img-nichole-bahls
Nicole Bahls – O corpo do futuro
27 de junho de 2010
Tire suas dúvidas sobre cirurgias
1 de julho de 2010
Mostrar Todos

Fios tensores contra flacidez

Eleja a parte do seu corpo que você menos gosta. Certamente os fios tensores elásticos podem amenizar e, porque não dizer, resolver este seu probleminha. Isto porque a técnica pode ser aplicada em várias regiões do rosto, como sobrancelha, queixo, lábios, no pescoço, e ainda arrebirta o nariz e levanta os seios e o bumbum

Por Malu Bonetto

Fios Tensores - Plástica & BelezaNão adianta, com o passar dos anos, as rugas aparecem ao redor dos olhos, da boca e até no pescoço. Isso sem falar que a “lei da gravidade” começa a afetar os seios, o bumbum e a ponta do nariz, ou seja, eles começam a cair. E vamos combinar que não há mulher que não passe por esse tormento. Mas o bom é que dá para reverter esses problemas sem precisar recorrer ao bisturi, ou seja, sem sentir praticamente nenhuma dorzinha nem ter que encarar um pós-operatório complicado. Como? Com a ajuda dos fi os suspensores. Com eles, é possível recolocar as estruturas faciais nos locais adequados, corrigindo o deslocamento que o tempo causou e, consequentemente, promovendo um rejuvenescimento facial de forma natural. O bom, é que qualquer mulher que esteja incomodada
com a flacidez facial, pode recorrer a esse técnica. Afinal de contas, o risco de rejeição é praticamente nulo. Mas o cirurgião plástico André Freitas Colaneri (SP) afi rma que ele pode acontecer, sim, em alguns casos. Ele explica que todo material que não pertence ao organismo pode causar alguma reação. Mas, para minimizar esse risco, existem vários tipos de fi os e materiais absorvíveis e inabsorvíveis disponíveis no mercado. Cada um tem uma característica de tolerância pelo organismo, e o médico irá saber qual o melhor para seu caso. o momento da escolha Existem dois tipos de fios tensores e quem vai decidir qual o mais indicado para resolver o seu caso de maneira natural e eficiente será o seu cirurgião plástico. Para isso, ele irá lhe solicitar uma série de exames: clínico, hemograma, glicemia, exames de coagulação, e outros exames complementares se o paciente tiver algum problema de saúde.

É importantíssimo ressaltar que, após a intervenção, o corpo continua envelhecendo e sofrendo mudanças também na estrutura da pele que fica menos rígida. Logo, a velocidade de envelhecimento depende de inúmeros fatores, mas depois do procedimento, o paciente sempre estará com as estruturas mais fixas do que sem a sustentação.

Fio búlgaro
Técnica desenvolvida pelo médico búlgaro Nicolay Serdev, o fio de poliamida trançada é colocado sob anestesia local e não há a necessidade de internação. Como se assemelha a um fio de sutura plástico, acompanha os movimentos da face e consequentemente não deixa aquela expressão paralisada, tão temida por quem recorre à cirurgia facial. Este método é indicado para quem apresenta flacidez média da pele, ou seja, as pessoas que têm muita pele ou gordura devem optar pro outros procedimentos como lifting. Tem como vantagem poder ser retirado caso haja rejeição, o efeito dura em média cinco anos, quando ele é absorvido pelo organismo.

Fio russo
Sob anestesia local e leve sedação, passa-se uma fina microcânula oca que percorre a face, segundo trajetos pré-estabelecidos debaixo da pele. Por dentro desta cânula, introduz-se um fio de polipropileno modificado em sua estrutura, o fio apresenta minúsculas garras que irão se fixar às estruturas profundas. Quando se retira a microcânula, o fio permanece no lugar e corrige as rugas e sulcos faciais. É um procedimento rápido, ambulatorial, com alta imediata. Como não requer cortes, não há cicatriz e o pós-operatório é rápido com raras equimoses, facilitando o pronto retorno às atividades.

Cuidados pós-operatório
Após a colocação de fios tensores, a região fica com micropore ou malhas compressivas por três dias. E m casos que há edema (inchaço) persistente, o tempo de imobilização é prolongado. “Instruímos as pessoa que evitem comidas muito duras ou muito quentes nos dois primeiros dias e evite também comidas potencialmente alergênicas como carne de porco e crustáceos”, explica o cirurgião plástico Milton Nahon (RJ). Também é importante evitar ambientes quentes (banhos quentes e demorados, sol e sauna), evitar manipular a face e fazer movimentos faciais (rir muito, abrir muito a boca, por sete dias). Já a médio prazo, não é preciso nenhum cuidado especial, mas se “houver algum vinco do fio na pele (marca), deve fazer massagens locais circulares, para soltar a pele”, complementa o cirurgião plástico A ndré F reitas C olaneri (SP).

Eficiência muito além da face
Se você pensa que os fios suspensores só podem ser usados no rosto, está muito enganada. E ssa técnica também pode ser empregada com sucesso para acabar com a flacidez de mamas, bumbum, braços, pescoço e abdômen.

Up no bumbum
Os fios tensores são implantados acima do músculo glúteo, na região do tecido gorduroso. O cirurgião plástico une as pontas dos tensores formando um círculo que garantirá mais firmeza e sustentação na região. Com o tempo, os fios tensores se unem às fibras naturais do corpo e passam a fazer parte do tecido gorduroso. É importante a paciente permanecer de bruços durante as primeiras 48 horas, de repouso por uma semana e voltar as atividades normais após o primeiro mês.

Nariz arrebitado
“Os casos mais indicados para esta região, são a elevação da ponta nasal e o estreitamento das asas do nariz, recomendam-se os lisos”, explica o cirurgião plástico Milton Nahon (RJ).

Lifting de pescoço
Sob anestesia local com sedação ou geral, as incisões são feitas atrás das orelhas por onde estica-se a pele, o músculo lateral e o excesso é retirado. Nos primeiros 15 dias é indicado o uso de faixa compressiva e só depois dessa fase é permitido que a paciente retorne as suas atividades normais.

Elevação de mamas
Ideal para quem quer corrigir a flacidez mamária e levantar os mamilos, a mastopexia é realizada através de uma incisão ao redor da aréola em direção a base da mama. Retira-se o excesso de pele flácida, em seguida posiciona-se a glândula mamária no alto por meio de uma sutura interna.