Anda estressada demais?
3 de novembro de 2010
Visual turbinado depois do bebê
3 de novembro de 2010
Mostrar Todos

Como a sua pele vai envelhecer?

Sabendo o que vai acontecer lá na frente, você pode mudar o futuro e garantir um visual jovem e livre de rugas por mais tempo

Por Mafê de Almeida


Conforme o tempo vai passando, a gente começa a se preocupar com o aparecimento dos sinais na pele. Queremos apagar as manchas, depois eliminar as rugas, acabar com os pés de galinha e por aí vai. O problema é que enquanto você fica quebrando a cabeça para tentar reverter a ação do tempo, não percebe que o caminho é justamente o inverso. A dica é prevenir-se antes para não se preocupar depois. Essa prevenção não é nenhum bicho de sete cabeças: acredite, é muito mais fácil cuidar da pele antes de surgirem os problemas. Para isso, conheça bem a sua pele, as características, a forma como ela reage aos agentes externos…

A chave do sucesso
Infelizmente, não é uma receita de bolo que serve para todo mundo. Cada caso é um caso – o tom é um dos fatores que determina como o envelhecimento acontecerá. A quantidade de melanina produzida interfere porque esta substância protege o tecido contra a ação dos raios do sol e, quanto maior a sua produção, melhor será a proteção contra o envelhecimento. “Quanto mais clara for a pele, mais suscetível ao envelhecimento será, justamente pela diminuição da produção de melanina. Com isso, os raios ultravioleta degradam o colágeno com mais facilidade nas pessoas mais claras”, diz a dermatologista Miriam Sabino (SP). E a produção de colágeno também varia de acordo com o tom de pele: quanto mais escura for a pele, mais colágeno esta irá produzir. Outro fator crucial quando o assunto é envelhecimento é o nível de oleosidade – e mais uma vez as peles mais escuras saem na frente. “Os fototipos mais claros têm a pele mais seca, com pouca produção de oleosidade, portanto, o envelhecimento é mais rápido. A pele negra e os asiáticos produzem mais oleosidade. A pele seca acaba desidratando mais e necessita de maiores cuidados; ela é mais frágil, se rompe com mais facilidade e causa as linhas de expressão”, esclarece a dermatofuncional Estela Cardoso, da Clínica Arthys (RJ). Ou seja, aquela oleosidade que é arduamente combatida tem o seu valor, já que forma uma camada de proteção que barra a entrada de agentes oxidantes que causam o envelhecimento. Mas vamos deixar claro: ninguém está defendendo a oleosidade excessiva, pois essa também é prejudicial. O ideal é manter a oleosidade natural capaz de proteger a cútis e deixá-la hidratada da forma correta. Mas é claro que nem só de fatores internos vive a pele. Independentemente da cor da pele, os hábitos também deixam suas marcas com o passar do tempo. Exposição solar sem a devida proteção, poluição, cigarro, estresse, noites maldormidas… Sem um controle eficaz em cima de cada um desses fatores, o envelhecimento será acelerado, não importando se você é negra, branca, oriental ou árabe. Então, além de tudo o que será dito, leve em consideração sempre alguns cuidados básicos, tais como aplicar protetor solar diariamente e evitar todos os demais fatores citados. Dito isso de uma forma geral, vamos nos aprofundar para que esse cuidado seja bastante específico. Muita informação em relação à beleza é mito, mas muitas são verdades absolutas e devem ser levadas em consideração nos cuidados. A pele negra envelhece mais devagar? E a branca envelhece mais cedo? A pele oriental tem mais tendência à flacidez? Vamos esclarecer tudo isso e mostrar o caminho das pedras para uma beleza jovem.

