Estimule a produção de colágeno e combata o envelhecimento precoce
13 de junho de 2017
A DIETA DA NIINA SECRETS
13 de junho de 2017
Mostrar Todos

XÔ, FLACIDEZ!

Quem nunca deu aquela conferida na pele do rosto ou do corpo para ver se ela está durinha? Caso o visual esteja molenga, ou seja, com flacidez na área, saiba que esse quadro pode ser revertido com a ajuda de tratamentos estéticos.

Por: Beatriz Lucca

Essa terrível falta de tonicidade que insiste em permanecer no nosso corpo é consequência de fatores genéticos, ambientais e de maus hábitos, como a falta de exercícios físicos. A flacidez é um processo natural do organismo humano, aparece com o passar do tempo, que é diferente para cada pessoa. Mas alguns fatores aceleram este processo como ganho ou perda rápida, exposição excessiva ao sol, alimentação e ingestão líquidos inadequados, tabagismo, privação de sono, entre outros.  “Por causa das variações hormonais (que afetam a produção de colágeno e elastina), as mulheres acabam sofrendo mais esse efeito”, explica a dermatologista Daniela Gueriot, da All Clinik (RJ).

Se a flacidez for apenas cutânea, que acontece por causa da degradação das fibras colágenas e elásticas responsáveis pela sustentação da pele, é possível tratá-la ou amenizá-la, dependendo do grau que se encontra, com cremes e alguns tratamentos estéticos que estimulem a produção de colágeno. Já se for muscular, que ocorre pela perda do tônus muscular e falta de atividade física, a pele geralmente fica sobreposta ao músculo e acompanha a tonicidade dele. Portanto, se o músculo está flácido, a pele também parece flácida, porém se a pele está flácida e o músculo tonificado, então a aparência não é tão evidente. Para acabar com esse visual gelatina, selecionamos alguns tratamentos estéticos:

FLACIDEZ MUSCULAR

Resultado de uma vida sedentária (associada ou não à má alimentação) é a mais fácil de ser tratada já que nela “apenas” há a diminuição do tamanho dos músculos, responsável pelo visual frouxo.

Stim Cell

Indicação: Como combina o treinamento neuromuscular e a corrente russa, pode ser indicado para todos os tipos de flacidez muscular.
Como é: Através de estímulos elétricos externos associados ao movimento articular involuntário, gera uma hipertrofia da musculatura selecionada que aumenta o volume da massa muscular, além de auxiliar na oxigenação e no intercâmbio metabólico celular. “A contração e o relaxamento exercem uma ação de bombeamento sobre os vasos venosos e linfáticos, dentro dos músculos situados próximos a eles, atingindo fibras mais profundas, e recruta mais fibras musculares, promovendo o seu fortalecimento”, diz a fisioterapeuta Estela Cardoso, diretora técnica da Advice, empresa que fabrica o aparelho.
Número de sessões: O protocolo do tratamento consiste em no mínimo 20 sessões, duas a três vezes por semana, com intervalo de um ou dois dias entre elas.
Resultado: Nota-se uma melhora na pele após as dez primeiras sessões.

Hibridi

Indicação: Todos os graus de flacidez muscular.
Como é: Comercializado pela HTM Eletrônica, o equipamento associa as correntes High Force, que gera contrações em músculos sedentários, à corrente russa, que minimiza a flacidez muscular, melhorando sua performance, e à corrente medium force, que estimula os níveis musculares mais profundos. “As correntes simulam a passagem do pulso elétrico nervoso, levando o músculo a se contrair de forma involuntária. Além disso, são capazes de recrutar fibras musculares pouco estimuladas no exercício e onde geralmente se encontra a flacidez muscular estética”, explica a fisioterapeuta Thaís Rodrigues.
Número de sessões: Depende do grau de flacidez, mas  normalmente são indicadas de 8 a 15 sessões que podem ser semanais, com intervalos mínimos de um dia de uma sessão para outra.
Resultado: A partir da quinta sessão já é possível notar a diminuição da flacidez muscular.

