Qual a melhor opção: colocar a prótese de silicone por baixo ou por cima do músculo peitoral?
31 de agosto de 2017
Docinhos de festa zero açúcar para comer sem culpa
15 de setembro de 2017
Mostrar Todos

Bacne: você sabe o que esse problema estético que tanto incomoda os adultos?

Apesar do nome estranho, esse problema é mais comum do que imaginamos. As espinhas nas costas é um incômodo que atinge adultos e exige cuidados especiais

Por Malu Bonetto

Um dos problemas de pele mais comum entre os brasileiros, a acne se forma quando os poros ou os folículos pilosos ficam obstruídos por sebo e células mortas, e acabam colonizados por bactérias que geram inflamação. Mas esse processo não ocorre somente na pele facial. “A acne só não pode se formar nas palmas das mãos e dos pés, porque estas são as únicas áreas no corpo que não possuem glândulas sebáceas, responsáveis pela produção de sebo, envolvido na formação da acne”, esclarece a dermatologista Claudia Marçal. O problema da acne nas costas, por exemplo, tem sido tema frequente no noticiário internacional em função dos recorrentes decotes das celebridades de Hollywood e recebeu o apelido de Bacne/back acne (ou acne nas costas em tradução livre).

De acordo com a médica, a acne é comum em adolescentes e na fase adulta. “Muitas vezes pacientes que entram na menopausa ou na gravidez, quando pode haver alteração hormonal significativa, vão ter uma mudança da característica primária da pele, que tende a ficar mais oleosa, com surgimento de acne mais inflamatória (ou erupção acneiforme) não só na região de face, mas na região do peito, das costas e dos braços”, acrescenta. A automedicação com anabolizantes para hipertrofia muscular e fórmulas ricas em proteínas e aminoácidos — cada vez mais usadas em concentrações elevadas para obtenção de massa magra de forma mais rápida — nem sempre são saudáveis para o organismo e estão ligadas ao aparecimento de acne nessas regiões.

No entanto, há uma ligeira diferença entre a acne facial e corporal, o que significa que a maneira pela qual tratamos as áreas infectadas também deve ser diferente. “A pele nas costas tem poros maiores do que os poros faciais, dessa forma são muito mais propensos a ficarem entupidos. É por isso que é melhor procurar produtos especificamente concebidos para o corpo para tratar o problema, mas com o mesmo cuidado que temos no rosto”, comenta a dermatologista. Felizmente, há algumas maneiras de evitar que as espinhas entrem em erupção e garantir a noite com aquele vestido com decote nas costas: na academia, opte por roupas soltas, brancas e 100% algodão isto porque o tecido absorverá todo o suor e óleo produzido nas costas, prendendo-o em suas roupas em vez de seus poros e o branco reduz o risco de irritação de corantes artificiais.

Além disso, a dermatologista aconselha usar sabonete líquido com Ph balanceado, de preferência com a vitamina A para incentivar a renovação celular, além de antioxidantes nutritivos e extratos com ação hidratante. Também nunca esprema, aperte ou manipule as espinhas porque isso, com certeza, aumenta a chance futura de formação de uma cicatriz. E essas cicatrizes podem ser de ordem melânicas, ficarem castanhas, violáceas, ou muitas vezes ocorrer a formação de cicatriz depressiva, o que vai gerar a necessidade de um tratamento muito mais prolongado e mais custoso para esse paciente.