Exercícios contra o culote
8 de setembro de 2016
Pele limpa e sem make!
8 de setembro de 2016
Mostrar Todos

Acne adulta? Eis a solução!

Se você pensa que acne é coisa de adolescente está enganada. O problema afeta muitas mulheres na fase adulta, mas é possível controlá-lo e livrar-se, de vez, dessas marcas no seu rosto

Por Malu Bonetto

Cada vez mais frequente entre os adultos, principalmente mulheres entre 30 e 50 anos, as lesões da acne normalmente aparecem na região do queixo e lateral das bochechas e é caracterizada por lesões nodulares císticas, muitas vezes doloridas, que perduram por sete a dez dias. “Quase sempre a pele apresenta a consequência clínica de uma alteração sistêmica, que pode ser devido a um processo hormonal ou hábitos de vida comprometidos com poucas horas de sono, estresse, tabagismo e cuidados inadequados com a pele e a alimentação”, explica a dermatologista Claudia Marçal, da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz (SP).

Principais causas
O quadro acneico está relacionado com o estímulo inadequado dos receptores hormonais, como os masculinos, alterações relacionadas à tireoide e pelo estresse que estimula o aumento do cortisol e adrenalina. “Quase sempre apresentam um indicativo de desconforto, com hipersensibilidade local e após três dias, em média, surgem os comedões inflamatórios que estão relacionados ao período pré-menstrual, uso de contraceptivos de uso via oral ou na forma de adesivos ou ainda dispositivos intrauterinos”, comenta a dermatologista. Com essas alterações, há um estímulo exagerado sobre as glândulas sebáceas com produção exagerada de sebo que provoca o aumento da proliferação de bactéria Propionibacterium Acnes.

Como tratá-las
O tratamento inicialmente deve ser instituído para o controle inflamatório com sabonetes calmantes à base de extratos anti-inflamatórios, loção tônica com função adstringente duas vezes ao dia. Pela manhã, a dermatologista indica séruns leves que podem ser potencializados com boosters com ação calmante e de cicatrizacão como, por exemplo, zinco, cobre, magnésio, ouro e fatores de crescimento para cicatrizacão. A noite, ela recomenda o uso da vitamina A ácida alternando com um nutritivo adequado à necessidade da paciente. A vitamina C como antioxidante potencializa a ação do retinóide (Vitamina A) e podemos ainda utilizar ácido salicílico, clindamicina e peróxido de benzoíla”, explica. Em alguns casos, máscaras à base de argila podem ser recomendadas para controle da oleosidade, eritema e inflamação. Se você optar por amenizá-las na clínica, Dra. Claudia indica a extração dos comedões, peeling de cristal com retinóides, uso da luz azul (que é bacteriostática) e posteriormente da red e infra red (com ação cicatrizante). “Quando o quadro estiver controlado, podemos, se necessário para retirar as manchas ou cicatrizes, utilizar o microagulhamento de ouro com drug delivery com utilização de Fatores de Crescimento e peptídeos ou um laser ablativo fracionado como o CO2 combinado à radiofrequência”, finaliza.