Heccus Turbo

Indicação: Para todos os graus  de flacidez muscular.
Como é: Age na flacidez muscular por meio da corrente Aussie, que ativa as fibras musculares para favorecer a tonificação do músculo, reduzindo a flacidez. “A corrente Aussie pode ser utilizada de forma eletrodinâmica, através de um aplicador, ou de forma estática, por meio de eletrodos, ou seja, pode ser usada em duas áreas distintas do corpo ao mesmo tempo”, complementa a fisioterapeuta dermatofuncional Renata Michelini Guidi, coordenadora de pesquisa e desenvolvimento da Ibramed, empresa fabricante do aparelho.
Número de sessões: São indicadas, em média, dez sessões sendo que podem ser feitas duas por semana, com intervalo de no mínimo um dia entre elas.
Resultado: Nas primeiras sessões já é possível notar melhora da flacidez pelo aumento do tônus muscular das regiões tratadas e melhora do aspecto geral da pele.

Doublo

Indicação: Para graus leves e moderados de flacidez da pele
Como é: “O ultrassom microfocado, que pode atingir até 4,5 mm de profundidade na pele, provoca pontos  de coagulação que, após cicatrização, se transformam em pontos de sustentação da pele”, explica Odete Manor, diretora clínica da empresa LBT Lasers, empresa que distribui o equipamento.
Número de sessões: Com apenas uma sessão já se nota uma melhora na aparência da pele, em alguns casos são necessárias mais sessões, que devem ser realizadas com o intervalo mínimo de um mês entre elas.
Resultado: Depois de 20 a 30 dias  após a primeira  sessão, nota-se a  diminuição da flacidez.


FLACIDEZ TECIDUAL

Caracterizada pela perda das fibras de sustentação (colágeno e elastina), ataca a camada subcutânea da derme e aparece por causa do tabagismo, idade (com o passar do tempo é natural perdermos colágeno), sol excessivo, genética e o famoso efeito sanfona, aquele que acontece quando ganhamos e perdemos peso em curtos espaços de tempo.

Tri Power Slim –TPS

Indicação: Para todos os graus de flacidez tecidual.
Como é: Plataforma multifuncional composta pelas tecnologias de radiofrequência, radiofrequência com vácuo e cavitação. A radiofrequência, penetra na epiderme, aquece as camadas mais profundas, estimulando a contração e
a produção de novas células de colágeno através do calor. “Já na vacuoterapia, há a sucção de uma porção do tecido cutâneo e assim realiza uma massagem profunda que diminui a retração do tecido e aumenta a circulação e oxigenação, promovendo uma melhor nutrição do tecido tratado”, explica a Biomédica Viviane Nagel, da Molior empresa fabricante do equipamento.
Número de sessões: Varia de acordo com cada pessoa e ainda de acordo com a região a ser tratada, mas, em geral, são necessárias de seis a 12 sessões, com intervalo de 15 dias, entre elas, dependendo do objetivo do tratamento.
Resultado: O resultado é gradativo e começa a aparecer imediatamente após a primeira sessão.

Dermosux

Indicação: Para todos os graus de flacidez de pele.
Como é: Fabricado pela DGM Beauty & Care, o equipamento utiliza as tecnologias
de radiofrequência e endermoterapia. “A radiofrequência gera intenso aquecimento da pele, suficiente para desnaturar enzimas que participam do anabolismo do tecido conjuntivo, desencadeando como resposta o mecanismo de neocolagênese, aumentado a quantidade de colágeno estrutural na pele e seu estado de sustentação ou tensão”. explica o fisioterapeuta Felipe Lacerda.
Número de sessões: Os protocolos variam de acordo com o grau de flacidez, usualmente são indicadas de oito a 12 sessões, realizando-se uma sessão  por semana.
Resultado: No final do primeiro mês,  já é possível observar a melhora da flacidez.

Vênus

Indicação: Para todos os graus de flacidez de pele.
Como é: “A energia das luzes de LED e laser de baixa intensidade atingem as células da pele, estimulando células produtoras de colágeno, dando maior sustentação e preenchimento à pele”, diz a esteticista Cecília do Amparo Manoel, da MMO Optics, empresa que fabrica o equipamento.
Número de sessões: Doze sessões, no mínimo, e deve ser realizada pelo menos uma por semana.
Resultado: A partir da sexta sessão, nota-se mudança na textura da pele.

Axcel – Criofrequência

Indicação: Para todos os graus de flacidez de pele.
Como é: Distribuído pela Fismatek, o aparelho, segundo a esteticista Ericka Rodrigues, através da criofrequência gera um calor, de aproximadamente 60ºC, no tecido embaixo da pele, gerando a contração imediata do colágeno e remodelação da fibra de colágeno e elastina já existentes.
Número de sessões: Em média são indicadas de seis a dez sessões com intervalos de sete a 15 dias entre elas.
Resultado: Já na primeira sessão  nota-se a pele mais firme.