Lançamentos
22 de setembro de 2010
Xô, pneuzinhos!
22 de setembro de 2010
Mostrar Todos

Hidratação máxima

É só os termômetros começarem a marcar temperaturas mais baixas que nossa pele começa a ficar ressecada e áspera, os lábios rachados e os pés descascando. Apesar de os hidratantes serem importantes durante o ano inteiro, nesta época eles se tornam indispensáveis no nosso nécessaire

Por Malu Bonetto

O ar mais seco, ventos mais constantes, banhos mais quentes e demorados… Não se surpreenda se sua pele ficar ressecada na época mais fria do ano. Afinal, há uma perda de água para o ambiente externo e, como consequência, a tez fica mais desidratada, com toque áspero, ressecada, com falta de brilho e – em casos extremos – pode até mesmo surgir manchas esbranquiçadas que provocam coceiras e resultam em feridas. Para evitar esses danos desde o início é essencial alguns cuidados básicos, como ingerir no mínimo dois litros de água diariamente, manter uma alimentação balanceada e usar cremeshidratantes com frequência – principalmente após o banho. Os cremes diminuem muito a sensação do ressecamento, mas dependendo do índice de umidade do ar é preciso que os cremes sejam mais espessos e grossos, que consigam “segurar” vezes, podemos sim controlar o ressecamento, mas dependerá não somente da escolha do produto certo, como também da frequência de aplicação do mesmo. “Uma dica é não deixar áreas mais sensíveis totalmente expostas ao frio. Cachecóis ou lenços podem ser ótimas opções para impedir o contato direto do ar com nossa pele, luvas e gorros também são muito bem-vindos”, aconselha a dermatologista Fabiana Simões Pietro (SP). Também evite a tentação de banhos demorados com água muito quente, o uso de buchas e exfoliantes (eles retiram além das células mortas a oleosidade produzida naturalmente pela pele) e, claro, não abra mão dos filtros solares.

ROSTO SECO E AVERMELHADO
A pele do rosto tende a ressecar muito mais facilmente que a do restante do corpo, primeiro porque a exposição é muito mais intensa (não a cobrimos), e também porque nas peles mais secas a quantidade de óleo que recobre a pele é menor, facilitando a perda hídrica. Assim, ela necessita de cuidados mais fortemente os óleos da pele. “É comum que as pessoas com pele bem branquinha fiquem com as bochechas rosadas, isto porque conseguimos visualizar por transparência os vasos sanguíneos presentes na derme, que se contraem pelo frio, e ao entrarmos em ambientes mais quentes, relaxam e dilatam, sendo visíveis como um avermelhamento da pele”, esclarece a dermatologista Fabiana Simões Pietro. Para esses casos, são indicados produtos com ácido hialurônico (além de reter água na pele, auxilia na produção do colágeno) e trealose (açúcar que “puxa” a água e a mantém na superfície).

MÃOS E PÉS ÁSPEROS E RESSECADOS
No inverno, as mãos sofrem por estarem sempre expostas. Elas normalmente racham e ficam com aspecto mais ressecado e fino, necessitando regularmente de luvas com creme para auxiliar no processo de re-epitelização e consequente cicatrização. Para as mãos são indicados produtos que formem uma barreira para evitar a perda híbrida da pele, por exemplo, ácido hialurônico, silicone e emolientes como óleos hidrossolúveis. Já os pés costumam ficar quentinhos dentro de botas e sapatos fechados, mas mesmo assim necessitam de cuidados redobrados. “A pele da planta dos pés é propensa a desidratar durante o inverno. Para um tratamento eficaz, os ativos empregados devem permear, hidratar e restaurar a tez. Pelo fato de ser mais espessa, a exfoliação é recomendada para promover renovação celular”, explica Joyce Quenca, diretora de pesquisa e desenvolvimento da Biodiversite (SP). Os produtos mais indicados devem conter queratolítico, ativo que diminui a calosidade da região, elimina as células mortas e ajuda na hidratação.

CORPO DESCAMANDO
A pele do corpo tende a ficar desidratada durante o inverno, já que o manto hidrolipídico (camada responsável pela proteção da pele) diminui, consequentemente torna-se mais vulnerável a agressões externas. Um conselho ótimo (e simples!)é evitar banhos extremamente quentes, ou caso não consiga, diminua a temperatura, aplique um óleo hidrossolúvel antes e após o banho, isso vai diminuir a perda hídrica que a pele terá. Aposte em produtos hidratantes como o lactato de amônia, umectantes como a manteiga de karitê e óleos hidrossolúveis que repõem os ácidos graxos.

“Os cremes diminuem a sensação do ressecamento. Mas, dependendo da umidade do ar, é preciso que sejam mais espessos e consigam segurar por mais tempo a água na nossa pele.”

LÁBIOS RACHADOS
A região dos lábios é extremamente sensível e, durante o inverno, costuma ficar ressecada, rachada e soltando “pelinhas”. Sem dúvida alguma ficar passando a língua nos lábios irá aumentar o ressecamento, porque a água quando evapora leva junto também uma pequena parcela da hidratação dos lábios, e ao passar a língua, removemos mecanicamente um pequenofilme de proteção que fabricamos, aumentando a exposição ao frio. Use protetores labiais com cera de carnaúba, manteiga de cupuaçu, cacau e karitê, eles possui propriedades hidratantes e emolientes, ou seja, recuperam a hidratação perdida dos lábios, causada pelo frio em excesso.

CABELOS NUTRIDOS
Nesta época do ano, a raiz do cabelo fica oleosa, pode ocorrer o aparecimento de dermatite seborreica (caspa), e o fio fica ressecado ao longo do seu comprimento. “Daí a importância em usar xampus apropriados para cada tipo de cabelo, lavá-los em dias alternados e usar pouco condicionador na raiz dos cabelos. Utilize condicionadores sem enxágue no comprimento dos fios, evitando passar próximo ao couro cabeludo. Outra opção é fazer uso de máscaras de hidratação capilar, que tem sua ação potencializada quando usadas em combinação com toucas térmicas”, explica a dermatologista Valéria Marcondes (SP). Para tratá-los use produtos derivados de queratina, aminoácidos e silicone.