Botox topa-tudo
29 de outubro de 2010
Nem tudo é psicologico
29 de outubro de 2010
Mostrar Todos

Celulite: novas regras de combate!

A preocupação é antiga: celulite. Mas a maneira como ela é vista é completamente nova. Ela continua incômoda e difícil de sumir, mas foi desenvolvida uma nova classificação que promete personalizar os tratamentos para que os resultados sejam melhores do que nunca!

Por Carmen Cagnoni e Lara Martins

Os verões passam e a celulite continua ali. O bom é que o tempo é um aliado e tanto, pois com ele surgem novidades na área que prometem combater o problema de forma mais eficaz e certeira. A mais quentinha delas não é um tratamento ou um creme, mas uma nova maneira de encarar a celulite, fazendo com que as indicações de técnicas sejam mais precisas. Trata-se da nova classificação desenvolvida pelas dermatologistas brasileiras Taciana Dal Forno, Camile Hexsel e Doris Hexsel, todas de Porto Alegre (RS). Veja como era a classificação e como ficou:

CLASSIFICAÇÃO ANTIGA
Até então, a única classificação usada para determinar o perfil da celulite de cada mulher acontecia da seguinte forma:
– grau 0 > quando a superfície da pele não apresenta alterações, nem mesmo em repouso;
– grau 1 > as alterações de relevo só são observadas ao fazer pinçamento manual da área ou contração muscular;
– grau 2 > quando as alterações de relevo são visíveis mesmo em repouso;
– grau 3 > quando existem as mesmas alterações observadas no grau 2 associadas a outras características, tais como nódulos, elevações e aderências aos planos profundos.

NOVA CLASSIFICAÇÃO
A nova classificação utiliza parâmetros baseados na Escala de Gravidade de Celulite (EGC). A nova escala envolve graduações dos diferentes aspectos clínicos e morfológicos da celulite, além de usar a antiga classificação. São eles:
– número de lesões deprimidas
– profundidade das lesões
– aspecto das lesões elevadas
– presença de flacidez
– grau de celulite pela antiga classificação

Estes aspectos variam em intensidade e cada item recebe uma nota. É a soma desses números que irá determinar em que estágio:
– leve > 1 a 5 pontos
– moderado > 6 a 10 pontos
– grave > 11 ou mais pontos
Dessa forma, uma pessoa com celulite leve apresenta notas baixas em todos os parâmetros, e assim por diante.

Vantagens do novo sistema
Essa escala permite mais precisão por acrescentar novos pontos a serem avaliados. Para se ter uma ideia, antes, uma paciente com uma ou duas lesões levemente deprimidas era classificada no mesmo grau de uma paciente com muitas lesões bastante deprimidas. Com esse novo padrão, isso não acontece. Mas de que forma nós, mulheres, saímos ganhando? Da melhor forma possível. Com a celulite classificada de maneira mais ampla, a indicação dos tratamentos acontece de forma mais específica. “Como a nova escala engloba diversos itens, é possível verificar os itens mais comprometidos e combinar diferentes métodos já existentes, otimizando os resultados”, complementa a dermatologista.

Manual do profissional
A avaliação deverá ser feita pelo dermatologista e consiste em algumas etapas, além da observação visual. Para verificar a celulite, por exemplo, utiliza-se o pinch test, quando uma determinada área é contraída com o dedo indicador e o dedão para evidenciar a presença (ou não) de lesões não-visíveis em repouso. Quando foco é a flacidez, avalia-se pela distensão da pele no sentido antigravidade, ou seja, a pele da área afetada é tracionada para cima para verificar se a pele está distendida e caída ou não.

Tratamentos estéticos

Cellu M6
Ação: “O aparelho de endermologia promove massagem mecânica e ativa a lipólise graças à pressão e ao movimento de rolamento explica a dermatologista Fabiana Pietro (SP).
Número de sessões: 20, duas por semana.
Cuidados depois: nenhum.
Resultados: a partir de 15 dias.
Contraindicação: não há.
Preço médio: R$ 100, cada sessão.

Accent XL
Ação: aparelho de radiofreqüência que emite ondas eletromagnéticas que elevam a temperatura interna da pele, atingindo a camada cutânea onde é produzido o colágeno. Dessa forma, é estimulada a produção de novas fibras elásticas e a pele fica mais firme.
Número de sessões: três a cinco.
Cuidados depois: nenhum.
Resultados: “Após a primeira sessão já é possível notar melhora na tensão da pele”, avisa a dermatologista Carla Vidal (SP).
Contraindicação: gravidez, uso de DIU de cobre, marcapasso e placas e pinos ortopédicos no local da aplicação.
Preço médio: R$ 480 a R$ 680, dependendo da região.

PowerShape
Ação: o aparelho reúne radiofrequência, laser e sistema a vácuo para tratar também gordura localizada e flacidez cutânea. “O procedimento é realizado da seguinte forma: passa-se uma camada fina de óleo mineral sobre a região a ser tratada. Em seguida, ajustam-se as três modalidades de tratamento da máquina (laser, radiofrequência e endermologia). As aplicações acontecem sempre de forma setorizada e suave”, esclarece o dermatologista Abdo Salmoão Jr., da Clínica Onodera (SP).
Número de sessões: no mínimo quatro sessões, mas o ideal são de oito a 12.
Cuidados depois: nenhum especificamente.
Resultados: após três sessões (aproximadamente 21 dias).
Contraindicação: gravidez, uso de medicamentos anticoagulantes sistêmicos e de Roacutan, além de pacientes com marcapasso.
Preço médio: de R$ 350 a R$ 550, cada sessão.

Triactive
Ação: o equipamento utiliza, além do laser de diodo de baixa potência, resfriamento e vácuo pulsado. O laser tem a função de estimular a microcirculação, uma vez que dilata as veias que estão entre os nódulos inflamados, aumentando o fluxo na região e fazendo com que essa circulação elimine a inflamação. Já o resfriamento melhora o edema (inchaço) e o vácuo estimula a drenagem linfática.
Número de sessões: 20, no mínimo. São três semanais nas quatro primeiras semanas e duas vezes nas três semanas seguintes.
Cuidados depois: nenhum especificamente.
Resultados: são visíveis a partir da décima sessão.
Contraindicação: não há.
Preço médio: R$ 200, cada sessão.

Cremes poderosos
1. Lift-Minceur Hauté Définition, Clarins, R$ 225.
2. Celluli Laser Intensive Night, Biotherm, R$ 202.
3. White Tea Spa Perfect Slim, Tania Bulhões, R$ 95.
4. Creme R Creme de massagem corporal, Bel Col, R$ 90.
5. Cellu Metric, Vichy, R$ 100.
6. Termolipocorpore Plus, Valmari, R$ 45.
7. Slim Control Gel redutor e Inibidor da Celulite, Biomarine, R$ 119.
8. Loção Termogênica para a celulite 4 Funções, Acquasome Silhueta, R$ 60.
9. Courbes Exquises Gel redutor Anti-celulite, L´Occitane, R$ 150.
10. Bioflex, Buona Vita, R$ 86.