Pele oriental
É TÍPICO: apesar de não parecer, a pele oriental tem muita facilidade de produzir melanina, mas “não na mesma quantidade da pele negra, ocasionando a coloração amarelada”, explica a dermatologista Miriam Sabino (SP). Por esse motivo, bronzeiam-se com facilidade, podendo atingir um tom dourado. Outra característica similar à pele negra é a quantidade de colágeno, proporcionando firmeza e elasticidade. “devido a uma maior densidade de colágeno, a pele asiática é mais espessa, o que retarda o aparecimento das rugas”, explica a dermatologista Flaviane Farias, da clínica Med Corpus (RJ). Entre os pontos negativos, podemos destacar a facilidade de formação de manchas (pela presença da melalina), oleosidade na zona t.
ANTES DOS 30: não tem segredo, basta apostar na dobradinha proteção solar com fator de proteção alto e higienização adequada e diária. e lembre-se, aposte somente em cosméticos oil-free para evitar o excesso de sebo.
DEPOIS DOS 30: entre os cremes indicados para a pele oriental, a Dra. Flaviane destaca os despigmentantes, bem como aqueles à base de vitamina a, que combatem o fotoenvelhecimento; e o uso de vitamina c tópica (em formulações de cremes), pois ela atua como antioxidante e também melhora a qualidade e textura da pele.
RECUPERANDO O TEMPO PERDIDO: quando os sinais já estão instalados, algumas opções clínicas podem ajudar a melhorar a aparência do rosto (assim como da pele) e promover o rejuvenescimento como um todo. Para combater manchas, pode ser indicado o uso do laser de luz pulsada limelight. Já para as inevitáveis rugas, a sugestão é o uso de laser de co2 fracionado Smartxide.

REFERÊNCIAS DE BELEZA:

1 – Active Creme Redutor de Sinais 30+ Noite, O Boticário, R$ 70.
2 – Health Skin Dia, Neutrogena, R$ 60.
3 – Emulsão Facial Nutralift Intensive, Adcos, R$ 151.
4 – Cure Lisse Intense, Carita, R$ 646.

Pele oliva
É TÍPICO: pode-se definir este tipo como uma pele clara com facilidade para se bronzear. e esta facilidade, apesar de ser bem-vinda pelas mulheres que gostam de verão e praia, pode ser um vilão em se tratando de envelhecimento. “esta pele reage mal à exposição solar e favorece o aparecimento de melasmas e de manchas de difícil tratamento”, avalia a dermatologista Sara bragança, membro da Sociedade brasileira de medicina estética (RJ). Em relação aos problemas mais comuns (e que mais preocupam), este é um tipo de pele bastante equilibrado. Tem propensão às rugas, mas nem tanto. Pode sofrer fotoenvelhecimento, mas em doses contidas. A tendência aqui é outra: olheiras, principalmente porque são acentuadas pelo tipo de ossatura. As manchas também são bastante comuns nesse tipo de pele.
ANTES DOS 30: a mulher com pele oliva, definitivamente, não pode folgar com o sol. Diante dessa facilidade em bronzear, é preciso prevenir o aparecimento de manchas desde cedo com o uso de protetor solar com FPS alto. Além dos cuidados clássicos de higienização e hidratação diários, pela manhã e à noite.
DEPOIS DOS 30: proteção e higienização diárias são cuidados atemporais, portanto é preciso mantê-las sempre. Mas, com o passar do tempo, a mulher árabe precisa inserir dois novos cuidados na rotina. Os produtos com ação clareadora e despigmentante tem por objetivo controlar o aparecimento de manchas – dê preferência à aplicação noturna destes produtos, pois eles contém ácidos que podem piorar ainda mais o quadro. Já os sinais inevitáveis da idade são combatidos com o uso de cremes antiidade.
RECUPERANDO O TEMPO PERDIDO: para combater as terríveis olheiras provocadas pela formação óssea profunda, a Dra. Maria Paula indica o preenchimento com ácido hialurônico, como juvederm refi ne. Para as manchas, o ideal é procurar a ajuda do laser gêneses associado a peelings clareadores.

REFERÊNCIAS DE BELEZA:

1 – Clarité Loção Clareadora, Dermage, R$ 56.
2 – Hidrafil Anti-aging, Stiefel, R$ 40.
3 – Anti-Aging Anti- Wrinkle Eye Line Filler, La Prairie, R$ 450.
4 – Biotherm Sun FPS 30, Biotherm, R$ 115.

