Veja como a cirurgia bariátrica pode recuperar sua saúde e boa forma
12 de janeiro de 2017
Esclareça todas as suas dúvidas sobre prótese de silicone e prepare-se para abusar do decote
12 de janeiro de 2017
Mostrar Todos

O poder da criolipólise para combater as gordurinhas

Já pensou em eliminar de 20% a 30% da gordura localizada em apenas uma sessão? Essa é a promessa da criolipólise! Por isso fomos conhecer esta técnica mais a fundo e descobrir quais os seus reais benefício.

Por: Beatriz Lucca

A criolipólise vem conquistando cada vez mais adeptas. O motivo? Simples! Ela é uma alternativa para quem busca uma técnica não invasiva para reduzir medidas de forma significativa, sem a necessidade de repouso. Através de uma ponteira, é formado um vácuo que suga a gordura localizada da região tratada, dando u, choque de temperatura. “Quando expostas à baixa temperatura, as células de gordura são destruídas e conduzidas ao fígado pelo sistema linfático.

Uma vez que o sistema linfático leva apenas uma pequena quantidade diária de gordura para ser metabolizada, não há perigo de sobrecarga do fígado nesse processo”, diz a esteticista cosmetóloga Cecilia do Amparo Manoel, consultora da MMO (SP). A gordura que existia nelas vai sendo absorvida pelo metabolismo durante 60 dias, período em que devem ser feitas massagens drenantes para que essa gordura não vá para as células que não foram congeladas. A atividade física potencializa o resultado e, claro, o controle na ingestão calórica é importante para não comprometer o resultado.

Com a criolipólise, em apenas um sessão é possível eliminar de 20% a 30% da camada de gordura localizada. Segundo a médica hepatologista Mônica Valverde Via-na, do Instituto Mônica Viana (SP), a única desvantagem do método é ter de esperar três meses para ver o resultado final e não poder refazê-lo na mesma região durante esse período. E por se tratar de um método de congelamento, é necessário o uso de mantas protetoras dérmicas para proteger a pele de qualquer tipo de queimadura e o cabeçote do aparelho não deve ser coloca-do em cima do umbigo, mas, sim, acima ou abaixo, para que não ocorra problemas com hérnias umbilicais. Confira alguns aparelhos que utilizam essa tecnologia:

CryoSlim

Como é: além dos benefícios da criolipólise, o equipamento combina a radiofrequência e a cavitação. Na criolipólise, há o resfriamento controlado das células de gordura, o que induzirá a inflamação e autodestruição delas. “Já a cavitação consiste na transmissão de ondas ultrassônicas de baixa frequência capazes de atuar na formação do tecido adiposo e desfragmentá-lo. A radiofrequência, por sua vez, ocasiona a contração das fibras colágenas existentes e estimula a formação de novas fibras, tornando-as mais eficientes na sustentação da pele”, diz a biomédica Viviane Nagel, da Molior Tecnologia Médica (SC).
Resultado: a partir do décimo dia a quebra de gordura já pode ser visível, mas o efeito máximo, eliminação de até 25% da gordura, acontece de dois a três meses.

Beauty Shape

Como é: comercializado pela HTM Eletrônica, esse equipamento possibilita a realização da criolipólise de contraste e da convencional. A técnica de criolipólise de contraste consiste no preaquecimento do tecido antes de seu resfriamento. Ao final, a área tratada é novamente aquecida para a imediata reperfusão, isto é, a normalização da circulação sanguínea, o que promove maior eficiência ao procedimento. “Inicialmente as placas ao redor da região a ser tratada aumentam a temperatura local até 40 °C pelo tempo programado e, logo após, diminui a temperatura em até -11 °C, induzindo os adipócitos na área de tratamento a uma morte apoptótica (morte da célula de gordura). Após o período de resfriamento, as placas novamente aumentam a temperatura tecidual em média a 38 °C; desta forma, há liberação da vasoconstrição causada pelo resfriamento, retornando a circulação sanguínea para o local e aumentando a perfusão tecidual”, explica a fisioterapeuta dermatofuncional Thaís Rodrigues.
Resultado: enquanto a criolipólise convencional chega a reduzir de 20% a 25% da gordura na área tratada, a criolipólise de contraste obtém até 42% de redução.

Frozen Sculpt

Como é: primeiro aplica-se a radiofrequência HD3D que faz com que os adipócitos diminuam seu tamanho original, expulsando parte do seu conteúdo de gordura e aumentando o metabolismo local. “Em seguida, aplica-se a criolipólise, que remove a morte celular seletiva, seguido por uma resposta inflamatória local que, ao longo de dois meses, promove a redução no número das células de gordura”, fala Renata Franciulli de Figueiredo, da LBT Lasers (SP).
Resultado: o tratamento dura, em média, 1h30 e com apenas uma sessão já consegue-se eliminar de 20% a 30% da gordura da área de aplicação.

Polarys

Como é: fabricado pela Ibramed, o equipamento oferece a criolipólise convencional (somente resfriamento do tecido), criolipólise de contraste (aquecimento inicial seguido de resfriamento e aquecimento novamente ao final), criolipólise de reperfusão (resfriamento com aquecimento ao final) e criolipólise de preparo (aquecimento inicial seguido de resfriamento). “Os estudos mostram que os efeitos fisiológicos como a morte celular dos adipócitos (células de gordura) são potencializados na terapia de contraste, sendo assim, o tratamento da gordura localizada se torna mais eficaz. Além disso, o aquecimento da área de tratamento antes da aplicação promove o preparo da região, com maior conforto durante a terapia, devido ao aumento da maleabilidade tecidual e menor risco de hematomas. O aquecimento realizado ao término do tempo de resfriamento tem efeitos na reperfusão tecidual, otimizando o retorno da circulação sanguínea para normalização do tecido”,  explica a fisioterapeuta dermatofuncional Renata Michelini Guidi.
Resultado: após a primeira sessão já é possível visualizar a redução de medidas, espessura da camada adiposa, além da melhora da modelagem corporal.

Crio Top Body Redux

Como é: nesse equipamento as células de gordura são submetidas ao congelamento controlado, modificando a conformação celular dos adipócitos e induzindo uma resposta inflamatória que promove a morte celular por apoptose através do frio, sem causar danos aos tecidos adjacentes. “Além disso, o equipamento controla a temperatura de acordo com a quantidade e densidade de gordura a ser eliminada, garantindo assim a segurança da técnica de criolipólise”, comenta a fisioterapeuta e esteticista Estela Cardoso (RJ), da Advice, empresa fabricante.
Resultado: redução de até 30% da gordura numa única sessão.

CoolSculpting

Como é: os aplicadores de sucção, seguram a gordura localizada entre os dois painéis resfriando-a automaticamente por uma hora. Na sequência, as membranas das células de gordura do local que está sendo tratado são danificadas, levando-as naturalmente a sua autodestruição ou apoptose, em um período de seis a oito semanas. “Esta gordura é metabolizada no fígado, semelhante a gordura da alimentação, sendo eliminada de forma natural e lentamente”, diz a fisioterapeuta Gislene Sgoti, da Clínica Sthetica (SP).
Resultado: em uma única aplicação é possível perder de 20% a 25% de gordura na área executada e isso pode ser observado a partir de dois meses, após a primeira aplicação.