30 milhões de brasileiros sofrem de enxaqueca. Será que você faz parte dessa estatística?
19 de maio de 2017
Ana Hikari: a estreia da atriz na nova fase da Malhação
22 de maio de 2017
Mostrar Todos

Descubra como evitar o envelhecimento dos lábios

Certamente você já sabe a importância de aplicar protetor solar e hidratante  sobre a pele do corpo e rosto, diariamente. Mas com que frequência faz isso nos lábios?

 

Como a pele dos lábios é extremamente fina e delicada, sua musculatura fica constantemente em contato com alimentos, bebidas, saliva, cosmético e, principalmente batons que nem sempre têm pigmentos naturais ou contêm conservantes estabilizantes que são altamente alergênicos. Segundo a dermatologista Claudia Marçal (SP), o fato dos lábios serem mais ou menos ressecados depende muito do fototipo e das características étnicas: quanto mais clara for a pessoa, mais tendência a ter os lábios delicados e sensíveis ao sol e ao frio ela tem, dois principais responsáveis pelo envelhecimento da região dos lábios. “A queimadura causada pelo sol muda a estrutura celular e pode, com o tempo, provocar alteração displásica da boa morfologia das células, ou seja, o lábio também começa a ficar mais ressecado, descamativo e podem surgir fissuras e rachaduras”, explica. Já o frio, causa um tipo de queimadura por desidratação e não por dano inflamatório pela radiação UVA e UVB. Nesse caso, essa queimadura não tem um potencial carcinogênico como a do sol. “Durante o inverno, há uma diminuição da produção natural das glândulas que lubrificam a região, então existe um maior ressecamento porque a pele fica realmente menos hidratada e lubrificada, com a área mais atrófica. Porém, a regeneração deve ser feita da mesma maneira”, afirma.

Abuse dos hidratantes
Por prevenção, o recomendado é fazer uma hidratação constante e frequente, com formulações ricas em vitaminas e antioxidantes, como hidratantes à base de aveia coloidal, vitamina E, pró-vitamina B5, glicerina, de manteigas de karité, de óleos como o de girassol, óleo de macadâmia, a própria presença de zinco, cobre, manganês, magnésio que auxiliam no processo de cicatrização, devem estar presentes nas formulações. Outra dica, é evitar passar a língua na região dos lábios, o que provoca uma diminuição do pH, já que a saliva tem pH mais ácido e piora ainda mais o ressecamento. “Há aquela sensação imediata que houve um umedecimento da região, mas logo depois, acontece a formação de microfissuras, de ardência e vermelhidão local”, diz. Os filtros solares específicos para a região também são importantes para evitar que haja formação do herpes pela exposição ao sol ou pela mudança brusca de temperatura no inverno. Nos períodos frios, o hidratante deve ser usado de duas a três vezes ao dia e, se preferir os batons opte pelas marcas conhecidas com uma rotulagem hipoalergênica, testado dermatologicamente e de boa procedência. “Se quiser evitar qualquer tipo de risco e tiver um lábio mais sensível, deve ser utilizado hidratante antes do batom pela manhã, e repetir à tarde, formando uma barreira que evita a desidratação e a agressão dos fatores ambientais. Quando há ressecamento, a dermatologista aconselha aos pacientes a nunca remover as ‘pelinhas’, nem fazer exfoliação na região dos lábios com grânulos agressivos e sim com produtos naturais, como a seda do arroz ou mesmo fazer uso de um creme de ureia misturado com a pró-vitamina B5 para que haja o processo natural de troca daquela pele mais espessa que será descamada por uma pele jovem, mais fininha e, portanto, mais sensível. “Também não podem ignorar o fator cigarro que, além de poder causar alergia de contato, diminui a irrigação local, provoca degradação do colágeno e dá origem às linhas em coluna de barra que surgem como rugas ao redor dos lábios”, finaliza.