Pele negra
É TÍPICO: é mais resistente. o segredo é a espessura da parte mais superficial do tecido, que é mais grosso, formando assim uma barreira protetora. Há, ainda, a produção de sebo maior e, como dito anteriormente, essa oleosidade é uma forma de proteção – mas essa característica é exclusiva do rosto; no corpo a tendência é o ressecamento. Há, ainda, a presença da poderosa melanina em doses elevadas. Poderosa, pois ela é capaz de proteger o tecido dos terríveis raios solares. “portanto, a pele negra sofre menos fotoenvelhecimento”, avalia a esteticista e cosmetóloga Lucienne de Souza, do Spa da pele (SP). Formando a dupla dinâmica, a melanina ainda tem a ajuda da alta produção de colágeno, que proporciona firmeza e elasticidade. Em tempo: nada disso significa que este tipo de pele esteja protegido contra o câncer de pele, a preocupação e prevenção em relação a esse problema deve haver sempre. É fato que existe muita proteção natural, mas nem assim esta pele está livre do processo de envelhecimento. Os sinais mais comuns neste tipo de pele são os sulcos nasogenianos (bigode chinês), geralmente o primeiro sinal a surgir por volta dos 45 anos, e flacidez. e a pele mais espessa, que um dia pode ser vantajosa, com o passar do tempo pode se voltar contra você. “a pele engrossa, fica mais queratinizada e ganha algumas linhas de expressão”, explica a Lucienne de Souza.
ANTES DOS 30: limpar, tonificar e hidratar é uma prevenção e tanto. Além disso, valem as recomendações de usar protetor solar diariamente. Estes passos garantem uma pele saudável e luminosa. Procure produtos mais leves e oil free, pois é uma pele mais oleosa naturalmente.
DEPOIS DOS 30: siga com os cuidados clássicos e use produtos à base de substâncias firmadoras.
RECUPERANDO O TEMPO PERDIDO: entre as técnicas de estética encontradas nas clínicas capazes de reverter a ação do tempo, podemos destacar o laser titan, que utiliza infravermelho para tratar a flacidez; e também peeling a laser gênesis, que melhora a aparência (poros abertos) e textura da pele. “para o bigode chinês, o melhor é a aplicação de radiesse (hidroxiapatita de cálcio)”, sugere a dermatologista Maria Paula Del Nero, dermatologista da Sociedade brasileira de dermatologia (SP).

REFERÊNCIAS DE BELEZA:

1 – Creme Revitalizante Intensivo SPF 10, Germaine de Capuccini, R$ 168.
2 – Revaléskin Night Cream, Stiefel, R$ 150.
3 – Eluage Crème, Avène, R$ 145.
4 – Sun Protetor Solar Radiance Pele Morena e Negra FPS 10, Avon, R$ 18.

Pele caucasiana
É TÍPICO: é o tipo mais suscetível ao envelhecimento precoce. Acontece o inverso da pele negra. a pele branca produz pouca melanina, sendo assim, é muito fotossensível e tem mais rugas e pés de galinha causados pelo excesso de raios uv, e o fotoenvelhecimento. Sem os devidos cuidados, facilmente aparecem rugas finas de expressão, flacidez no contorno facial, manchas e melasmas. A falta de proteção da melanina deixa o colágeno mais vulnerável à ação dos raios solares, que degradam as estruturas colágenas.
ANTES DOS 30: desde cedo, deve-se adotar a rotina de higienizar bem a pele, aplicar um hidratante adequado ao seu tipo de pele e protetor solar com alto fator de proteção.
DE REPENTE 30, E AGORA? após a chegada dos 30 anos, a indicação é adotar produtos anti-idade e cremes redensifi cadores, que devolvam a firmeza e tônus.
RECUPERANDO O TEMPO PERDIDO: diante de inevitáveis sinais de envelhecimento já instalados, indica-se o Smartxide, pois trata rugas, flacidez e manchas. Pode ser combinado com a aplicação de toxina botulínica e preenchimento de ácido hialurônico. Para a flacidez, a indicação de aparelho de radiofrequência.

REFERÊNCIAS DE BELEZA:

1 – Hyalluron Filler, Eucerin, R$ 95.
2 – Revitalift Clareador, L´Oréal, R$ 50.
3 – 50 Face Cream, Clinique, R$ 84.
4 – Carita Progressif Anti-Age Perle de Jeunesse Lèvres, Carita, R$ 229.