img-camila-rodrigues-destaque
Camila Rodrigues: cada vez mais linda!
31 de julho de 2012
Espaço Surya promove 2º detox day
1 de agosto de 2012
Mostrar Todos

Sexy à la Gabriela

iimg-sexy-a-la-gabriela-destaque

É só estrear uma novela que nós mulheres ficamos de olho no visual das personagens. É o cabelo que queremos copiar, a maquiagem e até o estilo de vida. No caso da nova novela global Gabriela, o que certamente está fazendo sucesso é o look sensual da protagonista. E você, o que está esperando para ter o mesmo sex appeal da musa de Jorge Amado?

 

Por Malu Bonetto

Em 1958, Jorge Amado escrevia o romance Gabriela, Cravo e Canela, onde retratava o ciclo do cacau, a vida dos coronéis, jagunços e prostitutas da época de 1920. O que ele provavelmente não imaginava é que em 1975 a obra fosse para a telinha e tivesse tanta repercussão, principalmente porque a atriz Sônia Braga chamou atenção como a personagem principal do romance. Ambientada em Ilhéus (BA), a novela causou reboliço porque as cenas sensuais foram por muitas vezes julgadas indecentes pela sociedade da década de 70 e também vetadas pela censura.

Hoje, quem vive a bela e sensual Gabriela é a não menos sensual Juliana Paes, atriz que tem recebido diversos elogios, até da Sônia Braga, pela sua atuação. Sensualidade por sinal é a palavra-chave do romance, tanto que pesquisamos algumas maneiras para você conquistar essa sensualidade brejeira da Gabriela.

Viva o cabelão!

Os fios longos e ondulados são uma das características mais marcantes da morena. Se sua cabeleira não é tão farta como a dela, aposte no alongamento.

Quem busca um efeito somente para uma festa, pode optar pelos apliques com tic-tac. “Eles são mais fáceis de aplicar e dão um resultado legal, deixando os fios cheios”, explica a hair stylist Lidiane Silveira, do Werner Coiffeur Botafogo 2 (RJ). Já quem quer desfilar com uma longa cabeleira por cerca de três meses, pode aderir ao aplique com queratina. Mas nesse caso, lembre-se de que é preciso ter alguns cuidados específicos com a cabeleira. “Evite dormir com os fios molhados e opte por pentear de baixo para cima, com cuidado”, aconselha a hair stylist Gladys Acosta, do Gladys Coiffeur (RJ).

Os fios longos da personagem têm um balanço todo especial e levemente ondulado então: “use um bom mousse para ajudar a encorpar e segurar os fios e faça uma escova modelada, que dá um liso de movimento, mais cheio. Evite o excesso de produtos, que pesam os cabelos e dão efeito de fios sujos”, diz. Gladys. 

Curvas tipicamente brasileiras

Não tem como negar que as mulheres brasileiras são donas de curvas perfeitas, não é a toa que Gisele Bündchen faz tanto sucesso mundo a fora. Somos conhecidas pelo corpo escultural, bumbum avantajado e seios fartos. As que não foram agraciadas naturalmente com estas características, podem contar com a cirurgia plástica para exibir uma silhueta tipicamente brasuca.

Para exibir coxas torneadas

Lipoaspiração circunferencial

Como é: plástica realizada com a cânula tradicional da lipo, mas que difere-se da técnica convencional porque lipoaspira todas as faces da coxa em movimentos de ascendentes e descendentes de vai e vem, o que permite diminuir a sua grossura de maneira uniforme. O procedimento é realizado através de incisões na virilha e nas partes interna e externa dos joelhos.

Pós-operatório: a paciente precisa usar cinta modeladora por 30 dias, tempo necessário também para retomar as atividades físicas. É indicado fazer sessões de drenagem linfática, pois ajudam a desinchar e aceleram a recuperação.

Resultado: as coxas ficam bem mais finas e harmoniosas e o resultado final é notado após cerca de seis meses, quando o inchaço da região já regrediu totalmente.

Lifting de coxas

Como é: sob anestesia peridural ou local, é feita uma incisão em forma de meia-lua na raiz das coxas (na região da virilha), o profissional puxa a pele para cima e para trás. O tecido excedente é retirado e o restante, reposicionado. A cicatriz é grande, mas fica escondida na dobra da virilha.

Pós-operatório: é indicado repouso por cerca de 15 dias e o uso de cinta cirúrgica por um mês. A paciente está liberada para retomar as atividades normais em dez dias e após dois meses para atividades físicas.

Resultado: as pernas ficam mais firmes e torneadas, mas o efeito definitivo é alcançado após seis meses.

Cintura fininha

Miniabdominoplastia

Como é: indicada para retirar o acúmulo de gordura na região abaixo do umbigo, é realizada sob anestesia geral, peridural, ou até mesmo local é feita uma incisão na região pubiana baixa, no abdômen inferior por onde o cirurgião faz a retirada do excesso de pele flácida. Em seguida, a região é suturada.

Pós-operatório: a paciente deve usar cinta elástica por pelo menos quatro semanas depois da cirurgia e submeter-se a dez sessões de drenagem linfática no pós-operatório. Além disso, é preciso fazer repouso e evitar a prática de exercícios físicos que exijam a musculatura da região por 45 dias.

Resultado: depois de realizada a miniabdominoplastia, o paciente perceberá uma diminuição considerável do excesso de pele na região inferior do abdômen, já que a pele ficará lisinha e diminuindo a flacidez. Três meses depois da cirurgia, quando o inchaço já diminuiu, já é possível perceber o resultado final.

