista. Os banhos são liberados no dia seguinte ao procedimento, porém é indicado o uso de sabonete neutro para não causar irritação na área operada.

Otoplastia
De acordo com os especialistas, a técnica para correção das orelhas de abano é uma das que conta com um período pós operatório mais tranquilo, praticamente sem dor. “O cuidado mais importante após a cirurgia de orelha é o uso da faixa elástica tipo bailarina, inclusive para dormir. Ela deve ser utilizada por aproximadamente 15 dias para evitar que a orelha saia da posição desejada”, conta o cirurgião plástico Hélio Caprio. A cicatriz, geralmente, fica protegida por um pequeno curativo feito com micropore. Sua higienização e troca são orientadas pelo médico – mas, em boa parte dos casos, ocorre em dias alternados. A retirada dos pontos, quando necessária, é feita por volta do 10º dia.
Outros cuidados: é preciso evitar traumas locais durante o primeiro mês. Para isso, a paciente não deve dormir de lado, sobre as orelhas. Lançar mão de dois travesseiros é uma forma simples de acelerar a redução do inchaço. Nos cinco primeiros dias, o cabelo deve ser lavado com água e xampu neutro, evitando esfregar as áreas com pontos. “Além disso, é interessante fazer as refeições à base de alimentos macios, evitando mastigação potente na primeira semana”, ressalta o esteticista Orlando Sanches, especializado no processo de recuperação de pacientes que fizeram cirurgia plástica.

Lipoaspiração
Para essa cirurgia, indicada para retirar os acúmulos de gordura de diversas partes do corpo, como abdômen, bumbum e coxas, os especialistas são unânimes em apontar a drenagem linfática como o cuidado mais importante. O procedimento é incluso na rotina do paciente 24 horas após a cirurgia, salvo casos em que a dor impeça a realização da massagem. A frequência ideal é de duas a três vezes por semana, em dias alternados, e são necessárias em média 10 sessões. “A função da drenagem é muito simples: auxiliar na redução do inchaço”, explica o cirurgião plástico Hélio Caprio, diretor da Clínica das Palmeiras (RJ). Também é indispensável o uso de cinta compressiva específica para a área, inclusive para dormir, até o 30º dia do pós-operatório. Nem todos os casos pedem a utilização de dreno para evitar o acúmulo de secreções sobre a área operada. Quando há necessidade, a retirada do dispositivo ocorre logo na primeira semana, quando também são retirados os pontos.
Outros cuidados: evitar exposição solar enquanto estiverem presentes os hematomas e o esforço físico na primeira semana. “Também recomenda-se a adoção de uma alimentação rica em
fibras, que garantem a saciedade, e pobre em açúcares refi nados, pois sentindo a queda no reservatório de gordura o corpo concentrará esforços na sua reposição”, alerta Orlando Sanches.

Força extra na recuperação!
Além dos cuidados básicos exigidos por cada cirurgia, alguns especialistas lançam mão de tratamentos auxiliares, que aceleram a recuperação do organismo e a qualidade das cicatrizes. “as mais comuns são laserterapia de baixa frequência, que estimula as células a entrarem no eixo da normalização e tem efeito anti-infl amatório e analgésico, e a tecnologia de ultrassom, que trata fibroses, aderências cicatriciais e ondulações na pele”, explica orlando sanches. pergunte ao seu médico quais procedimentos podem ser adotados como coadjuvantes no seu período pós-operatório. muitas vezes, vale à pena investir: afinal, quem é que não deseja se recuperar e voltar à vida normal o quanto antes?