Vibrolipoaspiração

Como é: sob anestesia geral ou peridural, o cirurgião plástico infiltra soro fisiológico, adrenalina e anestésico local no tecido adiposo da área que será aspirada. As células de gordura são aspiradas por uma cânula bem fininha e que vibra, facilitando a retirada da gordura, causando menos trauma na região.

Pós-operatório: é preciso uma semana de repouso, deve-se usar cinta compressiva por cerca de 45 dias, submter-se a sessões de drenagem linfática três vezes por semana, ao longo de um mês, e evitar exercícios físicos durante um mês.

Resultado: em uma semana já é possível observar os resultados do procedimento e em até 15 dias já é possível se ver livre dos hematomas roxos que restaram.

Bumbum arrebitado

Gluteoplastia

Como é: feita sob anestesia peridural, o cirurgião plástica faz a incisão de aproximadamente cinco centímetros nos sulcos inferiores do bumbum (aquela marquinha entre a coxa e o glúteo) para inserir as próteses de silicone, que ficam posicionadas entre os músculos glúteos para dar forma e volume ao bumbum. A cicatriz fica praticamente imperceptível.

Pós-operatório: já no primeiro dia, a paciente pode dormir em qualquer posição. Vale lembrar, no entanto, que a recuperação da cirurgia varia de 15 a 25 dias, sendo que a paciente deve evitar atividades físicas e exposição ao sol por um mês.

Resultado: bumbum mais avantajado e arredondado.

Lifting glúteo

Como é: esse procedimento que visa dar um up na região glútea, é realizado sob anestesia peridural. O médico pode optar por dois tipos de incisões: na parte inferior, entre a nádega e a coxa, ou superior, entre o tronco e o bumbum. Como a cicatriz fica grande, o profissional tenta escondê-la no sulco do bumbum ou na marca do biquíni. Através desta incisão, o cirurgião plástico puxa a pele, retira o excesso e reposiciona o restante de modo a modelar e dar firmeza ao bumbum. Caso a paciente queira aumentar um pouco a região, existe a alternativa de usar esta pele excedente como uma espécie de prótese natural, remodelando a área.

Pós-operatório: apesar de já poder sentar após três dias, aproximadamente, é preciso ter muito cuidado e preferir assentos mais macios para não agredir a região cicatricial. A paciente pode voltar ao trabalho após 20 dias e às atividades físicas após quatro meses.

Resultado: bumbum mais empinado e completamente livre de flacidez.

Seios firmes

Mamoplastia de aumento

Como é: decidido o tamanho da prótese de silicone, escolhe-se qual a via de acesso para introdução da prótese: infra-mamária, axilar ou areolar. Durante a cirurgia, a paciente recebe anestesia local com sedação e, através das incisões, as próteses são colocadas debaixo da glândula mamária ou sob o músculo peitoral.

Pós-operatório: há inchaço e possíveis manchas roxas na região, mas são

reações normais que regridem com o tempo. A paciente precisa evitar movimentos bruscos com os braços e deve dormir de barriga para cima nos primeiros 45 dias. Para permitir uma cicatrização perfeita dos tecidos e acelerar a reabsorção do inchaço, a paciente sairá da cirurgia utilizando um sutiã cirúrgico, que deve ser utilizado por um mês.

Resultado: após 60 dias.

Técnica do Jaquetão

Como é: essa técnica é indicada para quem tem as mamas volumosas, mas sofre com a flacidez. Após a anestesia peridural ou local com sedação, o cirurgião faz uma incisão em forma de T invertido na parte inferior da mama através da qual faz o descolamento da pele. A glândula e os tecidos mamários são divididos em duas partes para serem cruzados, como se fossem braços cruzados, e presos na costela com fios de sutura. O posicionamento em “x” é o que garante o suporte das mamas.

Pós-operatório: um curativo de micropore é colocado ao redor da mama por 20 dias e o sutiã de sustentação deve ser usado por 45 dias. Depois de uma semana já é possível voltar às atividades normais, mas sem abusos.

Resultado: após três meses.

Bronzeado Cravo & Canela

Sejamos sinceras: ao olharmos a Juliana Paes, sentimos aquela pontinha de inveja de seu bronzeado dourado, né!? Ok, estamos no inverno, mas nem por isso você precisa abrir mão da morenice. Aposte no autobronzeadore para deixar a pele com um tom cravo e canela.

A dermatologista Mônica Linhares, do Espaço Saúde Rio (RJ), explica como ele deve ser usado para evitar que o bronzeado se torne diversas manchas pelo corpo. “O primeiro passo é aplicá-lo com a pele limpa, uniformemente e de preferência sem roupa ou com roupa de praia, para facilitar na hora de espalhar. E não se esqueça de depois lavar as mãos cuidadosamente, pois podem ficar manchadas.”

Mas se você não quer esperar alguns dias para exibir aquele visual jambo, o bronzeamento a jato em clínica pode ser a solução. Eles pulverizam uma solução a base de DHA (dihidroxiacetona) que gera um pigmento microscópico marrom (melanoidina) que, a olho nu, causa o efeito bronzeado na pele. “E nunca, nunca mesmo, opte pelo bronzeamento nas câmaras de bronzeamento UV mesmo porque elas foram proibidas pela Anvisa devido ao risco que expõe o paciente”, alerta a dermatologista. As lâmpadas estimulam a produção de melanina, pigmento que dá cor à pele, acelerando o bronzeamento. Dos raios emitidos, 95% são do tipo A (UVA) e só 5% do B (UVB). Como os raios A não deixam a pele vermelha, o usuário pensa que por isso está longe do risco de um câncer o que não é verdade.

 

Leia essa e outras matérias na Plástica & Beleza n° 128.